Todos os posts de Alexandre Rafael

Afogados perde para o quase eliminado Globo-RN e segue fora do G-4

O Globo-RN venceu o Afogados por 2 a 0 neste domingo, no estádio Barretão, em duelo válido pela 11ª rodada do grupo 3. Os gols da partida foram marcados por Alllyson, que entrou no segundo tempo. O time pernambucano desperdiçou a chance de voltar ao G-4.

Mesmo com a vitória, o Globo está praticamente eliminado da Série D. A equipe segue na penúltima posição, agora com oito pontos. Já o Afogados, perdeu a chance de voltar ao G-4 e permanece na quinta posição, com 15 pontos.

A Águia joga novamente no sábado, contra o Retrô, mais uma vez no estádio Barrettão, às 15h. O Afogados entra em campo no domingo e faz uma partida decisiva contra o América-RN, às 16h, no estádio Vianão.

O jogo começou bem equilibrado. As duas equipes conseguiram chances claras de abrir o placar. Breninho e Anderson Chaves receberam dois bons passes, saíram de frente com o goleiro Mizael, mas desperdiçaram. Pelo lado do Globo, Joãozinho teve a mesma oportunidade. O atacante driblou Léo aos 20 minutos, mas deixou a bola escapar. Os donos da casa ainda investiram nos chutes de fora da área, mas sem sucesso.

O Afogados começou a etapa final dando sinais de que iria mandar no jogo. Mizael fez boas defesas nas finalizações de Rogerinho e Thauã nos sete primeiros minutos. Mas o perigo dos visitantes parou aí. O Globo cresceu e aproveitou as falhas defensivas da Coruja. Allyson entrou na partida e marcou o primeiro aos 17 minutos. A Águia seguiu em cima. Mattheus Silva ainda teve a chance de empatar aos 37, mas chutou o rebote da falta no travessão. Já nos acréscimos, Allyson ganhou da defesa e saiu de frente com Léo para marcar o segundo na partida.

‘Isso é um show de São João, não é um comício’, diz Elba Ramalho ao ouvir gritos de ‘Fora Bolsonaro’ durante festa em Salvador

Elba Ramalho durante show em Salvador — Foto: Thiago Del Rey

A cantora Elba Ramalho interrompeu parte do público que gritava “Fora Bolsonaro”, na festa de São João, no Parque de Exposições, em Salvador, e falou: “Isso é um show de São João, não é um comício”. O fato aconteceu neste domingo (26).

Em seguida, a cantora chamou uma ação, que aconteceria com a exibição de um vídeo. Enquanto a transmissão carregava, o público começou a cantar: “Olê, olê, olá, Lula, Lula!”.

Em resposta, Elba Ramalho afirmou: “A plateia está se manifestando. Como a gente vive em um país democrático, tem que deixar. Cada um tem o presidente que merece”.

Após esperar o público parar de cantar, Elba Ramalho continuou o show.

Confira o vídeo:

Vacinas salvaram 20 milhões de vidas em um ano, aponta novo estudo

As vacinas contra a Covid-19 salvaram quase 20 milhões de vidas durante o primeiro ano de sua existência, segundo estimativas feitas por pesquisadores do Imperial College London. O estudo foi publicado na revista The Lancet Infectious Diseases. Os cientistas consideraram os imunizantes da Pfizer, AstraZeneca e Moderna.

O trabalho calculou os benefícios das vacinas e chegou à conclusão de que os imunizantes salvaram 19,8 milhões de vidas em 185 países nos primeiros 12 meses de uso. Os cientistas estimaram que 12,2 milhões de vidas foram salvas em países ricos e mais 7,5 milhões de vidas foram salvas em países cobertos pela iniciativa Covid-19 Vaccine Access (Covax), projetada para fornecer vacinas a nações mais pobres.

No entanto, os pesquisadores também descobriram que mais 600 mil mortes poderiam ter sido evitadas se a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de vacinar 40% da população em todos os países até o final de 2021 fosse cumprida.

A maioria das mortes evitáveis ocorreu no continente africano. Atualmente, apenas 60% da população mundial recebeu as duas doses primárias de uma vacina contra a Covid.

Das vidas salvas, os especialistas estimam que 15,5 milhões delas foram resultado dos imunizantes que protegem contra sintomas graves de Covid. Estima-se que outras 4,3 milhões de mortes foram evitadas indiretamente pelas vacinas de Covid, ajudando a reduzir a transmissão e impedindo a sobrecarga dos sistemas de saúde.

No estudo, os pesquisadores afirmam que a aplicação das vacinas representou uma redução global de 63% no total de mortes (19,8 milhões de 31,4 milhões) durante o primeiro ano de vacinação contra a Covid-19.

O estudo analisou dados sobre taxas de vacinação, mortes por Covid e excesso de registros de óbitos. Especialistas da Universidade Johns Hopkins estimam que 6,3 milhões de pessoas morreram de Covid em todo o mundo. Enquanto isso, cerca de 11,6 bilhões de imunizantes foram entregues.

“A alta proteção em nível individual contra doenças graves e mortalidade devido à Covid-19, bem como o benefício em nível populacional proporcionado pela proteção leve contra a infecção pelo coronavírus (antes do surgimento da variante Ômicron), conferida pela vacinação, alterou fundamentalmente o curso da pandemia de Covid-19”, escreveram os pesquisadores no estudo.

Líderes do G7 zombam da imagem de homem forte de Putin: “Temos que mostrar nossos peitorais”

Líderes do G7, reunidos em uma cúpula no sul da Alemanha neste domingo (26), zombaram de algumas fotos sem camisa do presidente russo Vladimir Putin e brincaram sobre tirar uma semelhante.

“Casacos? Jaquetas? Vamos tirar nossos casacos?” O primeiro-ministro britânico Boris Johnson perguntou enquanto se sentava à mesa.

Os líderes das principais potências econômicas ocidentais – Estados Unidos, Canadá, Japão, Alemanha, França, Itália, Reino Unido – estão reunidos por três dias no castelo bávaro de Elmau.

O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau sugeriu que esperassem pela foto oficial antes de se despir, mas Johnson brincou: “Temos que provar que somos mais durões que Putin” e a piada continuou.

“Teremos uma exposição de montar a cavalo com o peito nu”, disse Trudeau, referindo-se à foto de 2009 de Putin sem camisa a cavalo. “Andar a cavalo é o melhor”, reagiu a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, sem comentar a questão do vestuário.

“Temos que mostrar a eles nossos peitorais”, acrescentou Johnson.

Finalmente, os líderes posaram – com seus casacos – para a sessão de fotos antes que os jornalistas saíssem da sala.

Interferência do governo na Petrobras para frear aumento de diesel e gasolina deixa estatal à deriva

A reunião do Conselho de Administração da Petrobras do último dia 8 tinha como foco o plano de negócios para os próximos cinco anos. Não funcionou. O encontro foi dominado pelo debate sobre a então possível saída de José Mauro Coelho da presidência da estatal e as pressões para evitar novos aumentos nos preços dos combustíveis.

É um exemplo de como a indefinição e as incertezas no comando ao longo do último ano e meio vêm impactando a petroleira. O estopim veio em fevereiro de 2021, quando a cotação do petróleo começava a subir em meio à retomada da economia global no pós-pandemia, juntamente com o aumento da inflação.

Como a Petrobras segue a paridade de preços do petróleo no mercado internacional, os reajustes de gasolina e diesel desagradaram ao governo, resultando na demissão de três presidentes da empresa até aqui.

Enquanto o Conselho se prepara para novo encontro para avaliar a chegada de mais um presidente, agora Caio Paes de Andrade, secretário de Desburocratização do Ministério da Economia, decisões estratégicas, sobretudo as de médio e longo prazo, vão sendo adiadas pela Petrobras.

É visível o freio em venda de ativos, investimentos e aprovação de ações estratégicas. “A liderança está consumida pela discussão dos preços dos combustíveis”, diz um executivo.

‘Dom será cremado no país que amava’, afirma esposa de Dom Philips, que pediu segurança para defensores do meio ambiente

A mulher de Dom Phillips, Alessandra Sampaio pediu mais segurança para os defensores do meio ambiente para que as famílias deles não passem pela perda que ela e os parentes do indigenista Bruno Pereira estão passando. Ela também fez questão de dizer que Dom está sendo cremado no país que amava, pelo qual lutou e que escolheu para viver. Ela fez um pronunciamento durante o velório do jornalista inglês.

“Hoje Dom será cremado no país que amava, seu lar escolhido, o Brasil. O dia de hoje é de luto”, afirmou Alessandra.

O corpo do jornalista inglês Dom Phillips, assassinado no Vale do Javari, no Amazonas, é velado neste domingo (26) no Cemitério Parque da Colina, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Ela ressaltou que a família seguirá atenta a todos os desdobramentos das investigações e que pediu segurança para quem defende o meio ambiente e as famílias.

“Seguiremos atentos a todos os desdobramentos das investigações, exigindo justiça no significado mais abrangente do termo. Renovamos a nossa luta para que nossa dor e a da família de Bruno Pereira não se repitam. Como também as das famílias de outros jornalistas e defensores do meio ambiente, que seguem em risco”, disse a esposa de Dom.

Alessandra pediu que a percepção da importância com o cuidado com o meio ambiente se transforme em atos práticos pela preservação da vida.

“Esse movimento mundial de solidariedade e justiça e de consciência pela conservação da natureza e dos povos que a protegem traz uma imensa esperança a todos nós, eu tenho certeza disso”, afirmou.

Alessandra agradeceu a todos que participaram das buscas pelo marido e pelo indigenista Bruno Pereira. Ela também agradeceu aos profissionais de imprensa na cobrança por transparência nas investigações e mobilização em torno do caso.

“Eu agradeço de coração a todas as pessoas que se solidarizaram com Dom, com Bruno, com nossas famílias e amigos aqui no Brasil e em outros países”, destacou.

A mulher de Dom Philips afirmou que as homenagens finais ao jornalista inglês serão feitas em uma cerimônia restrita aos familiares.

“Dom era uma pessoa muito especial, não apenas por defender aquilo que acreditava como profissional, mas também por ter um coração enorme e um grande amor pela humanidade. Vamos celebrar a doce memória de Dom e a sua presença em nossas vidas”, disse Alessandra.

O corpo de Phillips chegou ao Rio de Janeiro nesta quinta-feira (23) em um avião da Polícia Federal (PF). A viúva dele, Alessandra Sampaio, recebeu da PF a aliança do marido.

Dom e o indigenista Bruno Pereira foram vistos pela última vez em 5 de junho, enquanto faziam uma expedição na região do Vale do Javari, no Amazonas.

Os corpos dos dois foram encontrados no dia 15. Laudos periciais confirmaram que eles foram mortos a tiros, com munição de caça.

Três homens já foram presos por terem participação no crime. Segundo a Polícia Federal, outros cinco homens que ajudaram a enterrar os corpos de Bruno e Dom na mata foram identificados.

Além disso, nesta quinta, um homem se apresentou à polícia em São Paulo dizendo que participou dos assassinatos.

A perícia apontou que Bruno foi atingido por três disparos, dois no tórax e um na cabeça. Já Dom foi baleado uma vez, no tórax.

A motivação do crime ainda é incerta, mas a polícia apura se há relação com a atividade de pesca ilegal e tráfico de drogas na região.

Segunda maior terra indígena do país, o Vale do Javari é palco de conflitos típicos da Amazônia: desmatamento e avanço do garimpo.

Brasil registra 41 mortes por Covid-19 neste domingo; média de casos é a mais alta desde março

O Brasil registrou neste domingo (26) 41 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 670.459 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 193. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de 20%, indicando tendência de alta. Já a média móvel de casos chegou a 53.798, a maior registrada desde 1º de março.

Brasil, 26 de junho
Total de mortes: 670.459
Registro de mortes em 24 horas: 41
Média de mortes nos últimos 7 dias: 193 (variação em 14 dias: +20%)
Total de casos conhecidos confirmados: 32.076.972
Registro de casos conhecidos confirmados em 24 horas: 18.074
Média de novos casos nos últimos 7 dias: 53.798 (variação em 14 dias: +21%)

Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Mato Grosso do Sul e Piauí não tiveram registro de mortes nas últimas 24 horas. Os estados de Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima e Tocantins, além do Distrito Federal, não divulgaram atualização dos dados neste sábado.

No total, o país registrou 18.074 novos diagnósticos de Covid-19 em 24 horas, completando 32.076.972 casos conhecidos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi de 53.798, variação de +21% em relação a duas semanas atrás.

Em seu pior momento, a média móvel superou a marca de 188 mil casos conhecidos diários, no dia 31 de janeiro deste ano.

Congresso do Equador retoma debate sobre impeachment de Guillermo Lasso

O Congresso do Equador retomou neste domingo (26) o debate sobre o pedido de impeachment do presidente Guillermo Lasso.

Lasso, presidente de direita, é acusado de responsabilidade pelos protestos indígenas que dominaram o país nas últimas duas semanas – em decorrência da alta no preço dos combustíveis.

O debate foi retomado às 18h deste domingo (20h no horário de Brasília).

No Equador, o impeachment do presidente exige 92 dos 137 apoios possíveis no Congresso. Após os debates, os deputados terão no máximo 72 horas para votar. Se aprovado, o poder seria assumido pelo vice-presidente Alfredo Borrero e eleições presidenciais e legislativas seriam convocadas para o restante do período (até 2025).

No sábado, o debate teve a fala de 30 parlamentares contra e a favor do presidente, em sessão virtual. A oposição ao governo reuniu as 47 assinaturas necessárias para pedir a saída do presidente do poder.

A discussão sobre o impeachment do presidente do Equador começou após a divulgação de um documento do partido União pela Esperança, ligada ao ex-presidente socialista Rafael Correa. Nele, a bancada acusou Lasso de levar o Equador a uma “grave crise política e comoção interna”, que abala o país desde 13 de junho, com manifestações e bloqueios quase diários.

“Vamos às eleições antecipadas, deixe Lasso ir para casa”, gritou a deputada Pierina Correa, irmã do ex-presidente Rafael Correa.

Lasso, ex-banqueiro que assumiu o cargo há um ano, não compareceu ao debate, mas nomeou seu secretário jurídico, Fabián Pozo, para ler sua defesa. “Os membros da assembleia (…) buscam desestabilizar a democracia”, declarou Pozo.

O movimento indígena e o governo realizaram uma primeira reaproximação no sábado, e horas depois Lasso encerrou o estado de exceção que vigorava em seis das 24 províncias do país com um robusto destacamento militar e toques de recolher noturnos.

Escândalo do MEC: ex-assessor de Milton Ribeiro e pastor estiveram 10 dias no mesmo hotel em Brasília, diz PF

O ex-gerente de projetos da Secretaria Executiva do Ministério da Educação (MEC), Luciano Musse, e o pastor Arilton Moura estiveram no mesmo hotel em Brasília em pelo menos 10 ocasiões entre 2021 e 2022, segundo análise da Polícia Federal. Os dois e o ex-ministro Milton Ribeiro chegaram a ser presos na última semana em uma operação que investiga desvios de verba na pasta federal.

Os policiais ainda confirmaram uma hospedagem do pastor Gilmar Silva dos Santos no mesmo hotel. Ele também é investigado na operação. O g1 tenta contato com a defesa dos suspeitos.

No documento que ensejou os mandados de busca e apreensão, a Justiça afirma que viu “indícios de que Milton, Gilmar e Arilton cooptaram prefeitos para interesses pessoais”.

Já Luciano Musse teria papel de “operador financeiro” no esquema. Ele chegou a assumir a gerência de Projetos da Secretaria-Executiva do ministério, em abril de 2021, mas foi exonerado em março deste ano, em meio às denúncias contra a pasta.

No inquérito, a Polícia Federal diz que “Luciano, no contexto investigativo, é personagem importante no suposto esquema de cooptação de prefeitos para angariar vantagens pessoais através do direcionamento ou desvio de recursos do FNDE /MEC a pretexto de atender políticos/prefeituras, caracterizando, hipoteticamente, uma sofisticada captação ilegal de recursos públicos com a eventual infiltração de operador financeiro na gestão da pasta”.

Eleição de 2022 terá campanha mais curta desde 1994

A pouco mais de três meses do 1º turno das eleições de 2022, partidos e pré-candidatos se articulam para a eleição presidencial mais curta desde 1994. Neste ano, a campanha eleitoral será feita entre 16 de agosto e 1º de outubro, um período de 46 dias de ações nas ruas e internet.

O ano com intervalo mais curto até então ocorreu na última eleição, em 2018, com 50 dias liberados para distribuição de santinhos, pedidos de votos e eventos oficiais das campanhas. Com mudança na lei eleitoral, o intervalo foi reduzido e criada a pré-campanha – quando os políticos podem se chamar de pré-candidatos e debaterem, mas sem pedir explicitamente voto ou apoio.

Antes da mudança na lei, os partidos e candidatos tinham período maior para apresentarem seus projetos aos eleitores, com o mínimo de 85 dias para a eleição à Presidência (o que ocorreu em 2006, na reeleição de Lula). A média entre 1994 e 2014 era de 90 dias com as campanhas nas ruas — inclui também os materiais veiculados em rádio e TV.

Eleitores e pré-candidatos têm uma série de prazos até a realização do 1º turno, em 2 de outubro, em que poderão pedir voto em trânsito e apresentarem oficialmente o registro de candidaturas, por exemplo.

Confira os principais prazos até o 1º turno:

Eleitores:

12 de julho: início da data em que os eleitores podem pedir para votar em trânsito.
18 de julho: alterações ou retirada da 1ª via do título para cidadãos com algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida.
3 de agosto: nomeação dos mesários.
18 de agosto: termina prazo para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida atualizarem sua situação eleitoral.
2 de outubro: realização do 1º turno em todo país.

Pré-candidatos:

20 de julho: início das convenções partidárias e que o TSE divulga o limite de gastos para cada cargo em disputa.
5 de agosto: último dia para as convenções partidárias.
12 de agosto: TSE define o tempo de propaganda em rádio e TV para cada chapa.
15 de agosto: último dia para o registro das candidaturas.
16 de agosto: começa oficialmente a campanha eleitoral.
26 de agosto: início da campanha em rádio e TV.
1 de outubro: fim da propaganda eleitoral.
2 de outubro: realização do 1º turno em todo país.

Presidente do STJ autoriza retomada de apuração do TCU sobre recebimento de diárias da Lava Jato por Dallagnol

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, suspendeu neste sábado (25) uma decisão da Justiça Federal no Paraná que paralisou a apuração do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o recebimento de diárias, passagens e gratificações por Deltan Dallagnol durante a força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba.

O TCU investiga desde 2020 o pagamento de diárias, passagens e gratificações a procuradores que atuaram na Operação Lava Jato, em Curitiba, entre eles, Deltan Dallagnol. O processo foi aberto a pedido de parlamentares e do Ministério Público junto ao tribunal.

O Tribunal de Contas da União diz ter encontrado algumas irregularidades nos pagamentos e, em abril deste ano, decidiu aprofundar as investigações. No entanto, em junho deste ano, a justiça federal do Paraná atendeu a um pedido de Dallagnol suspendeu o procedimento apenas em relação ao ex-procurador.

Na prática, com a decisão de Martins, Dallagnol poderá voltar a ser alvo do procedimento do TCU. Segundo o STJ, a suspensão da investigação aberta pelo tribunal feriu a autonomia da corte de contas.

“Os princípios da eficiência, da moralidade e da economicidade administrativa impõem a liberdade de atuação fiscalizatória do tribunal de contas, cuja atividade institucional, ao final, interessa e beneficia toda a sociedade, que clama por uma proba aplicação dos recursos públicos”, declarou Martins.

Na decisão, o ministro argumentou também que a suspensão da fiscalização impede o trabalho do TCU que “é de extrema relevância para toda a sociedade que exige transparência e eficiência na gestão dos recursos públicos”.

“No caso sob análise, na verdade, percebe-se que está caracterizado o perigo da demora inverso, uma vez que a decisão questionada obsta a atuação regular fiscalizatória de importante órgão administrativo de controle, cuja atuação é de extrema relevância para toda a sociedade que exige transparência e eficiência na gestão dos recursos públicos”, diz a decisão.

Datafolha: 49% dizem governo fez menos do que poderia para investigar mortes de Bruno e Dom; 27% dizem que fez tudo o que poderia

Pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” neste sábado (25) aponta que, para 49% dos brasileiros, o governo brasileiro fez menos do que poderia para investigar os assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips. Para 27%, o governo fez tudo o que poderia.

O Datafolha ouviu 2.556 pessoas com mais de 16 anos em 181 cidades do país. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Para 6%, o governo fez o que poderia (nem a mais nem a menos). Já 18% disseram não saber opinar sobre a questão.

Bruno e Dom desapareceram na região do Vale do Javari, no Amazonas, no dia 5 de junho. Seus corpos foram encontrados 10 dias depois. Ele, que foram mortos a tiros e tiveram os corpos queimados e enterrados, iriam visitar uma equipe de Vigilância Indígena, próximo ao Lago do Jaburu.

A motivação do crime ainda é incerta, mas a polícia apura se há relação com a atividade de pesca ilegal na região. Segunda maior terra indígena do país, o Vale do Javari é palco de conflitos típicos da Amazônia: tráfico de drogas, roubo de madeira e avanço do garimpo.

Três pessoas foram presas pelo assassinato de Bruno e Dom: os irmãos Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, e Oseney da Costa de Oliveira; e Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha”.

O governo brasileiro foi criticado pela resposta dada ao desaparecimento de Dom e Bruno, inclusive por órgãos internacionais, que chegaram a pedir um maior envolvimento do governo e rapidez nas buscas.

A porta-voz da agência da ONU, Ravina Shamdasani, criticou a demora do governo brasileiro para iniciar as buscas e, em resposta aos comentários do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, de que Bruno e Dom faziam uma “aventura”, afirmou que eraa obrigação do Estado proteger jornalistas e profissionais que trabalham na defesa dos Direitos Humanos.

Durantes as investigações e buscas pelos dois, Bolsonaro também afirmou que Dom Phillips era “malvisto” na região amazônica devido à cobertura que ele fazia de questões ambientais e a denúncias de irregularidades envolvendo garimpo ilegal e, por isso, deveria ter “redobrado a atenção” ao entrar naquela área.

Entidade diz que dois indígenas foram mortos em conflito entre policiais em Amambai

Ao menos dois indígenas foram mortos durante conflito entre os povos originários da etnia Guarani Kaiowá e policiais em Amambai (MS), segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB). A informação dos óbitos foi publicada nas redes sociais da entidade. Hospital que vem atendendo os feridos dos confrontos confirma uma morte.

Ainda na postagem, a APIB acredita que o número de indígenas mortos pode ser maior, já que a comunidade local fala em ao menos quatro óbitos e 10 feridos.

“Nos solidarizamos ao mesmo tempo com o ataque realizado no mesmo dia do massacre contra a comunidade de Kuripi\Santiago Kue”, finalizou a APIB na postagem.

Quando a APIB fala em “massacre contra a comunidade de Kuripi\Santiago Kue”, é em relação a uma ação da polícia que impediu uma “invasão” de indígenas em uma fazenda em Naviraí (MS). Para os indígenas, a ação fazia parte de uma retomada de terra também.

As mortes informadas pela APIB não foram confirmadas pelo hospital, polícia ou prefeitura de Amambai. O g1 buscou a confirmação junto ao hospital, mas não obteve retorno.

Bebê de mamute congelado é achado no Canadá

Um bebê de mamute lanoso foi encontrado congelado no permafrost do noroeste do Canadá.

É a primeira descoberta desse tipo na América do Norte.

Acredita-se que o mamute mumificado da era do gelo tenha mais de 30 mil anos de idade.

Foi encontrado por garimpeiros na região de Klondike, em Yukon, na terça-feira (21/6).

Segundo a emissora CBC News, um mineiro chamou seu chefe para examinar algo que havia sido atingido por sua escavadeira na lama em Eureka Creek, ao sul de Dawson City.

A área do achado pertence à Primeira Nação Tr’ondek Hwech’in.

O governo de Yukon comparou com essa descoberta com outra feita da Rússia, também de um bebê mamute, que estava no permafrost da Sibéria, em 2007.

O governo disse que este é “o mamute mumificado mais completo encontrado na América do Norte” e apenas o segundo achado no mundo.

Tem aproximadamente o mesmo tamanho do bebê siberiano, que tinha cerca de 42 mil anos, disse o governo de Yukon em um comunicado à imprensa.

O bebê, que se acredita ser do sexo feminino, foi batizado de Nun cho ga, que significa “grande bebê animal” na língua Han falada por povos nativos na área.

“Nun cho ga é linda e um dos mais incríveis animais mumificados da era do gelo já descobertos no mundo”, disse o paleontólogo Grant Zazula.

Antes de Nun cho ga, restos parciais de um filhote de mamute foram encontrados em 1948 em uma mina de ouro no Alasca.

Bolsonaro qualifica como “inadmissível” o aborto de menina de 11 anos estuprada

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, qualificou como “inadmissível” o aborto de uma menina de onze anos que se submeteu ao procedimento após ser vítima de estupro.-

“Um bebê de SETE MESES de gestação, não se discute a forma que ele foi gerado, se está amparada ou não pela lei. É inadmissível falar em tirar a vida desse ser indefeso”, escreveu no Twitter na noite de quinta-feira.

Bolsonaro compartilhou também a imagem de um bebê de 25 semanas em uma incubadora, quatro menos que o gerado pela menina.

A menina de 11 anos realizou o aborto na quarta-feira, após uma juíza de Santa Catarina, Joana Ribeiro Zimmons, tentar impedir o procedimento, apesar de ser considerada vítima de estupro, devido a sua idade.

O caso gerou indignação no Brasil, onde muitos internautas viralizaram a legenda “Criança não é mãe” nas redes sociais.

O aborto é crime no Brasil com pena prevista entre 1 a 3 anos de prisão. Mas é legal em três circunstâncias: em gravidez em caso de estupro, quando existe risco de vida para a mulher ou em caso de anencefalia do feto.

Bolsonaro foi eleito em 2018 com o apoio fundamental dos setores evangélicos, disse que, por ele, o aborto jamais será aprovado no Brasil.

O presidente acrescentou que “tanto a criança de 11 anos quanto o bebê de 7 meses são vidas que precisam ser preservadas”.

Também afirmou que solicitou ao Ministério da Justiça e da Mulher, Família e Direitos Humanos que investiguem os “abusos” cometidos pelos que participaram do aborto.

Lula deve passar por Recife, Serra Talhada e por réplica da casa dele em Garanhuns

Com uma previsão de ocorrer entre 10 e 15 de julho, a agenda do ex-presidente Lula em ´Pernambuco tem um roteiro já dado praticamente como certo pelo PT. Detalhe: ele inclui uma visita a uma réplica da casa de Dona Lindu, onde o ex-presidente morou, em Garanhuns, cidade onde ainda se encontram os parentes dele. A referida construção acaba de ser finalizada e foi erguida, segundo o presidente estadual do PT, Doriel Barros, por uma iniciativa dele próprio, de pessoas que colaboraram e do PT.

“Ele quer ir no sítio, porque a gente organizou uma réplica da casa da mãe dele, em Caetés”, informa Doriel à coluna, explicando quue a casa original caiu.

“É uma casa meia-água, como se chama, com cozinha, quarto e sala. Havia um espaço lá em Caetés, que tinha sido desapropriado pela prefeitura e fica na região onde moram alguns parentes do presidente. Então, foi levantada essa casa, que é a réplica da casa em que ele morou”, detalha o dirigente estadual.

A agenda vai contemplar ainda Serra Talhada, que tem uma prefeita do PT, Márcia Conrado. Ela, como Lula, apoia o pré-candidato ao Governo do Estado, Danilo Cabral.

“O indicativo é de que haja um evento em Serra Talhada, que pega todo Sertão Central e tem uma prefeita do PT”, pontua Doriel, acrescentando que o fato de haver aeroporto na cidade soma para a logística da agenda.

O dirigente estadual do PT ainda aguarda uma confirmação de Gilberto Carvalho sobre a data exata. Além de Garanhuns e Serra Talhada, a agenda, naturalmente, vai contemplar o Recife também, se configurando, assim, em um conjunto de três momentos. Como a coluna cantara a pedra, o governador Paulo Câmara tratara dessa agenda com Lula, em Natal, onde o ex-presidente esteve recentemente. O governador voltou da Capital potiguar com previsão de roteiro também incluindo Recife e Serra Talhada, mas se cogitava, ali, Caruaru, que pode ficar, agora, para uma próxima visita.

Bolsonaro é aplaudido e xingado durante São João de Caruaru

O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi à festa de São João de Caruaru, em Pernambuco, na noite desta quinta-feira (23). No palco, falou ao público, foi vaiado e recebeu aplausos, ofensas e também gritos de apoio. Ele chegou à cidade por volta das 16h e foi recebido por apoiadores no Aeroporto Oscar Laranjeira. Em seguida, ele saiu em um passeio de moto em trechos das BRs 104 e 232.

Às 20h, o presidente foi até o Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, principal polo dos festejos juninos. Bolsonaro subiu ao palco com o ex-ministro do Turismo, Gilson Machado, que tocou sanfona. Relatos e vídeos nas redes sociais mostram que a curta fala do presidente foi um pouco abafada por manifestações contra a a favor.

“Caruaru, Pernambuco, boa noite. Capital do forró. Uma satisfação muito grande estar no Nordeste acompanhado de um ex-ministro de Pernambuco, o Gilson Machado. A todos vocês: que Deus ilumine cada um. E que Deus abençoe todo o Brasil. Muito obrigado a todos vocês”, disse.

Após o rápido discurso, Machado e a banda tocaram Asa Branca, de Luiz Gonzaga, enquanto Bolsonaro deixava o local.

Nesta sexta-feira (24), Bolsonaro segue no Nordeste: estará na Paraíba. Ele irá a João Pessoa e Campina Grande. No sábado (25), vai a Blumenau, em Santa Catarina.

‘Vida de Bruno foi de coragem, dedicação e fidelidade à causa dos indígenas’, diz família em nota durante velório de indigenista morto no AM

“A família está se despedindo de Bruno com coração cheio de gratidão por ter tido ele em nossas vidas. A vida de Bruno foi de coragem, dedicação e fidelidade à causa dos indígenas”.

A declaração faz parte de uma nota divulgada pela família do indigenista Bruno Pereira, assassinado durante uma expedição na região do Vale do Javari, no Amazonas, junto com o jornalista inglês Dom Phillips.

O corpo do pernambucano é velado nesta sexta-feira (24), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife. A cremação deve ocorrer às 15h. O velório de Bruno Pereira tem sido marcado por homenagens e uma cerimônia indígena realizada por um grupo da etnia Xucuru.

A família, abalada, não quis falar com a imprensa e nomeou a cunhada do indigenista, Thany Rufino, para ler uma nota em nome dos parentes.

“Bruno tinha uma missão e iluminou sua causa, e levou ela para o mundo. Neste momento e durante toda a última semana, indígenas de todo o país fizeram rituais de passagem e homenagearam Bruno Pereira. Agradecemos a todos”, diz a nota lida por Thany Rufino.

Ele era apaixonado pela causa indígena e, nos anos 2000, deixou Pernambuco para trabalhar na Amazônia. É considerado um dos maiores especialistas em povos isolados do Brasil.

Durante o velório, um grupo de indígenas Xucuru, da Serra do Ororubá, em Pesqueira, no Agreste, fez uma homenagem e entoou cantos do ritual do “Toré”.

Na capela, se reuniram ao redor do caixão de Bruno, que estava coberto por uma bandeira de Pernambuco, uma do Sport Clube do Recife e por uma camisa da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja).

Eles seguravam um cartaz com as fotos das vítimas e a frase “Justiça por Dom e Bruno”. Na nota, a família de Bruno Pereira agradeceu pelo apoio.

“Aos familiares, amigos, aos indígenas e a todas as pessoas que oraram, buscaram, trabalharam, representaram Bruno. Somos eternamente gratos. Que Deus, em sua imensidão, possa retribuir a todos e às suas famílias. Agora, estamos dedicados ao amor, ao perdão e à oração”, conclui a nota.

Ministério da Justiça determina que TikTok retire conteúdos impróprios para menores de idade

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), que é ligada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, determinou que o aplicativo TikTok suspenda a exibição de conteúdos impróprios para menores de 18 anos no Brasil.

O despacho assinado por Laura Postal Tirelli, da Senacon, foi publicado no Diário Oficial da União nesta sexta-feira (24). Após ser notificada, a rede social tem 72 horas para remover os conteúdos sob pena de multa diária no valor de R$ 1 mil.

Em nota, o TikTok informou que ainda não foi notificado oficialmente da decisão, mas ressalta que a plataforma remove conteúdos em desacordo com as diretrizes da comunidade e que também não permite menores de 13 anos no aplicativo.

Medidas foram determinadas pela Senacon:

Na modalidade de acesso irrestrito, que é quando o usuário consegue acessar o app mesmo sem ter conta no aplicativo, deve ser feita a suspensão integral da veiculação de materiais impróprios para menores de 18 anos, envolvendo, por exemplo — mas não somente — , uso de drogas, sexualização, jogos de azar e violência.

Na modalidade de acesso restrito, que é quando é necessário fazer o login da conta para ter o conteúdo, a suspensão integral da veiculação de conteúdos impróprios para menores de 18 anos deve ser feita até que o sistema de segurança da plataforma, que impede o cadastro de menores de 13 anos de idade e limita o acesso a todo o conteúdo por menores de 16 anos, seja aperfeiçoado “de modo que a idade dos usuários seja verificada de maneira eficaz pela representada”, diz o despacho.

O Brasil foi o terceiro país que mais teve vídeos removidos por violações dos termos de comunidade do TikTok em 2021. O país ficou atrás apenas de Estados Unidos e Paquistão, segundo os números divulgados nos relatórios oficiais da rede social.

Entre janeiro e dezembro do ano passado, foram excluídos mais de 23,4 milhões de conteúdos brasileiros, de acordo com dados consolidados pelo g1 a partir dos documentos da rede social.

Os cinco países que mais tiveram conteúdo excluído em 2021 foram:

Estados Unidos: 46,8 milhões
Paquistão: 28,9 milhões
Brasil: 23,4 milhões
Rússia: 21,3 milhões
Indonésia: 14,1 milhões

Conversa gravada de Milton Ribeiro que motivou suspeita de interferência na operação da PF

A Justiça Federa de Brasília atendeu a um pedido do Ministério Público Federal e encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a investigação sobre o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro por suspeita de envolvimento dele e de pastores em um esquema para liberação de verbas da pasta.

O pedido do MPF foi baseado em conversas do ex-ministro com terceiros, gravadas com autorização da Justiça, e que, na visão dos procuradores, são indícios de que o presidente Jair Bolsonaro interferiu na investigação.

O juiz Renato Borelli, da 15ª Vara de Justiça Federal de Brasília, destacou em sua decisão alguns trechos dessas conversas. Veja a transcrição:

Conversa com uma pessoa identificada como Waldomiro:

MILTON RIBEIRO: Tudo caminhando, tudo caminhando. Agora… tem que aguardar né…. alguns assuntos tão sendo resolvidos pela misericórdia divina né…negócio da arma, resolveu… aquele… aquela mentira que eles falavam…que os ônibus estavam superfaturados no FNDE… pra… (ininteligível) também… agora vai faltar o assunto dos pastores, né? Mas eu acho assim, que o assunto dos pastores… é uma coisa que eu tenho receio um pouco é de… o processo… fazer aquele negócio de busca e apreensão, entendeu?

Conversa com uma pessoa identificada como Adolfo:

MILTON: (…) mas algumas coisas já foram resolvidas né… acusação de que houve superfaturamento… isso já foi… agora, ainda resta o assunto do envolvimento dos pastores, mas eu creio que, no devido tempo, vão ser esclarecidos….

Conversa com um familiar:

MILTON: Não! Não é isso… ele acha que vão fazer uma busca e apreensão…em casa… sabe… é… é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? se houver indícios né…

Precisamos transformar em lei o direito ao aborto, diz Biden após decisão da Suprema Corte dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou a decisão da Suprema Corte de revogar o direito constitucional ao aborto no país, publicada nesta sexta-feira (24).

Biden disse chamou a decisão de “ideologia extremista” e defendeu que o direito ao aborto seja transformado em lei. Ele disse ainda que fará tudo o que estiver a seu alcance para “proteger a saúde das mulheres” e pediu protestos pacíficos.

“Este é o resultado de décadas de tentativas de acabar com essa lei. É uma ideologia extrema. A Suprema Corte fez algo que nunca havia feito antes, que é retirar um direito constitucionais dos americanos. A América volta 150 anos no tempo. As mulheres podem ser punidas por quererem proteger sua própria saúde, ou os médicos serão criminalizados por fazer seu dever de cuidar”, declarou Biden.

O presidente disse ainda que fará “de tudo o que estiver no meu poder para proteger a saúde das mulheres”.

“O governo não pode interferir na decisão feita entre uma mulher e o médico.”

Subvariante BA.5 da Ômicron é detectada e já circula em Pernambuco

Os nove genomas foram de coletas realizadas entre os dias 26 de maio e 1º de junho, em pacientes residentes dos municípios de Recife, Macaparana e São Bento do Una, sendo sete mulheres e dois homens, com idades entre 15 e 85 anos. Desses, apenas dois estavam com esquema vacinal completo e um dos pacientes havia tomado apenas uma dose da vacina contra a Covid-19. Seis foram assintomáticos e outros três apresentaram sintomas.

Os outros 137 genomas processados também foram da linhagem Ômicron, com coletas realizadas entre janeiro e junho, em pacientes residentes dos municípios de Barra de Guabiraba, Camaragibe, Caruaru, Garanhuns, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Recife, Salgueiro, Vitória de Santo Antão, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Na semana passada, Pernambuco já havia confirmado a circulação da subvariante BA.4 da Ômicron no Estado. Neste novo sequenciamento, 38 amostras foram identificadas como da sublinhagem BA.4.

“Continuamos atentos à vigilância genômica do novo coronavírus, monitorando frequentemente a circulação das variantes no território pernambucano. A entrada das sublinhagens BA.4 e BA.5 reforça ainda mais a importância da vacinação contra a Covid-19, inclusive das doses de reforço. Importante lembrar que Pernambuco já autorizou a aplicação da quarta dose (ou segunda dose de reforço) da vacina contra a Covid-19 nas pessoas a partir dos 40 anos de idade. Estas doses proporcionam o aumento da quantidade de anticorpos no organismo, ampliando a proteção e reduzindo a chance de infecção ou reinfecção, assim como formas graves da doença e óbitos”, alerta a secretária executiva de Vigilância em Saúde da SES-PE, Patrícia Ismael.

Ainda nas estratégias de vigilância, a Secretaria continua enviando aos aos municípios pernambucanos testes rápidos de antígeno para que as gestões locais qualifiquem suas estratégias. Neste mês, foram mais de 69,2 mil unidades ofertadas para cidades espalhadas por todas as regiões do Estado – somente na última semana, a Secretaria entregou 62,4 mil testes. O Estado segue em contato com as gestões municipais para que as cidades solicitem à Secretaria os insumos para a testagem de seus munícipes. A SES-PE conta com mais de 1,1 milhão de testes rápidos de antígeno em estoque.

Portugal decide emprestar coração de D. Pedro I para comemoração dos 200 anos da independência brasileira

O coração de D. Pedro I poderá viajar até ao Brasil para ser exibido nas comemorações do bicentenário da independência do país.

A viagem, debatida há mais de um mês, teve agora a concordância do presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

A decisão foi tornada pública nesta quarta-feira (22), em conferência de imprensa, por Moreira, que apontou que o traslado temporário depende de garantias de transporte e conservação que terão de ser acertadas entre os governos português e brasileiro.

O coração do imperador está protegido e guardado em formol numa igreja ao norte da cidade do Porto. A última aparição pública do órgão aconteceu durante a gravação de um documentário em 2015.

A relíquia guardada pela cidade portuguesa terá que receber “transporte em ambiente pressurizado”, segundo informa o site local NIT.

A autorização dada pela cidade do Porto — e pela Irmandade da Lapa, da Igreja que guarda o tesouro — teve que esperar por uma avaliação do Instituto de Medicina Legal local. O temor dos portugueses é de que a que a viagem pudesse danificar o coração conservado há quase dois séculos.

“O relatório da perícia ainda não está totalmente concluído, mas já nos foi assegurado que o coração poderá ser transladado temporariamente para o Brasil”, confirmou Rui Moreira.

O episódio do empréstimo do coração de Pedro I (conhecido em Portugal como Pedro IV) começou meses atrás, quando o embaixador brasileiro George Prata oficializou o pedido para o traslado.

Em 7 de setembro de 1822, o Brasil era declarado como uma nação autônoma. Como conta a história, o à época imperador Dom Pedro I proclamou a independência às margens do rio Ipiranga.

Em 2022, 200 anos depois, o Brasil pretende fazer uma celebração em homenagem a esse aniversário tão importante.

Pedro I é símbolo da independência brasileira, mas tem importância também em Portugal. A pedido do imperador, seu coração permaneceu na cidade portuguesa e seu corpo foi levado para o país que ajudou a tornar independente.

Reajuste das bandeiras tarifárias não terá ‘impacto imediato’ nas contas de luz, diz Aneel

Nota divulgada nesta quarta-feira (22) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) afirma que o reajuste nos valores das bandeiras tarifárias, anunciado na véspera, não terá “impacto imediato” para o consumidor.

Nesta terça (21), a Aneel aprovou alta de até 64% no valor das bandeiras (cobrança extra aplicada às contas de luz quando aumenta o custo de produção de energia no país). Os novos valores entram em vigor em 1º de julho e serão válidos até meados de 2023.

As bandeiras tarifárias são definidas mensalmente pela agência e sinalizam o custo da geração de energia.

Na nota, a agência argumentou que o reajuste aprovado nesta semana não terá impacto imediato porque desde 16 de abril está em vigor a bandeira verde — pela qual não há cobrança extra nas contas de luz.

A estimativa da Aneel é que a bandeira verde continue vigente ao longo deste ano, devido à recuperação dos reservatórios das hidrelétricas.

O nível dos reservatórios do Subsistema Sudeste/Centro-Oeste, responsável por 70% da capacidade de produção de energia no país, chegou a 66,16% nesta terça-feira (21), segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Em setembro de 2021, durante o período de escassez hídrica, os reservatórios da região chegaram a baixar para 16,75% da capacidade, menor nível desde novembro de 2014.

MPF recomenda que hospital de SC faça aborto em menina estuprada

O Ministério Público Federal (MPF) recomentou ao Hospital Universitário (HU) de Florianópolis que realize o aborto para a menina de 11 anos, grávida após estupro, independente de tempo gestacional ou autorização judicial.

A unidade negou o procedimento, quando procurada, porque a criança estava com 22 semanas e 2 dias de gestação.

O g1 SC procurou o hospital para saber se vai atender à recomendação. A unidade não se manifestou até a última atualização desta matéria.

O MPF deu prazo até as 12h de quinta-feira (23), para que a unidade hospitalar encaminhe à Procuradoria da República informações sobre o acatamento da recomendação, “excepcionalmente. em razão da urgência que o caso requer”.

No documento, assinado pela procuradora Daniele Cardoso Escobar, o MPF recomenda “a realização de procedimentos de interrupção da gestação nas hipóteses de aborto legal [termo usado no meio médico para definir o procedimento nos casos autorizados por lei], a serem praticados por médico, independentemente da idade gestacional e peso fetal, sendo desnecessária qualquer autorização judicial ou comunicação policial”.

Vítima de estupro, a menina descobriu que estava na 22ª semana de gravidez ao ser encaminhada a um hospital de Florianópolis. Na unidade em que teve o procedimento negado, à época, a interrupção é realizada quando a gravidez está em até 20 semanas, apesar da legislação não estipular prazos ou solicitar autorização judicial para o procedimento.

Segundo a lei, o aborto é permitido nos casos em que a gravidez é decorre de estupro ou quando há risco à vida da gestante.

Depois que o caso foi parar na Justiça, a decisão e trechos da audiência em que a vítima, mãe dela, a juíza e a promotora Mirela Dutra Alberton aparecem, foram revelados em uma reportagem dos sites Portal Catarinas e The Intercept na segunda-feira (20).

Em um momento do vídeo, a Justiça e Promotoria pedem para a menina manter a gestação por mais “uma ou duas semanas”, para aumentar a sobrevida do feto.

“Você suportaria ficar mais um pouquinho?”, perguntou a juíza.

Desde a data da decisão da juíza, a criança estava sendo mantida em um abrigo para evitar que fizesse um aborto autorizado. Só na terça-feira (21), que ela foi liberada para voltar à casa da mãe.

Após a decisão, a defesa da família da menina entrou com um habeas corpus no Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) para realizar o procedimento de interrupção da gravidez. “Apesar de ser um direito, a gente quer cumprir todos os requisitos”, comentou Daniela Felix.