Municípios pernambucanos relatam falta de alguns medicamentos, afirma André Longo

Produtos fundamentais como dipirona, salbutamol e soro fisiológico estão em falta na prateleira das farmácias e nas unidades de saúde de alguns municípios pernambucanos. O problema não acontece apenas em Pernambuco, outros estados como o Rio Grande do Sul também passam pela mesma dificuldade. De acordo com o secretário de Saúde do Estado, André Longo, a Guerra na Ucrânia e o lockdown na China são alguns dos motivos para a escassez dos insumos.

O crescimento das doenças respiratórias nas crianças também é um fator que incentiva a alta procura pelos medicamentos. Pais e responsáveis veem nas prateleiras dos estabelecimentos a falta de antibióticos essenciais para os pequenos.

“Infelizmente estamos recebendo alguns relatos pontuais de falta de alguns medicamentos por parte de alguns municípios e de algumas unidades de pronto atendimento, e de emergência”, destacou.

O problema não atinge somente a rede pública, mas também a rede privada de saúde. “Temos buscado resolver o problema com compras emergenciais, e com empréstimos de outras unidades. Isso é uma realidade da rede pública e da rede privada. É fato que a Guerra na Ucrânia, o lockdown da China e outras coisas fizeram com que insumos ficassem mais escassos e os custos de produção aumentassem. A indústria se retraiu na fabricação de algumas medicações”, pontuou o secretário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s