Mônica Waldvogel reestreia como apresentadora da GloboNews, no Jornal da Dez

Os telespectadores mais atentos perceberam uma novidade na tela da GloboNews, nessa segunda-feira (08). Com Aline Midlej de férias, o Jornal das Dez, o principal do canal e exibido em horário nobre, foi apresentado por Mônica Waldvogel. Foi a reestreia da jornalista na função de âncora em um noticiário diário, após atuar nos últimos anos apenas como comentarista do canal.

Mônica Waldvogel tem 67 anos e já foi apresentadora dos mais variados telejornais da GloboNews, como o próprio Jornal da Dez, no bloco paulista entre 2006 e 2008. Antes, esteve também na TV Globo, onde comandou o Jornal da Globo, o Jornal Hoje e o Bom Dia SP, além de ter sido plantonista do Jornal Nacional aos sábados.

A jornalista também teve breve passagens pelo SBT e também pela Record TV, onde foi apresentadora do Fala Brasil. Esteve ainda no canal GNT, à frente do programa de entrevistas Saia Justa, e substituiu Maria Beltrão no comando do Entre Aspas, já de volta à GloboNews, entre 2008 e 2020.

A escalação de Waldvogel durará apenas durante esta semana, em um rápido de período de recesso de Aline Midlej. A opção pela veterana ocorreu após os principais apresentadores substitutos, como Erick Bang, Lilian Ribeiro e Leila Sterenberg, também estarem aproveitando suas férias. Como é ano eleitoral, o canal tem antecipado as ausências já programadas de suas contratados, para que todos estejam apostos para realizar a cobertura especial.

Vídeo de Alcymar Monteiro brigando com músicos no palco repercute nas redes

Um vídeo do cantor e compositor Alcymar Monteiro repreendendo os músicos de sua banda durante o show viralizou nas redes sociais e repercutiu negativamente para o artista.

Em certo momento do show, o cantor interrompe a música e reclama que a banda não estaria tocando “simples” e estaria ofuscando sua interpretação. Com gestos, ele diz indica os arranjos que deveriam ser executados e diz, no microfone: “Porque entortar isso aí, hein? Isso não pode acontecer. Estou falando aqui porque não é a primeira vez que acontece”, dispara.

“Aqui quem tem que aparecer sou eu. Sou eu quem tem que aparecer. 36 anos de luta”, diz Alcymar no final do vídeo.

Com a onda de comentários negativos que passou a receber pelo gesto, o artista publicou um vídeo pedindo desculpas. “Olá minha gente. Eu estou aqui para conversar com vocês a respeito do vídeo de 30 segundos do que aconteceu naquele momento. A nossa banda é uma banda maravilhosa e tem músico que faz parte dela que toca comigo há mais de 30 anos. Eu peço desculpas pelo que houve, não faz parte do meu eu, da minha person. É muito estresse, é muita viagem, é muito show, é muito assédio e tem uma hora que a gente fica exausto. Estou aqui para pediur desculpas primeiro à minha banda e depois a meu púbico”, disse.

Apesar das desculpas, alguns músicos anunciaram que não fazem mais parte da banda de Alcymar Monteiro. Músicos do seu naipe de metais anunciaram o desligamento. “Como nesta foto, juntos e unidos, que viemos comunicar nosso desligamento da Banda Forroteria, a qual acompanha o artista Alcymar Monteiro. É com humildade, ensinamentos que nossos pais nos deu, dignidade, respeito ao próximo e profissionalismo”, diz a nota assinada pelos músicos Jefferson (trompete), Sandro (trombone) e Chico Botelho (sax e cavaquinho).

“Saímos com a consciência limpa, erguida, fortes como sempre, para seguirmos nossos rumos, em busca de nossos sonhos. Agradecemos o apoio de nossos familiares, amigos que sempre estão torcendo pelos nosso sucesso, aos amigos que fizemos durante esse tempo juntos em viagens, aos que nos via tocando, que Deus vos abençoe sempre. Amamos a todos vocês”, conclui a nota.

STF marca nova audiência sobre disputa por Fernando de Noronha

Na reunião realizada nesta terça-feira (9), representes das partes retomaram as tratativas de conciliação e vão realizar reuniões internas para tratar de questões ambientais e obrigacionais para apresentar uma proposta em novembro.

Na ação protocolada no STF em março deste ano, a Advocacia-Geral da União (AGU) argumenta que o governo estadual não estaria cumprindo um acordo assumido com a União em 2002.

Entre os pontos questionados, está a suposta autorização para construções hoteleiras na faixa de praia sem autorização da Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Em contrapartida, o governo de Pernambuco argumenta que Fernando de Noronha foi incorporado ao estado por determinação da Constituição e que a ação no STF deve ser rejeitada.

Novo vírus de origem animal infecta 35 pessoas na China, aponta estudo

Um estudo científico feito na China e publicado na quinta-feira (4) na revista científica “New England Journal of Medicine” anunciou a detecção de um novo tipo de vírus de origem animal, o henipavírus. A doença é transmitida por morcegos frugívoros e, de acordo com a publicação, já são 35 casos confirmados por meio de amostras de saliva.

Localizados nas províncias chinesas de Shandong e Henan, nenhum dos infectados está em estado grave. Apenas 26 deles apresentaram sintomas, que são: tosse, febre, cansaço, perda de apetite, dores de cabeça, musculares, náuseas e irritabilidade.

A pesquisa relata queo s pacientes tiveram contato recente com animais e não há casos de transmissão de humanos para humanos. Outros tipos de henipavírus relacionados foram detectados em morcegos, roedores e musaranhos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), surtos subsequentes da doença na Índia, o consumo de frutas ou produtos de frutas (como suco de tamareira cru) contaminados com urina ou saliva de morcegos frugívoros infectados foi a fonte mais provável de infecção.

Sem medicamento ou vacina, o vírus Nipah causou apenas surtos na Ásia. Infecta uma ampla variedade de animais, a taxa de letalidade em humanos é estimada em 40 -75%.

Brasil registra mais 359 mortes por Covid; média móvel é de 219 por dia

O Brasil registrou nesta terça-feira (9) 359 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 680.598 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 219. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -4%, indicando tendência de estabilidade.

Brasil, 9 de agosto
Total de mortes: 680.598
Registro de mortes em 24 horas: 359
Média de mortes nos últimos 7 dias: 219 (variação em 14 dias: -4%)
Total de casos conhecidos confirmados: 34.065.650
Registro de casos conhecidos confirmados em 24 horas: 30.994
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 25.051 (variação em 14 dias: -31%)

Acre, Amazonas, Amapá, Roraima e Tocantins não registraram novas mortes pela doença no período de 24 horas.

No total, o país registrou 30.994 novos diagnósticos de Covid-19 em 24 horas, completando 34.065.650 casos conhecidos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi de 25.051, a menor em 71 dias, desde 30 de março (quando estava em 24.993). A variação foi de -31% em relação a duas semanas atrás.

Departamento de Estado dos EUA aprova possível venda de mísseis antitanque Javelin para o Brasil

O Departamento de Estado dos Estados Unidos aprovou uma potencial venda de mísseis Javelin e equipamentos relacionados ao Brasil por um custo estimado de até US$ 74 milhões de dólares, segundo comunicado do Pentágono desta terça-feira (9).

Um porta-voz do Departamento de Estado explicou que a venda aprovada precisa ser oficialmente notificada ao Congresso dos EUA por causa do valor, que excede um limite de US$ 14 milhões imposto pela regulamentação americana para este tipo de exportação.

Fabricado pelos gigantes da área de defesa Lockheed Martin Corp e Raytheon Technologies Corp, o Javelin tornou-se uma das armas mais conhecidas do mundo devido ao seu sucesso contra tanques russos na guerra da Ucrânia.

Agora, o Congresso tem 30 dias para tirar dúvidas sobre a venda, explicou o porta-voz. O Legislativo americano, no entanto, não precisa votar para aprovar a venda. Câmara e Senado podem fazer uma resolução conjunta que seja aprovada nas duas casas em 30 dias para se opor à venda, mas isso é muito improvável que aconteça, explicou o representante do Departamento de Estado.

Com isso, ao final do prazo de um mês, o governo americano pode voltar a entrar em contato com Brasília para informar que, do lado dos EUA, a venda é possível. A partir daí, fica a cargo do governo brasileiro dizer se pretende de fato efetuar a compra.

Em despedida da presidência do TSE, Fachin defende urnas e diz que a democracia se ‘verga’, mas não se ‘dobra’ com as fake news

O ministro Edson Fachin, que se despediu da presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta terça-feira (9), fez um discurso em que defendeu a urna eletrônica e lembrou ações de sua gestão no combate a informações falsas. Ele disse que a democracia se “verga”, mas não se “dobra” com as fake news.

Fachin assumiu o comando do TSE no dia 22 de fevereiro. Seu mandato na corte eleitoral termina neste mês. Na semana que vem, assumirá a presidência o ministro Alexandre de Moraes.

Ao longo de sua gestão, Fachin foi alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro e apoiadores, que levantaram, sem provas, suspeitas já desmentidas sobre o sistema eleitoral e sobre as urnas eletrônicas.

Em seu discurso, Fachin não mencionou um episódio específico de ataques ao sistema eleitoral. Ele ressaltou que, ao longo do mandato, se dedicou a buscar a paz para as eleições de outubro.

“O que se deu por meio do diálogo, da estruturação do combate à desinformação, da eficiência na gestão do processo eleitoral, da promoção da transparência eleitoral, integridade, diversidade”, afirmou o ministro.

“A democracia é condição de possibilidade para coexistirmos em paz. A democracia se verga, mas não se dobra com as fake news”, completou.
Fachin afirmou que defensores da democracia no país estão unidos no combate à desinformação.

“Há uma enorme coalização nas trincheiras dos defensores da democracia, da transmissão responsável de informações e no enfrentamento às fake news”, afirmou.

O ministro disse ainda que tem certezas de que a democracia é “inabalável” e que as eleições de outubro vão transcorrer com segurança e paz.

“Encerro o relatório desta gestão agradecido pela oportunidade de servir à minha República, na condição de presidente do Tribunal Superior Eleitoral, e com duas certezas inabaláveis: A primeira delas é que a democracia é inabalável pelas fake news e que o povo brasileiro elegerá, com paz, segurança e transparência, um presidente da República”, disse o ministro.

Segurança de Lula relata episódios de violência e pede apoio às superintendências da PF

A equipe da Polícia Federal que cuida da segurança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato ao Palácio do Planalto, pediu apoio às superintendências da PF e relatou uma série de “adversidades” e episódios de violência enfrentados pelo petista neste ano.

O documento diz que “o contexto político e social no qual se realizará a operação de segurança é composto por, entre outras adversidades, opositores radicalizados, acesso a armas de letalidade ampliada decorrente das mudanças legais realizadas em 2019, ameaças de morte, ao candidato e representantes do partido, bem como a perpetração de atos de intimidação e violência, identificados antes do início da campanha, como o atentado ao ônibus da caravana de apoio ao ex-presidente Lula, alvejado em maio de 2018”.

O ofício que foi encaminhado às superintendências diz que os atos agressivos não se restringem ao momento da campanha eleitoral, sendo verificado também em período pré-eleitoral. Relata pelo menos sete ações violentas e de hostilidade dos opositores do candidato do PT em 2022:

O lançamento por drone de dejetos ou pesticida durante evento em junho na cidade de Uberlândia (MG);
A invasão do evento de lançamento das diretrizes do programa de governo em 21 de junho na cidade de São Paulo (SP);
O cerco realizado à comitiva do candidato durante seu deslocamento em 5 de maio na cidade de Campinas (SP);
A intimidação e tumulto ocorrido no Teatro da PUC em 31 de maio de 2022 na cidade de São Paulo (SP);
O vazamento da agenda do candidato ocorrido em 20 de junho na cidade de Maceió (AL);
O atentado ocorrido no dia 7 de julho na Cinelândia, na cidade do Rio de Janeiro (RJ) e;
O assassinato de um ex-candidato a vice-prefeito do PT no dia 10 de julho em Foz do Iguaçu (PR)

Os delegados da PF responsáveis pela segurança de Lula relataram preocupação com a escalada dos atos de violência contra candidatos no Brasil. No documento, eles reforçaram que os “dados obtidos junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em referência a atos de violência dirigidos a candidatos no Brasil.

Os números são preocupantes, e em escala crescente. No ano de 2020 houve 99 casos de homicídio tentado ou consumado e 164 casos de ameaça e lesão corporal. Já no ano de 2018 foram registrados 46 casos, mesmo número verificado nas eleições de 2016.”

A PF classificou que Lula necessita de um nível de proteção no grau máximo, devido ao risco a que está exposto o candidato, reconhecendo, portanto, a necessidade de dispor dos meios adequados para a operação de segurança. Os grupos que atuarão com risco mais elevado contarão com o efetivo mínimo de 27 policiais federais, sendo ao menos três delegados da PF e agentes federais.

E a equipe de segurança conclui que “o atual cenário é inédito na história da democracia brasileira e amplia o desafio de garantir a incolumidade física do candidato, impondo à Polícia Federal um acurado planejamento e a disponibilização não somente de efetivo no quantitativo compatível, mas que este esteja mobilizado, alinhado, capacitado, com os meios necessários e disponibilizado para imediato emprego desde o dia 20 de julho de 2022.”

O documento é assinado pelos três delegados que cuidam da segurança de Lula: Andrei Augusto Passos Rodrigues, Alexsander Castro Oliveira e Rivaldo Venâncio. A PF recebeu o documento e ainda está analisando os pedidos da segurança do petista.

Ministério Público de PE recomenda à Prefeitura de Serra Talhada divulgar gastos com shows e festividades

Após constatar descumprimento, por parte da Prefeitura de Serra Talhada, das exigências legais de transparência na divulgação do uso de recursos públicos para custear shows e festividades, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou ao município adotar as medidas necessárias para cumprir a Lei Estadual nº 15.818/2016.

Conforme a recomendação, publicada no Diário Oficial do MPPE desta segunda-feira (8), a gestão municipal tem um prazo de dez dias para publicar, no Portal da Transparência e demais perfis da Prefeitura de Serra Talhada nas redes sociais, os valores gastos atrações artísticas e estrutura dos eventos da emancipação política e do São João 2022.

Além de detalhar os gastos, o poder público deve informar a origem dos recursos e instalar, nas próximas festas, placas informativas em local visível detalhando nome e custo de cada atração; nome da empresa responsável pela estrutura de palco e valor do serviço; nome da empresa responsável pelo equipamento de som e valor do serviço; e a origem dos recursos empregados na contratação.

“Tramita, no âmbito da 2ª Promotoria de Justiça de Serra Talhada, procedimento preparatório no intuito de verificar o descumprimento da lei no município, visto que não foi instalada a placa informativa determinada pelo artigo 1º da Lei Estadual. Após provocação do MPPE, a Prefeitura, através de ofício, se limitou a questionar a validade da norma estadual e a alegar que as despesas estariam expostas no Portal da Transparência. Contudo, observa-se, por exemplo, que informações sobre a grande atração da festa de emancipação política (João Gomes) foi omitida no documento”, detalhou o promotor de Justiça Vandeci Leite, no texto da recomendação.

Estados Unidos aprovam a entrada de Finlândia e Suécia na Otan

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta terça-feira (9) que o país concorda em incluir a Finlândia e a Suécia como membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

O presidente destacou que a adesão dos dois países europeus tornará o grupo mais forte.

“A Finlândia e a Suécia tornarão a OTAN mais forte. Hoje, assinei os Instrumentos de Ratificação dos EUA, tornando os Estados Unidos o 23º Aliado a aprovar sua adesão à OTAN”, disse Biden.

A Finlândia e a Suécia solicitaram as suas entradas ao grupo em maio de 2022 em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Com o aval dos Estados Unidos, falta o parlamento de sete países-membros ratificarem a adesão da Finlândia e da Suécia à (Otan). São eles: República Checa, Grécia, Hungria, Portugal, Eslováquia, Espanha e Turquia.

Em Brejinho, Danilo consolida apoio do prefeito que era aliado de Marília 

O candidato a governador Danilo Cabral consolidou o apoio do prefeito de Brejinho, no Sertão do Pajeú, Gilson Bento. Nesta terça-feira (9), o socialista foi ao município para um ato político promovido pelo aliado e realizado na hora do almoço.

De quebra, a Frente Popular ainda provocou uma baixa no palanque de Gustavo Gouveia, aliado de primeiríssima hora de Marília Arraes. Gilson, que apoiava Gustavo, do Solidariedade de Marília, agora está com Paulo Jucá, PSB de Danilo, para deputado estadual. Já para federal, ele apoia Silvio Costa Filho (Republicanos).

“A gente vai votar nessa chapa porque vai ter a força de pedir recursos a eles. Eles estão olhando Brejinho com carinho. E nós estamos juntos”, cravou Gilson. “Cheguei aqui e vi uma cidade muito bem cuidada. Isso é a marca da sua gestão, Gilson. Como governador, eu estarei com você, para que a gente possa fazer mais parcerias por Brejinho e o reencontro de Pernambuco com o Brasil”, destacou Danilo.

O evento foi prestigiado por inúmeras lideranças da Frente Popular no Pajeú. Estavam com Danilo, Teresa Leitão, candidata ao Senado, e o governador Paulo Câmara, além do prefeito de Brejinho, os gestores de Flores, Marconi Santana; Carnaíba, Anchieta Patriota; São José do Egito, Evandro Valadares; Afogados da Ingazeira, Sandrinho; Ingazeira, Luciano Torres; e Itapetim, Adelmo Moura.

Secretaria de Educação de Pernambuco abre inscrições para concurso com 596 vagas; veja oportunidades

Começam, nesta terça-feira (9), as inscrições para concurso público com 596 vagas para os cargos de analista em gestão educacional, de nível superior, e assistente administrativo educacional, de nível médio. As oportunidades são destinadas a diversas gerências regionais de ensino do Estado.

Interessados devem se inscrever no site da banca organizadora do certame, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), até o dia 2 de setembro.

Para o cargo de analista em gestão educacional, são ofertadas 500 vagas divididas nas especialidades geral, biblioteconomia, ciências contábeis, direito, fonoaudiologia, nutrição, pedagogia, psicologia, serviço social, e o salário inicial é de R$ 3.236,44, acrescida de gratificação de R$ 681,32. Já para o cargo de assistente administrativo educacional, são 96 vagas com remuneração de R$ 2.238,14. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais para ambas as oportunidades.

As provas custam R$ 130 para o cargo de ensino superior e R$ 90 para o ensino médio. A seleção será realizada por meio de prova objetiva, discursiva e de avaliação de títulos para as vagas de analista em gestão educacional; e de duas provas objetivas – uma de conhecimentos gerais e outra de específicos – para o cargo de assistente administrativo educacional.

As provas serão realizadas no dia 9 de outubro, em 13 cidades do Estado: Recife, Afogados de Ingazeira, Araripina, Arcoverde, Caruaru, Floresta, Garanhuns, Limoeiro, Nazaré da Mata, Palmares, Petrolina, Salgueiro e Vitória de Santo Antão.

“Este concurso é muito importante para a nossa Rede Estadual de Ensino. São vagas necessárias para o nosso quadro efetivo já que o último concurso que foi realizado foi em 2015. Importante ressaltar que essas oportunidades são para as 16 gerências regionais e também para a sede da Secretaria de Educação e Esportes, no Recife. É mais uma chance para os que estão se preparando há tanto tempo para ingressar na rede de Pernambuco”, afirma o secretário de Educação e Esportes de Pernambuco, Marcelo Barros.

Chanceler de Taiwan diz que exercícios da China são parte de plano para invasão

O ministro das Relações Exteriores de Taiwan disse nesta terça-feira (9) que a China está usando os exercícios militares que lançou em protesto contra a visita da presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, como um plano de ação para se preparar para uma invasão da ilha.

Joseph Wu, em coletiva de imprensa em Taipé, não ofereceu nenhum cronograma para uma possível invasão de Taiwan, reivindicada pela China parte de seu território.

O chanceler afirmou que Taiwan não seria intimidada mesmo que os exercícios continuassem com a China muitas vezes ultrapassando a linha mediana não oficial no Estreito de Taiwan.

“A China usou os exercícios de seu manual militar para se preparar para a invasão de Taiwan”, disse Wu. “Está realizando exercícios militares em larga escala e lançamentos de mísseis, bem como ataques cibernéticos, desinformação e coerção econômica, na tentativa de enfraquecer o moral público em Taiwan”.

“Após a conclusão dos exercícios, a China pode tentar rotinizar sua ação em uma tentativa de destruir o status quo de longo prazo no Estreito de Taiwan”, alertou o ministro.

Tais medidas ameaçaram a segurança regional e forneceram “uma imagem clara das ambições geoestratégicas da China além de Taiwan”, disse Wu, pedindo maior apoio internacional.

Uma autoridade do Pentágono disse na segunda-feira (8) que Washington mantém sua avaliação de que a China não tentará invadir Taiwan nos próximos dois anos.

Wu falou enquanto as tensões militares continuam após o término programado no domingo (7) de quatro dias dos maiores exercícios chineses de todos os tempos em torno da ilha – atividades que incluíram lançamentos de mísseis balísticos e ataques simulados nos céus e mares ao redor de Taiwan.

O Comando Oriental da China anunciou na segunda-feira que realizará novos exercícios conjuntos com foco em operações de ataque marítimo – confirmando os temores de alguns analistas de segurança e diplomatas de que Pequim manterá a pressão sobre as defesas de Taiwan.

Taiwan iniciou seus próprios exercícios há muito programados nesta terça, disparando artilharia de obuses para o mar no condado de Pingtung, no sul, atraindo uma pequena multidão de curiosos para uma praia próxima.

A China nunca descartou tomar Taiwan à força e na segunda-feira o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Wang Wenbin, disse que a China está realizando exercícios militares normais “em nossas águas” de maneira aberta, transparente e profissional, acrescentando que Taiwan faz parte do território chinês.

Taiwan rejeita as reivindicações, dizendo que apenas o povo taiwanês pode decidir o futuro da ilha.

Fachin cita a Lei Eleitoral e barra pronunciamento de Queiroga em cadeia de rádio e TV

O ministro Edson Fachin, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou nesta segunda-feira (8) pedido do Ministério da Saúde para o ministro Marcelo Queiroga fazer um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV. Fachin entendeu que o conteúdo da fala de Queiroga contrariava a legislação eleitoral.

Segundo o pedido, o pronunciamento teria como objetivo o lançamento da campanha nacional de vacinação contra a poliomelite e de multivacinação. Mas o discurso de Queiroga continha também elogios à ação do governo no combate à Covid-19.

De acordo com o texto encaminhado ao TSE, Queiroga diria que “durante a pandemia de Covid-19, demonstramos nossa capacidade de adquirir [vacina] e vacinar, em tempo recorde, a nossa população”.

Em seguida, o ministro da Saúde afirmaria: “Com isso, alcançamos altas taxas de cobertura vacinal que nos permitiram o controle da emergência de saúde pública de importância nacional.”

Fachin avaliou que o discurso fere o princípio da impessoalidade na administração pública, especialmente no período que antecede as eleições.

“A Constituição Federal desautoriza a personificação de programas da administração pública federal, mormente no período que antecede as eleições e, justamente por isso, é alcançado pelas vedações da Lei Eleitoral”, escreveu o presidente do TSE.

O pronunciamento seria veiculado no dia 9, 10 ou 11 de agosto. Um pedido anterior do Ministério da Saúde para liberar a fala de Queiroga já havia sido negado.

Venezuela anuncia retomada de relações militares com a Colômbia, diz ministro

A Venezuela anunciou a retomada de suas relações militares com a Colômbia dois dias após a posse de Gustavo Petro como presidente.

“Recebi instruções do CJ FANB @Nicolasmaduro, para estabelecer imediatamente contato com o Ministério da Defesa colombiano para restabelecer nossas relações militares”, disse o ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino, no Twitter.

Após anos de uma relação estagnada e com a confiança bilateral rompida pelas ações dos últimos governos —e após uma campanha do presidente Iván Duque e seu chamado cerco diplomático para remover do poder o presidente Nicolás Maduro— as declarações de Petro foram recebidas com um ar de otimismo cauteloso e esperança de que possam resultar na normalização das relações bilaterais.

As relações entre Colômbia e Venezuela estão em crise desde 2015 e a situação se agravou com a pandemia em 2020, quando a Colômbia ordenou o fechamento de passagens de fronteira como medida sanitária.

A fronteira entre Colômbia e Venezuela, por onde passam pessoas e mercadorias há séculos, foi fechada em 2015 pelo governo Maduro após um confronto entre forças de segurança venezuelanas e civis, que Maduro atribuiu ao “paramilitarismo” na Colômbia e pelo qual culpou ex- presidente colombiano Álvaro Uribe, que na época negou as acusações.

Durante o governo Duque, o presidente da Colômbia foi um dos líderes regionais que promoveram o chamado Grupo Lima. Este surgiu em 8 de agosto de 2017 com o objetivo de buscar uma solução pacífica para a crise na Venezuela com a subscrição de vários governos de direita da região, que sancionaram política e economicamente o governo Maduro.
Após sua vitória eleitoral em junho, Petro anunciou que reabriria as fronteiras com a Venezuela para “restaurar o pleno exercício dos direitos humanos” lá. Embora a fronteira terrestre entre Colômbia e Venezuela esteja parcialmente aberta, o objetivo é abri-la completamente e restabelecer o comércio bilateral.

O comércio tem sido um dos mais afetados pelos problemas na fronteira dos dois países. Em 2008, o intercâmbio comercial entre os dois países era de cerca de US$ 7,2 bilhões, em 2015 havia caído para cerca de US$ 1,331 bilhão e em 2020 era de apenas US$ 221 milhões. E a pandemia agravou o fechamento de passagens de fronteira.

Professora é dada como morta três vezes e luta para voltar a receber benefício do INSS

Uma professora de 59 anos está vivendo um drama com o INSS, após ter o benefício cancelado por três anos consecutivos porque foi dada como morta. Mesmo provando que estava viva em 2020, 2021 e 2022, mais uma vez, Sônia Maria da Silva está sem receber o benefício. Desde fevereiro ela não recebe o dinheiro a que tem direito.

“Pelo INSS, eu estou morta, mas faço imposto de renda, vivo minha vida normal, meu CPF está normal. Mas no INSS eu sou considerada morta. O INSS cismou que eu estou morta, e eu não consigo me desvencilhar desse óbito, eu não sei mais o que eu faço”, disse Sônia.

O drama da professora começou em fevereiro de 2020, quando ela esteve no banco para fazer a prova de vida. Ela descobriu que o benefício tinha sido suspenso porque o INSS a considerava uma pessoa morta.

“Cheguei lá e o gerente falou que eu estava morta e eu pirei. Fiz prova de vida, fiquei ligando para o INSS, levei meses. Muito sofrimento, muita agonia de todo jeito, recorri, e o INSS pagou direitinho, voltou a estabilizar tudo normal”, contou Sônia.

Um ano depois, o drama se repetiu e Sônia foi dada novamente como morta. Despois de passar meses lutando, ela conseguiu voltar a receber o benefício.

Mas quando pensou que numa mais passaria pelo problema, em fevereiro deste ano, a professora foi surpreendida pela terceira vez com a suspensão do benefício.

Confundida com homônima
Ao pesquisar pela suposta certidão de óbito, descobriu no site do registro civil um documento que dizia que ela havia morrido no Hospital Souza Aguiar, no Centro.

“O óbito ressurgiu. Ele que ressuscita, e caiu no meu beneficio. Eu, Sônia Maria da Silva não sou a Sônia que morreu dia 11 de fevereiro de 2020 no Souza Aguiar. E com isso o meu nome ficou atrelado ao dela”, disse a professora.

Depois da terceira vez considerada como morta, para compensar a suspensão do benefício, Sônia teve que aumentar a carga horária do trabalho como professora na rede estadual.

“Eu estou completamente destruída, tanto na parte financeira, como na parte de saúde. Tive problema de coluna, tive problema pressão alta, vários problemas e isso não cessa. E eu não sei o que fazer”, disse Sônia.

Na tarde de segunda-feira (8), Sônia disse que ligou para o INSS e foi informada que o processo dela tinha sido encerrado. E o pior: sem que ela tivesse conseguido provar que estava viva, para desespero da professora.

“Se não fosse por meus amigos, meus parentes, as cestas básicas que eu ganhei, ajuda econômica que me emprestaram e alguns até me deram, eu não teria sobrevivido. Consegui em 2020, consegui em 2021, mas em 2022 eu não consigo. E eu fui duas vezes presencialmente no INSS e não deu em nada. Por favor, INSS, me dê uma solução”, pediu a professora.

Lula e Bolsonaro devem ter quase metade do horário eleitoral gratuito em 2022

Um levantamento feito pelo g1, com base nos critérios de distribuição estabelecidos pela lei eleitoral, aponta que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) terão os maiores tempos de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão durante o primeiro turno das eleições em 2022.

Os programas dos candidatos a presidente serão veiculados no horário eleitoral gratuito em dois blocos diários de 12 minutos e 30 segundos. Do total, 10% são divididos de maneira igual entre os partidos com candidatos ao Planalto. O restante (90%) é distribuído de forma proporcional ao tamanho da bancada da legenda do candidato.

A divisão do tempo leva em consideração o tamanho das bancadas eleitas pelas siglas na Câmara dos Deputados em 2018. Nos casos em que há coligação — união de dois ou mais partidos que pode ser desfeita ao final das eleições — são somados os tamanhos dos seis maiores partidos ou federações que integram a aliança.

Para o levantamento, o g1 utilizou o número de deputados aferido pela Corte Eleitoral ao distribuir o fundo público de financiamento de campanha, em julho.

Com a coligação “Brasil da Esperança”, Lula reuniu nove partidos – as federações Brasil da Esperança (PT, PC do B e PV) e PSOL-Rede, PSB, Solidariedade, Avante e Agir – e deve ter o maior tempo de propaganda eleitoral gratuita. Em cada bloco de propaganda, o candidato do PT deve ter 3 minutos e 28 segundos.

Jair Bolsonaro contará com o apoio de três partidos na coligação “Pelo bem do Brasil”: PL, PP e Republicanos. Com isso, o candidato à reeleição deve ter 2 minutos e 36 segundos à disposição.

Juntos, Lula e Bolsonaro devem concentrar quase 49% do tempo de cada bloco.

Candidatos de partidos que não superaram a chamada cláusula de barreira — dispositivo que estabelece critérios para que siglas possa acessar fundo partidário e propaganda eleitoral gratuita — não terão acesso ao tempo em rádio e TV.

Em 2018, o desempenho mínimo previsto na cláusula de barreira era: ter tido no mínimo, 1,5% (um e meio por cento) dos votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da Federação, com um mínimo de 1% (um por cento) dos votos válidos em cada uma delas; ou ter elegido pelo menos nove Deputados Federais distribuídos em pelo menos um terço das unidades da Federação.

A previsão é que os números oficiais sejam divulgados no próximo dia 18, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) promoverá audiência pública com representantes de partidos e emissoras de rádio e TV. É neste encontro também que o Tribunal sorteia a ordem de aparição de cada candidato. O TSE é responsável somente pela divisão dos candidatos à Presidência.

Varíola dos macacos: porta-voz da OMS condena ataque a animais e ainda estuda novo nome para a doença

Porta-voz da Organização Mundial de Saúde (OMS), a epidemiologista Margaret Harris informou nesta terça-feira (9) que o atual surto de varíola dos macacos – que ocorre em diversos países do mundo – representa um risco de transmissão que vem de humanos e condenou ataques a animais.

“A transmissão que estamos vendo agora com o grande surto de varíola dos macacos é uma transmissão de pessoa para pessoa. O vírus está em alguns animais, e vemos um salto para os humanos, mas não é isso que estamos vendo agora. O risco de transmissão vem de outro ser humano”, afirmou a especialista.

Como mostrou na segunda-feira (8) o Jornal Nacional, em menos de uma semana, sete macacos foram resgatados em áreas de mata em Rio Preto (SP) com sinais de possível intoxicação. Um outro animal também foi encontrado morto no local.

A suspeita é que esses animais tenham sido envenenados depois da confirmação de três casos positivos da varíola dos macacos na cidade, apesar de o atual surto não ter relação nenhuma com os primatas.

Harris informou ainda que a preocupação atual sobre a doença deve se concentrar no fato de que a varíola dos macacos está sendo transmitido na população humana e o que os humanos devem se atentar a medidas sanitárias de proteção ao vírus.

“Certamente, [a preocupação atual] não deveria ser sobre ataques a nenhum animal”, alertou.

A especialista destacou ainda que a maneira como a transmissão pode ser interrompida atualmente é justamente se as pessoas tomarem precauções para evitar essa transmissão, procurando ajuda médica no reconhecimento dos sintomas característicos da doença.

“Então não estigmatize nenhum animal ou qualquer ser humano porque se você fizer isso, teremos um surto muito maior”, acrescentou.

A OMS está atualmente avaliando junto com especialistas adotar um novo nome para a varíola dos macacos, depois que cientistas escreveram uma carta à organização solicitando uma nova nomenclatura “que não seja discriminatória nem estigmatizante”.

Sobre isso, a epidemiologista da OMS acrescentou que o trabalho atual da organização está em andamento, mas não estabeleceu uma data exata para a definição do novo nome.

“Há muito trabalho e teremos alguns anúncios em breve”, pontuou.

Atualmente, segundo o último balanço do Ministério da Saúde, o Brasil já contabiliza 2.004 casos confirmados de varíola dos macacos (monkeypox).

Brasileiros estão entre os que menos confiam nas Forças Armadas, diz pesquisa Ipsos feita em 28 países

Os brasileiros estão entre os que menos confiam em suas Forças Armadas quando comparados com habitantes de outros países. A revelação é da edição de 2022 da pesquisa “Confiabilidade Global”, do Instituto Ipsos, que foi realizada em 28 países entre maio e junho.

LAÇO FRACO 
De acordo com a sondagem, apenas 30% dos brasileiros acreditam nos militares. O índice é igual ao atingido entre os poloneses. E só não é mais baixo do que os verificados entre os colombianos (29%), os sul-africanos (28%) e os sul-coreanos (25%).

DEGRAU 
A taxa brasileira ficou 11 pontos percentuais abaixo da média global, de 41%. O sentimento de credibilidade também caiu em relação ao ano passado, quando 35% dos brasileiros diziam confiar nos militares.

VOCÊ TAMBÉM 
O levantamento mediu a percepção de cidadãos sobre a confiança relacionada a algumas profissões. Os políticos também não são vistos com bons olhos: 76% dos brasileiros dizem não acreditar neles. Em seguida estão ministros do governo e banqueiros, com 64% e 53%, respectivamente.

AÍ, SIM 
No outro extremo, 64% dos brasileiros que responderam à pesquisa apontaram os professores como o grupo mais confiável. Depois aparecem os cientistas (61%) e os médicos (59%). O levantamento, online, consultou 21 mil adultos ao redor do mundo entre 27 de maio e 10 de junho, dos quais mil nasceram e moram do Brasil.

MAPA
Foram ouvidos cidadãos de Argentina, Austrália, Bélgica, Canadá, Chile, China, Colômbia, França, Alemanha, Grã-Betanha, Hungria, Índia, Itália, Japão, Malásia, México, Holanda, Peru, Polônia, Arábia Saudita, África do Sul, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Turquia e EUA.

WhatsApp vai deixar você esconder que está ‘online’; veja como fazer

O WhatsApp anunciou nesta terça-feira (9) um recurso que permite esconder o “online” e o “visto por último” que aparecem nas contas, uma opção esperada há bastante tempo por muitos usuários. Ele será liberado aos poucos e estará disponível para todos ainda este mês.

O aplicativo também vai permitir deixar grupos sem que todos fiquem sabendo e bloquear capturas de tela (print screen) em mensagens de visualização única. Essas mudanças serão ativadas automaticamente e não será preciso mudar configurações da conta.

Como esconder ‘online’ e ‘visto por último’ no WhatsApp
Até então, não era possível tirar o status “online” do WhatsApp: se você abrisse o aplicativo, o aviso aparecia para todos os seus contatos. Agora será possível decidir quem pode ver esse status.

Veja como ocultar o “online” da sua conta do WhatsApp:

Nas configurações, selecione “Conta”;
Selecione “Privacidade”;
Clique em “Visto por último e online”;
Escolha quem pode ver o “visto por último” (“Todos”, “Meus contatos”, “Meus contatos, exceto…” e “Ninguém”);
Escolha quem pode ver o “online” (todos ou a mesma opção escolhida no “visto por último”).

Ao esconder o “online” e o “visto por último” de sua conta, você também não conseguirá ver essas informações nas contas de outras pessoas.

Miguel Coelho diz que vai recuperar a economia de Pernambuco

O candidato ao governo do estado Miguel Coelho afirmou nesta segunda-feira (8) que Pernambuco precisa recuperar a capacidade de investimento para voltar a ser a locomotiva do Nordeste.

Durante entrevista em Caruaru, ele renovou o compromisso de realizar o maior programa de investimento da história para transformar o estado em um grande canteiro de obras. Somente na recuperação das estradas, Miguel se comprometeu a investir R$ 400 milhões por ano, além de implementar um grande programa de duplicações de rodovias.

“Pernambuco precisa recuperar a sua capacidade de investimento. Nos últimos oito anos, nosso estado se tornou o que menos investe no Nordeste. Nosso programa de governo é muito direto. Queremos fazer o maior investimento da história do nosso estado. São R$ 12 bilhões nos próximos quatro anos. A gente quer fazer de Pernambuco um grande canteiro de obras, gerando emprego, renda e perspectiva de futuro. Com isso, Pernambuco voltará a ser a locomotiva do Nordeste”, disse o candidato do União Brasil.

Para impulsionar a geração de emprego, Miguel também defendeu um grande programa de redução de impostos e de simplificação através de um “decretaço” para reduzir pela metade o número de exigências burocráticas.

Segundo ele, Pernambuco possui 1,7 milhão de empreendedores na informalidade, que não recebem a atenção do Estado. Por isso, se eleito, vai isentar do pagamento do ICMS as empresas com faturamento de até R$ 100 mil por ano.

“Faremos isso para trazer esse empresário para a formalidade, para que ele tenha crédito subsidiado. A gente quer que ele cresça e gere emprego”, afirmou.

Cresce número de supostos casos de monkeypox entre crianças e adolescentes em Pernambuco

O boletim mais recente da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), dessa segunda-feira (8), indica que Pernambuco investiga oito casos da varíola dos macacos, causada pelo vírus monkeypox, entre crianças e adolescentes, a população dos 0 aos 19 anos. 

O total é o dobro do notificado no boletim anterior, divulgado na quinta-feira (4), quando quatro haviam sido registrados como suspeitos.

Todos os casos ainda são considerados suspeitos e seguem em investigação. Nenhuma infecção na faixa etária foi confirmada até o momento, segundo a SES-PE.

A secretaria não deu mais detalhes sobre os casos suspeitos. Esses 33 casos que estão em investigação são de pessoas residentes nos municípios de Recife (11), Limoeiro (5), Pesqueira (3), Paulista (2), Abreu e Lima (2), Araçoiaba (1), Camaragibe (1), Gameleira (1), Ipojuca (1), Jaboatão dos Guararapes (1), Petrolina (1), Olinda (1), Timbaúba (1), Inajá (1) e São Paulo (1).

As faixas etárias são: 0 a 5 (1), 10 a 19 (7), 20 a 29 (9), 30 a 39 (9), 40 a 49 (5) e 50 a 59 (2), sendo 26 do sexo masculino e sete do sexo feminino. Os casos notificados estão sendo acompanhados pelas equipes de vigilância epidemiológica municipais.

O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância à Saúde (Cievs-PE) contabiliza, até o momento, 47 notificações, sendo 33 casos que ainda estão em investigação, 13 confirmados e um caso descartado.

Entre as notificações, 13 pacientes tiveram confirmação laboratorial para o vírus e envolvem pessoas residentes nos municípios do Recife (8) e de Jaboatão dos Guararapes (2), Paulista (1), além de dois casos de outros estados, Rio de Janeiro (1) e São Paulo (1).

As faixas etárias são: 20 a 29 (6), 30 a 39 (4) e 40 a 49 (3). Todos os infectados são do sexo masculino. Dos confirmados, todos estão em isolamento domiciliar.

“Até o momento, não há evidências de que Pernambuco registre a transmissão local da monkeypox”, segundo a SES-PE.

Em todos os casos confirmados, as equipes de vigilância conseguiram identificar vínculo epidemiológico entre os pacientes e pessoas que apresentaram histórico de viagem e/ou que se deslocaram para fora do Estado, em locais que já confirmaram transmissão autóctone da doença.

Plano de governo de Lula prevê nova lei trabalhista, valorizar salário mínimo e ‘Bolsa Família renovado e ampliado’

O plano de governo apresentado pelo candidato Lula (PT) propõe a criação de uma nova lei trabalhista. O documento foi apresentado no site do Tribunal Superior Eleitoral no domingo (7) e conta com principais ações ligadas à economia.

Sob o título “Compromissos para a reconstrução e transformação do país”, são apresentadas 121 pontos pelos nove partidos que compõe a aliança Lula/Geraldo Alckmin: PT, PSB (partido do vice), PC do B, PV, Psol, Rede, Solidariedade, Avante e Agir.

Entre os pontos citados pelo ex-presidente no documento está propor uma nova legislação trabalhista “de extensa proteção social a todas as formas de ocupação”.

O trecho cita trabalhadores autônomos, domésticos, home office e profissionais que atuam mediados pro aplicativos e plataformas. A proposta pretende revogar “os marcos regressivos da atual legislação trabalhista, agravados pela última reforma e reestabelecendo o acesso gratuito à justiça do trabalho”.

Lula defende reestabelecer uma política para valorizar o salário mínimo para recuperar o “poder de compra de trabalhadores, trabalhadoras, e dos beneficiários e beneficiárias de políticas previdenciárias e assistenciais”.

Em 2007, o ex-presidente atrelou o crescimento do salário mínimo à soma da inflação do ano anterior e o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do país. A medida fez o valor ter ganho real de um ano para o outro. Atualmente, o salário é corrigido exclusivamente pela inflação de 12 meses.

Combate à fome e volta do Bolsa Família

A proposta enviada ao TSE repete o discurso de “colocar o povo no orçamento”, adotado por Lula em eventos pelo país.

Coloca como central e estratégia a “urgência no enfrentamento da fome e da pobreza, assim como a garantia dos direitos à segurança alimentar e nutricional e à assistência social”, diz o texto.

Para tal, Lula propõe implantar com urgência um “programa Bolsa Família renovado e ampliado” para que se “recupere as principais características do projeto que se tornou referência mundial de combate à fome e ao trabalho infantil e que inove ainda mais na ampliação da garantia de cidadania para os mais vulneráveis”.

A proposta não detalha valores a serem pagos pelo novo programa social, que substituiria o atual Auxílio Brasil — e que entrou no lugar do antigo Bolsa Família. Define que haverá etapas de renda e transição entre elas para criar um “sistema universal e uma renda básica de cidadania”.

Brasil de 2023 terá ‘herança maldita’ em todas as áreas das políticas públicas, diz economista

Após o lançamento das cartas em defesa da democracia, um grupo de cientistas políticos soma ao documento um conjunto de ideias para o próximo governo lidar com a economia brasileira que, segundo Bernard Appy, terá pela frente um contexto desafiador.

“Nesse momento tem uma herança maldita: tem uma série de áreas das políticas públicas que foram literalmente desmontadas na área ambiental, na saúde, na área de educação, que teve um retrocesso na gestão federal da política nos últimos anos. E aí tem, obviamente, toda essa flexibilização da política fiscal, não apenas no teto dos gastos, mas também através de uma série de medidas temporárias que se encerram em 31 de dezembro desse ano.”

Intitulado “Contribuições para um Governo Democrático e Progressista”, o texto assinado por Bernardo Appy apresenta as propostas elaboradas por um grupo composto pelo cientista político Sérgio Fausto, pelo jurista Carlos Ari Sundfeld, pelo cientista político Marcelo Medeiros e pelos economistas Pérsio Arida e Francisco Gaetani.

Para o diretor do Centro de Cidadania Fiscal, é necessária uma “política fiscal de transição” para os próximos 4 anos, em que o excedente ao teto seja 1% do PIB, focalizado exclusivamente em políticas de distribuição de renda e em investimentos em ciência e proteção ambiental.

Appy ainda enfatiza a necessidade de que uma reforma tributária a partir de 2023 leve em consideração a inclusão dos trabalhadores informais. E explica por que o documento será entregue a todos os candidatos à Presidência, exceção feita a Jair Bolsonaro: “A defesa do Estado democrático de direito é pressuposto básico”.

Auxílio Brasil: parcela de R$ 600 começa a ser paga nesta terça-feira; veja calendário

Com a antecipação do calendário de pagamentos do Auxílio Brasil em agosto, tem início nesta terça-feira (9) a liberação de verbas para os beneficiários com o Número de Identificação Social (NIS) com final 1. Os demais grupos receberão os pagamentos até o dia 22.

As datas das parcelas do Auxílio Brasil referentes aos outros meses restantes do ano (setembro, outubro, novembro e dezembro) não foram afetadas.

Também começam, nesta terça-feira (9), o pagamento do auxílio gás no valor de R$ 110 a 5,6 milhões de famílias, e o auxílio caminhoneiro com duas parcelas referentes aos meses de julho e agosto.

Um total de 20,2 milhões de beneficiários em condição de vulnerabilidade social vai receber o mínimo de R$ 600 neste mês referente ao Auxílio Brasil.

O adicional de R$ 200 para o Auxílio Brasil, que eleva o valor mínimo do benefício de R$ 400 para R$ 600, será válido entre agosto e dezembro deste ano. Esse acréscimo no valor do Auxílio Brasil está dentro da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) e prevê gastos de R$ 41,2 bilhões em medidas de auxílio à população pobre e a algumas categorias profissionais.

O investimento total para o pagamento do Auxílio Brasil em agosto de 2022 é superior a R$ R$ 12,1 bilhões. O valor médio é de R$ 607,88. Além do benefício principal, há benefícios complementares pagos de acordo com os perfis das famílias, como o Auxílio Esporte Escolar, a Bolsa de Iniciação Científica Júnior e o Auxílio Inclusão Produtiva Rural.

O Auxílio Brasil é destinado a famílias em situação de extrema pobreza. Famílias em situação de pobreza também podem receber, desde que tenham, entre seus membros, gestantes ou pessoas com menos de 21 anos.

As famílias em situação de extrema pobreza são aquelas que possuem renda familiar mensal per capita de até R$ 105, e as em situação de pobreza renda familiar mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210.