Eleitores desistem de votar após demora de transporte

Moradores de diversos pontos de Macapá, que tiveram o passe livre garantido pela prefeitura na área urbana para votarem no 2º turno das eleições, reclamam que não conseguiram utilizar o transporte público ou que demorou mais de 3h para a chegada do coletivo. O tribunal Reginal Eleitoral (TRE) do Amapá informou que constatou “a veracidade da notícia” e que “fará incidir as obrigações penais”.

A Companhia de Transportes e Trânsito de Macapá (CTMac) disse que houve baixa no número de coletivos porque os motoristas faltaram em função de comemorações após o jogo da Libertadores.

Alberto Días, morador do Conjunto Habitacional Macapaba 2, na Zona Norte de Macapá, falou sobre as dificuldades que os eleitores passam no local.

“Fiquei de 8h até 10h20 esperando até aparecer uma equipe da CTMac, fiz a denúncia e eles acionaram a empresa. 40 minutos depois apareceu o primeiro ônibus, sendo que nesse período muitos desistiram”, disse.

No Bairro Boné Azul, também na Zona Norte da capital, o Rafael Henrique dos Santos Monteiro, ficou mais de 2h esperando e só conseguiu votar porque recebeu ajuda.

“Eu pego qualquer ônibus pra chegar no Centro mais nenhum passou, mas o que eu mais esperava era Brasil novo e Macapaba. Eu só consegui votar porque meu vizinho me levou”, falou.

Até no Centro de Macapá, onde os usuários esperavam encontrar mais facilidade não foi diferente. A Dayane Teixeira disse que ficou cerca de 3h à espera, na Avenida Fab.

“Eu voto na Escola Erther Virgulino lá no Infraero 1 e estou na espera pelo Infraero 1 ou o Amazonas [linhas de ônibus]. Eu já estou até quase desistindo de ir por toda essa demora”, desabafou.

O corregedor eleitoral do TRE, desembargador João Lages, informou que recebeu a denúncia e que as equipes foram às ruas e constataram a falta de ônibus.

“Fomos para as ruas e constatamos a veracidade da notícia, não havia ônibus circulando em quantidade como deveria circular e isso fez que acionassem o sistema da Justiça Eleitoral e a Polícia Federal”, detalhou.

Em seguida, houve uma reunião com os empresários responsáveis pelos ônibus, que teriam se comprometido a resolverem o problema. No entanto, o desembargador informou que as denúncias serão apuradas e que terão consequências penais caso confirmadas.

“Aqueles eleitores que estão aguardando o transporte para votar, que se por um acaso o problema continuar, entre em contato com a Justiça Eleitoral mais próxima. Pode contactar com nosso servidores, a Polícia Federal, o Ministério Público, que estão na rua, nos colégios de votação, basta comunicar e acionar a corregedoria eleitoral que nós faremos incidir as obrigações inclusive penais para aqueles que descumpriram a determinação legal”, completou.

O chefe do Departamento de Fiscalização e Vistoria da CTMac, Manoel Filho, disse que mesmo com a baixa em função da falta dos motoristas, já estão sendo tomadas providências e devem ser chamados motoristas que estavam de folga, pagando diárias para quem se possa garantir até as 19h o transporte gratuito.

“A CTMac junto com a guarda municipal está desde 6h da manhã nas empresas de ônibus para garantir o transporte seguro e de qualidade gratuito para todo cidadão. Estamos com 4 equipes fiscalizando, não só as empresas, mas também os terminais de ônibus.”

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s