Sandrinho Palmeira diz avaliar medidas restritivas com Cimpajeú

Gestor decidiu manter fogueiras na zona rural e disse que avalia eficácia de medidas como as de Itapetim. Ele revelou que não tomou vacina sendo diabético, para evitar polêmica. Disciplinamento do trânsito deve avançar e há promessa de quinze entregas na programação  de emancipação

O prefeito de Afogados da Ingazeira, Sandrinho Palmeira, disse ao Debate das Dez da Rádio Pajeú que faz avaliação positiva dos praticamente primeiros seis meses de gestão, apesar da pandemia de coronavírus.

Aliás, a pandemia consumiu boa parte do tempo de fala do gestor. Perguntado se tomaria as mesmas medidas adotadas por Adelmo Moura, Sandrinho disse considerar o toque de recolher, mas afirmou não ter certeza da eficácia da proibição de venda de álcool sobre a alegação de que muitos conseguem driblar a determinação.

Sandrinho concorda e informou que o Cimpajeú deve puxar um debate sobre medidas adicionais lineares. Ele defendeu a decisão de antecipar a feira livre para sexta por conta do impacto do fechamento para quem comercializa frutas e verduras, inclusive na base da agricultura familiar.

O prefeito confirmou que ainda não tomou a vacina contra Covid para evitar polêmicas, mas que é do grupo de risco, portador de Diabettes Melittus. “Vou esperar minha faixa etária, está pertinho”, disse o gestor de 43 anos.

Palmeira disse sobre as fogueiras que, diante da tradição junina, está tomada a mesma decisão do ano anterior, com liberação para as comunidades rurais sem aglomeração. Ele seguiu o mesmo entendimento do promotor Lúcio Almeida que afirmou, diante da tradição, ser impossível impedir  essas manifestações na zona rural  e que o ano passado já trouxe um resultado positivo.

Sobre o trânsito, admitiu que há sérios problemas e adiantou a vinda ontem de uma equipe que fez uma análise preliminar dos gargalos. A equipe, composta pelo pós graduado em engenharia de trânsito Elucinaldo Laurindo, pelo arquiteto urbanista Caíque Maciel, e pelo engenheiro civil David Araújo, visitou “in loco” vias públicas como a Avenidas Rio Branco e Manoel Borba, Ruas Barão de Lucena, Henrique Dias, Senador Paulo Guerra, Antônio Rafael de Freitas, 15 de Novembro, Praça Monsenhor Alfredo de Arruda Câmara, dentre outras, que concentram boa parte do volume de tráfego na cidade, com várias situações de congestionamento.

Apesar de a municipalização só sair em 2022, Palmeira garantiu que medidas já serão tomadas, dado o conturbado trânsito. “Eles me disseram não saber como não houve um acidente mais grave”. Três modelos de trânsito serão avaliados.

O prefeito disse ainda que no cronograma de ações, serão quinze entregas para a emancipação política. Sobre medidas que espera entregar até o fim desse ciclo, a ponte que liga Pacús ao São Francisco, a municipalização do trânsito e o tratamento de resíduos sólidos.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s