Com chegada do 5G, antenas parabólicas passam a receber interferência no sinal em Brasília; veja o que fazer

A ativação da quinta geração de internet móvel — o 5G — em Brasília, nesta quarta-feira (6), vem acompanhada de algumas mudanças tecnológicas na capital. Uma delas diz respeito às antenas parabólicas, que podem começar a sofrer interferência para receber o sinal da TV aberta.

A capital, primeira cidade do país a contar com o 5G, tem atualmente 3.341 antenas parabólicas, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Por isso, quem usa esses equipamentos vai ter que trocar o aparelho por um digital para não perder o sinal televisivo. O prazo para que transmissão da TV aberta pare de funcionar nas parabólicas é de 18 meses.

As novas antenas podem ser internas, instaladas ao lado dos televisores, ou externas, colocadas nos telhados. Para famílias que fazem parte do Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico), a mudança para a antena digital pode ser feita de maneira gratuita.

O professor do Departamento de Engenharia Elétrica da UnB Ugo Dias aponta ainda que, se o consumidor possui TV por assinatura, não é preciso fazer nenhuma mudança após a chegada do 5G na capital.

“As redes de celulares 5G não vão influenciar qualquer outro equipamento do nosso dia a dia. Só esse sistema de TV por parabólica vai ser afetado”, afirma o docente.

Atualmente, as antenas parabólicas operam na banda C, ou seja, em 3,5 GHz, explica o diretor-conselheiro da Anatel Moisés Queiroz Moreira.

O especialista aponta que a frequência é a mesma que será usada pelo 5G. “Quando [o 5G] for ligado, quem tem antena parabólica sofrerá interferência”, aponta Moreira.

O prazo para que a transmissão pela antena parabólica pare de funcionar em 18 meses, contando a partir desta quarta-feira, conforme determinação do governo federal. Para evitar prejuízos ao serviço, a TV aberta migrará para a banda Ku, segundo especialistas.

No Brasil, a antena parabólica estava presente em 27% dos lares em 2019, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s