Adolescente morre após cair no chão e ficar desacordado ao ser agredido por colega dentro de escola pública de referência

Um estudante de 17 anos morreu após cair no chão e ficar desacordado ao ser agredido por outro aluno, de 15 anos, dentro de uma escola pública de referência no bairro do Curado 1, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. As informações são da Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco.

A Polícia Civil investiga o caso, que aconteceu na terça-feira (22) em um corredor da Escola de Referência em Ensino Médio Frei Romeu Peréa, durante o intervalo das aulas.

Inicialmente, a secretaria se referiu ao caso como uma “brincadeira” entre os colegas, mas, posteriormente, enviou uma nota classificando o ocorrido como uma “agressão”. O governo também disse que a equipe da escola prestou o socorro imediato de Mateus Henrique Leal de Souza, que foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Curado, onde morreu.

No texto, a secretaria também afirmou que acionou policiais militares da Patrulha Escolar. E que, ao chegar à escola, a Polícia Militar “conduziu o estudante agressor, de 15 anos, ao Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), por se tratar de um caso de crime contra a vida“. O nome dele não foi divulgado.

Homicídio culposo

O adolescente de 15 anos foi ouvido na delegacia na terça-feira (22), na presença da mãe e do gestor da escola. Ainda segundo o governo do estado, foi instaurado um procedimento especial de menor (PEM) tipificado, inicialmente, como homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

O estudante fica sob a guarda dos responsáveis e os autos da investigação devem ser encaminhados ao Ministério Público de Pernambuco, para providências cabíveis, de acordo com o governo estadual. A secretaria também lamentou o fato e afirmou estar apoiando as famílias dos jovens.

Por meio de nota, a Polícia Civil declarou que um ato infracional por homicídio culposo foi registrado pela Força Tarefa de Homicídios da Região Metropolitana Sul. “O corpo foi encaminhado para o IML [Instituto de Medicina Legal] da capital. As investigações seguirão até a completa elucidação”, disse a corporação, no texto.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s