A pedido, ministro do STF Alexandre de Moraes recebe ministro da Justiça em São Paulo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, recebeu nesta sexta-feira (10) em São Paulo o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Anderson Torres.

Alexandre de Moraes atendeu a um pedido de Torres para o encontro, que durou mais de quatro horas.

O ministro é o integrante do STF mais atacado pelo presidente Jair Bolsonaro. Nos atos políticos dos quais o presidente participou na última terça (7) em Brasília e São Paulo, Bolsonaro o chamou de “canalha”, disse que não mais cumpriria decisões dele e ameaçou o presidente do STF, Luiz Fux: “Ou o chefe desse poder enquadra o seu [Moraes] ou esse poder pode sofrer aquilo que nós não queremos”.

Alexandre de Moraes é o ministro responsável pelo inquérito em tramitação no Supremo que apura a organização de atos contra a democracia. Com base nesse inquérito, ele já determinou a prisão de aliados do presidente da República e de militantes bolsonaristas, o que provocou contrariedade em Bolsonaro.

Para solicitar o encontro com o ministro do STF, Torres aproveitou uma viagem a São Paulo para uma visita à Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em São Paulo. Na Febraban, ele discutiu a criação de uma estratégia nacional de combate a crimes cibernéticos. Mas na semana passada a Febraban se tornou alvo do governo, que ameaçou desfiliar a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil da entidade devido à adesão da federação dos bancos a um manifesto pela democracia.

Sobre o encontro com Moraes, Torres afirmou que foi uma “conversa republicana” que “precisa e deve ser conduzida pelo Ministério da Justiça” e teve por objetivo “o futuro das boas relações institucionais do Brasil”.

Nesta quinta-feira, Bolsonaro se retratou das agressões e insultos a Alexandre de Moraes, por meio da divulgação de um texto intitulado “Declaração à Nação”. O texto, assinado por Bolsonaro, foi redigido pelo ex-presidente Michel Temer, que foi chamado para um encontro com o presidente no Palácio do Planalto.

Na “Declaração à Nação”, Bolsonaro diz que nunca teve “intenção de agredir quaisquer dos poderes”. Segundo ele, apesar das “qualidades” de Moraes como jurista e professor, as “divergências” decorriam de “conflitos de entendimento” com o ministro.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s