Alta de casos de gripe provoca falta de Tamiflu em farmácias de SP; fabricante nega desabastecimento

Com a alta de casos de gripe na cidade de São Paulo, farmácias da capital relatam a falta do medicamento fosfato de oseltamivir, o Tamiflu. O remédio é prescrito para pacientes que apresentam Síndrome Gripal (SG) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

O g1 foi até três farmácias na Zona Oeste nesta quinta-feira (23) e todas informaram que o medicamento estava em falta na unidade e na rede.

Na Drogaria São Paulo, atendentes afirmaram que aumentou a procura e que há alguns dias o grupo não está recebendo novas remessas. Já atendentes da Drogasil disseram que o Tamiflu está em falta há cerca de três dias. “É um dos medicamentos que as pessoas mais estão procurando ultimamente, mas está em falta”, disse uma funcionária.

Na rede Panvel, o produto foi entregue na semana passada, porém, todas as unidades foram vendidas no primeiro dia. “Nenhuma loja tem, acho que foram entregues 800 unidades e vendeu tudo no primeiro dia que chegou, não temos nem previsão de quando vai chegar”, afirmou uma balconista.

Ele conta que foi até três farmácias na região da Mooca e não encontrou o Tamiflu. “Fui na Drogasil, Droga Raia, Rede Pague Menos e em dois postos de saúde. Uma funcionária do primeiro posto me informou que o medicamento tinha acabado, no segundo posto também estava em falta. Em todas as farmácias que fui, os funcionários consultaram o sistema e me disseram que estava sem Tamiflu em toda a rede.”

Márcio encontrou o medicamento em uma unidade de manipulação da rede Sinete, onde uma atendente afirmou que a matéria-prima para a manipulação do remédio estava em falta e que eles tinham apenas três unidades do remédio.

Amanda Roldan, de 32 anos, montou uma força-tarefa com os familiares em busca do Tamiflu para a irmã de 23 anos, que testou positivo para o vírus da gripe na quarta (22). “Procuramos em farmácias na capital e em Embu das Artes, onde os meus pais moram. Não encontramos em nenhum lugar, também fui nas drogarias da região da Paulista e nenhuma tinha. Em todas, os funcionários informaram que muita gente estava procurando”, afirma.

Ela conta que, por volta das 21h, conseguiram encontrar uma unidade do remédio em uma farmácia da região da Vila Mascote, na Zona Sul.

Pelas redes sociais, internautas também relatam a dificuldade em achar o produto.

Em nota, a fabricante Roche Farma Brasil, informou que “sua operação logística em relação ao medicamento Tamiflu (fosfato de oseltamivir), considerando abastecimento e distribuição, segue normalizada em todo o território nacional”.

Disse ainda que a “empresa permanece atendendo aos pedidos recebidos em sua totalidade, sem atrasos no que se refere ao prazo de entrega pré-estabelecido com clientes. Comprometida em responder com urgência à sazonal e crescente demanda pela medicação”.

A Abrafarma, que representa as principais redes de farmácias e drogarias, informou que não recebeu, até o momento, relatos de desabastecimento do produto.

O g1 procurou as empresas Drogasil, Drogaria São Paulo e Pavanel para falar sobre o desabastecimento.

A Drogaria São Paulo informou que, “por conta de um crescimento repentino na procura desse medicamento, identificou uma ruptura pontual no estoque de algumas lojas. A drogaria informa ainda que um reforço no estoque já foi providenciado e será enviado em caráter de urgência às lojas da rede”.

A Panvel, por nota, informou que “a alta demanda registrada nos últimos dias pelo Tamiflu esgotou os estoques do medicamento em São Paulo. A Panvel já solicitou reposição e vai receber novas remessas na próxima semana, inclusive dos medicamentos genéricos”.

A Drogasil não respondeu até a última atualização desta reportagem.

O medicamento pode também ser obtido gratuitamente na rede de serviços de saúde do município. Para isso, segundo a Secretaria Municipal da Saúde, os pacientes não internados, familiares ou responsáveis devem se dirigir a um dos 493 postos em que o remédio está disponível, levando a prescrição médica, em receituário simples, emitida por serviços públicos ou privados.

Em nota, a secretaria informou que o “oseltamivir, princípio ativo do Tamiflu, é de aquisição e distribuição centralizada pelo Ministério da Saúde para os estados, e que foram solicitados à Secretaria Estadual da Saúde novos quantitativos para atendimento aos pacientes. No entanto, as unidades municipais de saúde estão abastecidas”.

A respeito das UBSs da Mooca citadas, a secretaria informou que os estoques da UBS Mooca I foram abastecidos nesta sexta e os do Ambulatório de Especialidades Ítalo Domingos Le Vocci serão abastecidos na segunda-feira (27).

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s