Vaticano acusa 10 pessoas, incluindo um cardeal, por supostos crimes financeiros

Um juiz do Vaticano ordenou, no sábado (3), que 10 pessoas ligadas à Igreja Católica — entre elas um cardeal italiano — fossem julgadas por supostos crimes financeiros, incluindo peculato, lavagem de dinheiro, fraude, extorsão e abuso de poder.

Entre os indiciados, está o cardeal Angelo Becciu, que foi demitido pelo Papa Francisco no ano passado, os ex-chefes da unidade de inteligência financeira do Vaticano e dois corretores italianos envolvidos na compra de um prédio em uma área luxuosa de Londres pelo Vaticano.

Becciu, que sempre alegou inocência durante a investigação que durou dois anos, tornou-se o oficial da Igreja de mais alta patente a ser indiciado por supostos crimes financeiros.

De acordo com a lei da Igreja, o papa aprovou pessoalmente a decisão do juiz de investigar e indiciar Becciu. As acusações contra ele incluem peculato e abuso de poder. Uma mulher italiana que trabalhava para Becciu foi acusada de peculato.

Os corretores italianos Gianluigi Torzi e Raffaele Mincione foram indiciados por estelionato, fraude e lavagem de dinheiro. Torzi, para quem magistrados italianos emitiram um mandado de prisão em abril, também foi acusado de extorsão.

Ambos negaram irregularidades.

Quatro empresas associadas a réus, duas na Suíça, uma nos Estados Unidos e uma na Eslovênia, também foram indiciadas.

O julgamento deve começar em 27 de julho no Vaticano, disse um comunicado.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s