Deputado do RS diz que estudantes de universidades deveriam ser ‘queimados vivos’; MPF abre procedimento

O Ministério Público Federal (MPF) informou nesta sexta-feira (21) que está instaurando um procedimento para averiguar a manifestação publicada pelo deputado federal Bibo Nunes (PL) pelo Rio Grande do Sul em suas redes sociais. No vídeo, Bibo diz que estudantes das universidades federais de Santa Maria (UFSM) e Pelotas (UFPEL) “merecem queimar vivos”. A ação do MPF atende representação do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdeci Oliveira (PT), e do radialista Luciano Guerra.

O comentário foi feito contra alunos da universidade da cidade onde incêndio na boate Kiss matou 242 em 2013. Os quatro réus foram soltos após a anulação do julgamento ocorrido em dezembro de 2021.

Na imagem, Bibo faz ofensas aos alunos, chamando-os de inúteis, lixo, escória e até de “débeis mentais”. Na sequência, diz que os alunos mereciam ser queimados vivos.

“Ser rico e não ter noção, como esses aí. É o filme ‘Tropa de Elite’. Sabe o que aconteceu? Olha o filme ‘um’. Pegaram aqueles coitadinhos, aqueles riquinhos ajudando pobre e que se deram mal e queimaram vivos. Queimaram vivo dentro de pneus, queimaram vivo, e é isso que esses estudantes alienados, filhos de papai e que têm grana merecem. Não que eu queira isso, mas eles merecem porque eles estão arriscando acabar com o nosso Brasil”, diz.

Em nota, a gestão central da UFPel informou que a declaração do deputado federal é “algo torpe e vil” e que “o sentimento é de tamanha indignação, incredulidade e verdadeira tristeza”.

Também por meio de nota, a reitoria da UFSM, repudiou “todo e qualquer discurso de ódio, de falta de civilidade, que não tolere as diferentes opiniões ideológicas e políticas e que incentive agressões”.

No vídeo, o deputado federal criticou os alunos por atos em protesto ao presidente Jair Bolsonaro (PL) devido a cortes financeiros na área da educação. Bibo negou que tenha dito que os estudantes merecessem queimar vivos.

A publicação é do dia 9 de outubro, mas viralizou nesta semana depois de uma manifestação de um ex-reitor da UFSM, o professor Paulo Afonso Burmann, que usou um trecho do vídeo para criticá-lo. O ex-reitor reagiu em defesa dos estudantes com uma publicação feita no último domingo (16) no seu perfil nas redes sociais:

“Professor Paulo Burmann segue em defesa da educação da ciência, da UFSM e UFPel e dos estudantes, diante de mais um ataque do gabinete do ódio, que quer a destruição da universidade e, com ela, das oportunidades para milhões de jovens brasileiros”, diz o texto que acompanha uma versão editada do vídeo do deputado federal.

Por meio de nota, a União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Sul (UEE-RS) repudiou o que considera mais um “ataque cruel proferido por Bibo Nunes”. A entidade se solidarizou com os colegas e reforçou seu compromisso em “derrotar todos os inimigos da educação.”

A educação pública vem sendo atacada pelo governo federal e seus aliados desde que Bolsonaro assumiu a presidência. Cortes orçamentários, desrespeito à autonomia universitária, criminalização do movimento estudantil e mesmo assim nossas universidades não pararam! A maior parte da produção científica do nosso país é desenvolvida na universidade, estamos nos rankings de melhores universidades da América Latina e do Mundo, formamos excelentes profissionais e no período mais recente fomos essenciais no controle da pandemia“, diz a nota.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s