PF vê indícios de que Bolsonaro cometeu crime ao associar vacina da Covid com risco de pegar Aids

A Polícia Federal afirmou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que há indícios de que o presidente Jair Bolsonaro cometeu crime ao associar a vacina contra a Covid-19 com o risco de contrair Aids.

A associação não corresponde à verdade. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e outras autoridades de saúde já esclareceram que as vacinas não trazem doenças. Pelo contrário, evitam contaminação. 

A delegada Lorena Lima Nascimento, responsável pelo caso, pediu autorização do STF para indiciar Bolsonaro e o ajudante de ordens tenente Mauro Cid , que ajudou a produzir o material divulgado pelo presidente. A PF concluiu que os dois praticaram incitação ao crime, conduta prevista no código penal e que pode dar prisão de três a seis meses. 

De acordo com a PF, o presidente “disseminou, de forma livre, voluntária e consciente, informações que não correspondiam ao texto original de sua fonte, provocando potencialmente alarma de perigo inexistente aos expectadores”. 

O relatório afirma anda que a conduta de Bolsonaro acabou por incentivar nos espectadores das lives o descumprimento de normas sanitárias estabelecidas pelo próprio governo. 

A PF pede ainda que seja autorizada a tomada de depoimento de Bolsonaro.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s