Todos os posts de Alexandre Rafael

Patriota participa de audiência pública no Senado nesta segunda-feira 

O primeiro secretário da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota, vai representar os Municípios brasileiros, nesta segunda-feira (28), em audiência promovida pela comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado Federal.

A participação virtual está prevista para às 18h e terá como tema o Plano Nacional de Recursos Hídricos e Desenvolvimento Regional: o desafio de expansão dos serviços de saneamento básico no Brasil.

Bolsonaro perdeu 1/3 dos eleitores de 2018, diz pesquisa

Uma pesquisa do Instituto Ipec, divulgada hoje pelo jornal O Estado de S. Paulo, indica que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) perdeu cerca de 1/3 dos seus eleitores no segundo turno de 2018.

Entre os entrevistados pelo instituto — fundado por antigos executivos do Ibope — que disseram ter votado em Bolsonaro, 34% afirmaram que não repetirão o voto em 2022.

Já 44% afirmaram que “com certeza” votarão novamente no presidente, enquanto 18% dizem que podem voltar a escolhê-lo.

A pesquisa ainda indica que 25% dos eleitores de Bolsonaro em 2018 dizem agora que “com certeza” votarão no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), apontado como potencial adversário do atual presidente em 2022.

Outros 13% também colocam Lula como possível opção. Já 59% dizem que não votariam no petista.

Já em relação à fatia de quem votou nulo ou em branco no segundo turno de 2018, a pesquisa mostra que metade votaria em Lula em 2022, sendo que 6% deles optariam por Bolsonaro.

Entre os entrevistados que votaram em Fernando Haddad (PT) no segundo turno de 2018, 4% dizem que votariam ou poderiam optar por Bolsonaro.

Já 93% deles descartam qualquer possibilidade de votar no atual presidente em 2022. Nos números gerais da pesquisa do Ipec, divulgada na última sexta-feira (25), Lula tem 49% das intenções de voto, mais que o dobro de Bolsonaro, que aparece com 23%.

Ciro Gomes (PDT) marca 7%, João Doria (PSDB) foi lembrado por 5% dos eleitores, enquanto o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) aparece com 3%.

O Ipec ouviu presencialmente 2.002 eleitores brasileiros em 141 cidades do País entre 17 e 21 de junho. A margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para.

Carlos Wizard anuncia que chegou ao Brasil para falar na CPI da Covid

O empresário Carlos Wizard anunciou em rede social nesta segunda (28) que desembarcou em Campinas, cidade onde mora, e se prepara para viajar a Brasília para falar na CPI da Covid, na quarta (30).

As atenções em torno do depoimento do bilionário cresceram porque ele vinha resistindo a se apresentar. Chegou a faltar ao evento e teve um pedido de condução coercitiva, com a Polícia Federal batendo à porta de sua residência.

Na internet, o empresário publicou que foi para o Utah, nos Estados Unidos, em março, onde seus pais moram há mais de 30 anos. Depois, seguiu para a Flórida para acompanhar a gravidez de uma filha, que lhe dará o 19º neto.

‘Não tenho como saber o que acontece nos ministérios’, diz Bolsonaro sobre o caso Covaxin

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (28) que “não tem como saber o que acontece nos ministérios”, ao comentar com apoiadores o caso da compra da vacina Covaxin.

A compra pelo governo federal de doses da vacina indiana Covaxin se tornou o principal tema da CPI da Covid nos últimos dias.

Em depoimento à comissão, o servidor do Ministério da Saúde e ex-chefe do setor de importação da pasta Luis Ricardo Miranda disse que identificou suspeitas de irregularidades na compra.

Ele e o irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), disseram que alertaram o presidente Jair Bolsonaro, em reunião no dia 20 de março, sobre as suspeitas.

Nesta segunda, ao sair do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse a apoiadores que tem “confiança nos ministros” e não sabe de tudo o que acontece nas pastas.

Eu recebo todo mundo. Ele que apresentou, eu nem sabia da questão, de como tava a Covaxin, porque são 22 ministérios. Só o ministério do Rogério Marinho [Desenvolvimento Regional], tem mais de 20 mil obras”, declarou.

Então, eu não tenho como saber o que acontece nos ministérios, vou na confiança em cima de ministros e nada fizemos de errado”, completou Bolsonaro.

Em comunicado, prefeitura de Afogados informa que em 1º de julho será feriado no município.

Em comunicado divulgado na manhã desta segunda-feira (28), a prefeitura de Afogados da Ingazeira informou que, em 1º de julho será feriado no município, conforme Lei Ordinária nº 792, de junho de 2019.

Confira a íntegra:

Tendo em vista alguns questionamentos feitos em redes sociais e através do aplicativo WhatsApp, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira reforça comunica que em 1º de Julho, data do aniversário de 112 anos de Emancipação Política de Afogados da Ingazeira, será feriado municipal, de acordo com a Lei Ordinária Nº 792, de 26 de junho de 2019”.

Doria afirma que 1 milhão de vacinas prontas para uso chegam na terça-feira

O governador João Doria (PSDB) afirmou, neste sábado (26), que o estado receberá 1 milhão de doses prontas da vacina do Instituto Butantan já nesta próxima terça-feira (29.

Segundo Doria, a remessa com as doses prontas se deu em decorrência de uma reunião entre representantes do governo paulista, Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac, ocorrido no último dia 22. “Estamos na luta para vacinarmos todos o mais rápido possível”, disse.

O governador de São Paulo afirma que fez o pedido diretamente ao vice-presidente Mundial da Sinovac, Weining Meng, para que fosse enviadas as vacinas prontas, além do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo), que é a matéria prima para a produção das doses no Brasil.

O governo estadual diz que a resposta foi positiva desde então. “Vamos dar apoio total ao Butantan e também ao estado de São Paulo. O que o governador precisar, a gente vai dar todo o suporte”, afirmou Meng.

A chegada das vacinas já prontas evita uma espera em torno de 15 a 20 dias, que é o tempo necessário para se realizar o envase, rotulagem, embalagem e controle de qualidade antes do fornecimento das doses ao Ministério da Saúde.

Após caso Covaxin, campanha nacional contra Bolsonaro adianta manifestações para 3 de julho

Após as denúncias apresentadas pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) na CPI da Covid, a campanha Fora, Bolsonaro, fórum que reúne as organizações que encabeçaram os atos pelo impeachment de Jair Bolsonaro em 29 de maio e 19 de junho, decidiu convocar para 3 de julho nova mobilização nacional contra o presidente.

Antes do caso Covaxin, a data escolhida havia sido o 24 de julho. Diante do que entenderam como mudança de conjuntura e necessidade de aumentar imediatamente a pressão pelo impeachment de Bolsonaro, as lideranças da campanha escolheram o 3 de julho, sem cancelar as manifestações do dia 24.

Além disso, o protesto que acompanhará a entrega do superpedido de impeachment em Brasília, na quarta-feira (30), deverá ser reforçado.

As principais pautas da campanha são a saída do presidente, aceleração da vacinação, auxílio emergencial de R$ 600 e fim da violência policial.

“Achamos que abriram condições reais para o impeachment. Acreditamos que serão as maiores mobilizações de todo esse ciclo. O objetivo é derrubar o Bolsonaro”, diz Guilherme Boulos (PSOL), liderança do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e da Frente Povo Sem Medo.

Segundo o fórum de organizadores, houve 427 atos em 366 cidades do Brasil em 19 de junho, incluindo as 27 capitais, e em 42 cidades do exterior em 17 países, com um público total de 750 mil pessoas.

No mês passado, em 29 de maio, ainda de acordo com a coordenação, houve no total 227 atos, distribuídos em 210 cidades no país e 14 cidades no exterior, com cerca de 420 mil pessoas.

Presidentes de 11 partidos se unem contra voto impresso e reafirmam confiança nas eleições

Presidentes de 11 partidos políticos, incluindo legendas aliadas ao governo Jair Bolsonaro, decidiram dar início neste sábado (26) a um “movimento coletivo” contra a adoção de mecanismos de voto impresso nas eleições brasileiras.

Os líderes partidários defendem que o sistema eleitoral é confiável e que mudar as regras do jogo, a essa altura, poderia gerar incertezas no processo. Nos últimos meses, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também vem defendendo a lisura do processo.

O encontro foi realizado por videoconferência. Participaram da reunião os presidentes:

Ciro Nogueira, do PP;

ACM Neto, do DEM;

Valdemar Costa Neto, do PL;

Marcos Pereira, do Republicanos;

Paulo Pereira da Silva, do Solidariedade;

Luciano Bivar, do PSL;

Roberto Freire, do Cidadania;

Baleia Rossi, do MDB;

Gilberto Kassab, do PSD;

Bruno Araújo, do PSDB;

e Luís Tibé, do Avante.

“Nós, esses onze partidos, entendemos que era preciso um movimento coletivo para trazer um sinal claro de confiança no sistema eleitoral atual. Nós temos total confiança, o Brasil tem um dos sistemas eleitorais mais modernos no mundo. Uma coisa que está dando tão certo, para que mexer?”, disse o presidente do DEM, ACM Neto.

De acordo com o político, a união entre os partidos representa “a defesa da segurança do sistema eleitoral” e é uma ação que não é “contra ninguém”, mas sim “a favor do sistema”.

“Até porque existem partidos que são da base do presidente. Não é uma coisa contra, é a favor do sistema. Esse movimento dificulta muito qualquer mudança na legislação”, afirmou.

Em outro tom, o presidente do Cidadania, Roberto Freire afirmou que seria um “anacronismo” implantar o voto impresso no país e que as urnas eletrônicas são passíveis de auditoria.

“É possível acompanhar o processo eleitoral, é possível fazer auditagem – o que precisa é ter mais transparência no Tribunal Superior Eleitoral e participação dos partidos”, disse.

“Há formas de auditar, é uma falácia dizer que não tem. O voto impresso é só para facilitar esse tipo de desconfiança de dizer que houve fraude e criar problema”, ressaltou Freire.

O político também destacou a medida como uma defesa da democracia e disse que o grupo pretende convidar outras legendas para aderir à posição do grupo.

“Essa é uma resposta de que nós não queremos uma invasão do capitólio nacional desde já. Já estamos dizendo: ‘Ninguém vai inventar’, e que qualquer coisa sobre o voto impresso tal como se está querendo espaço é para criar aquilo que foi levantando nos Estados Unidos. É uma tentativa clara de golpear a democracia”, disse Freire.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, disse receber com “satisfação” a manifestação dos 11 partidos em apoio ao atual sistema de votação e auditoria.

“Como tenho dito desde o começo, esse é um tema político e o lugar certo para o debate é o Congresso Nacional. No TSE, temos trabalhado para apontar os riscos de quebra de sigilo, fraude e confusão que o voto impresso pode trazer. Recebo com satisfação a manifestação dos partidos e continuo à disposição para mostrar a segurança, transparência e audibilidade do sistema brasileiro de votação eletrônica“, declarou Barroso.

Covaxin: CPI acionará a PGR na segunda para pedir investigação de Bolsonaro, diz Randolfe

Vice-presidente da CPI da Covid, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) informou neste sábado (26) que vai apresentar uma notícia-crime à Procuradoria-Geral da República (PGR), na próxima segunda (28), para pedir investigação do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o senador, o documento apontará indícios de que Bolsonaro cometeu crime de prevaricação. A PGR deverá avaliar se pede autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o presidente.

De acordo com o Código Penal, prevaricar consiste em “retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal”. O delito é listado entre os crimes praticados por funcionário público contra a administração pública.

Na sexta (25), a CPI ouviu depoimentos do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e do irmão dele, Luis Ricardo Miranda. O parlamentar afirmou que Bolsonaro, ao ser informado sobre possível corrupção na compra da vacina Covaxin, atribuiu as irregularidades a seu líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR).

Estamos diante do seguinte fato: um servidor público concursado e seu irmão deputado federal levam ao presidente da República a notícia de que há um crime de corrupção em curso. O presidente da República informa que tem conhecimento do autor, e que se trata do seu líder na Câmara dos Deputados. Mesmo comunicado, o presidente da República não toma nenhuma providência – não instaura inquérito, não pede investigação, nada”, afirmou Randolfe.

“Diante deste grave acontecimento, estarei representando na segunda-feira à Procuradoria-Geral da República para dar notícia de crime de prevaricação cometido pelo senhor presidente da República. Este crime até aqui é o mínimo a ser apurado. Eu tenho certeza que a CPI apurará muito mais além disso”, adicionou o vice-presidente da comissão.

Senadores avaliam ter número suficiente de assinaturas para prorrogar CPI da Covid

Senadores que integram a CPI da Covid calculam que já há apoio suficiente entre os colegas para aprovar a prorrogação dos trabalhos por mais 90 dias. A comissão foi instalada no fim de abril, com prazo inicial até julho.

A estimativa vem do grupo conhecido como “G7”, formado pelos senadores de oposição e independentes que compõem a CPI. A expectativa, segundo parlamentares ouvidos pelo blog, é de que pelo menos 35 senadores assinem o requerimento.

O artigo 152 do regimento interno do Senado Federal determina que o prazo poderá ser prorrogado por meio de requerimento de um terço dos membros da Casa. Ou seja, é preciso um mínimo de 27 assinaturas.

O documento tem de ser enviado ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que oficializa a prorrogação ao ler o requerimento em plenário.

O governo não quer a extensão da CPI – que tem sido fonte de desgaste desde sua instalação, em abril.

A oposição dos governistas deve aumentar agora que os senadores passaram a investigar denúncias de pressão para a compra da vacina Covaxin quando o imunizante ainda não tinha sequer sido aprovado pela Anvisa. O aval da agência reguladora era um dos argumentos usados pelo governo para justificar o atraso nos contratos.

A CPI foi instalada para investigar a condução da pandemia pelo governo federal e a crise de oxigênio em Manaus, no início deste ano.

Senadores governistas ainda conseguiram incluir, no escopo das investigações, a investigação da aplicação de repasses federais para estados e municípios. A convocação dos governadores, no entanto, esbarrou em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) – os gestores estaduais podem ser apenas convidados, sem obrigação de comparecer.

A CPI já demonstrou que o governo ignorou mais de 80 comunicações da empresa Pfizer, que fazia testes de fase 3 da vacina contra Covid no Brasil e ofereceu ao governo a compra antecipada do imunizante. Não fosse isso, o Brasil poderia ter recebido milhões de doses já em dezembro.

O atraso na compra de vacinas também se estendeu à vacina CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Bolsonaro participa de passeio de moto com apoiadores em SC

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participa na manhã deste sábado (26) de um passeio de motos em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, em meio a apoiadores. Sem máscara durante o percurso, ele cumprimenta apoiadores e gera aglomeração.

O passeio começou por volta das 9h20, no Distrito Industrial Flávio Baldissera. Depois de percorrer as vias do município, os participantes chegaram por volta das 10h40 em Xanxerê, cidade na mesma região, para a inauguração de uma agência da Caixa Econômica Federal. Posteriormente, às 10h50, o grupo retornou a Chapecó e chegou ao local perto do meio-dia.

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues (PSD), acompanhou o passeio na garupa da moto em que Bolsonaro conduz. Os dois não usam máscara de proteção à Covid-19. Em Santa Catarina, o item é obrigatório e passível de multa no valor de R$ 500 para quem não a usar em espaços fechados.

O passeio provocou o fechamento do trânsito na BR-282 e terá o policiamento dos comandos da 4ª Região de Chapecó, da 2ª Região de Lages, da 9ª Região de São Miguel do Oeste, e da 10ª Região de Joaçaba. Além disso, estão empenhadas neste trabalho guarnições do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), Polícia Militar Rodoviária e cavalaria. O governo do Estado não informou os custos da operação.

No Rio de Janeiro Bolsonaro participou de um evento similar no 23 de maio. O mesmo ocorreu em 12 de junho na cidade de São Paulo.

Um homem de 46 anos foi detido com uma faca durante o passeio do presidente. Segundo a Polícia Civil, o fato não tem relação com a presença de Bolsonaro na cidade, já que o homem levado para a delegacia seria um andarilho conhecido na região e que confirmou que portava a faca para a segurança pessoal. Ele deve assinar um termo circunstanciado.

SJE São José do Egito se aproxima de metade da população vacinada com 1ª dose contra covid

Um novo vacinômetro divulgado pela Secretaria de Saúde do município, São José do Egito aparece com 43,59% da população vacina com a primeira dose, são 14.848 pessoas nessa condição.

Desse total 17,80% ou 6.063 pessoas já receberam também a segunda dose da vacina contra a covid-19.

Tanto os percentuais da 1ª, quanto da 2ª dose aplicadas na Terra da Poesia são bem maiores que a média nacional e estadual, segundo nota.

No Brasil 30,43% da população já recebeu uma dose da vacina, e 11,52% a segunda. Em Pernambuco 29,23% foram imunizadas com a 1ª dose e 22,19% da população do estado recebeu também a 2ª dose.

Covid-19: Fiocruz alerta que números da pandemia estão bem altos

Um dia após os pesquisadores Jurema Werneck e Pedro Hallal indicarem, durante depoimento na CPI da Covid, que cerca de 400 mil vidas poderiam ter sido salvas se medidas adequadas tivessem sido tomadas no combate ao novo coronavírus, o Boletim do Observatório Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), reforçou que muitas vidas perdidas para a doença seriam salvas com medidas públicas baseadas em evidências científicas. Um ano e três meses depois da chegada do novo coronavírus ao país, apesar do início da vacinação, o cenário ainda é preocupante, pois a transmissão do vírus permanece em níveis elevados, segundo os pesquisadores da instituição.

“Nas últimas semanas, muitas macrorregiões apresentam taxa de incidência extremamente alta, acima de 10 casos por 100 mil habitantes”, indica o documento. Segundo os cientistas, o “Brasil é hoje um dos epicentros da pandemia no mundo em termos de gravidade”. A análise leva em conta, também, a taxa de óbitos do país por milhão de habitantes, que hoje é 4,7 vezes maior do que a global. “Se no mundo temos uma taxa de 497 óbitos por milhão de habitantes, no Brasil atinge 2.364 óbitos por milhão de habitantes”, aponta o boletim.

Somente ontem, mais 2.001 mortes foram registradas ,de acordo com o balanço do Ministério da Saúde e do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde. Com isso, a média móvel de mortes ainda continua perto da faixa de 2 mil e, segundo o Conass, a média atingiu, ontem, o patamar de 1.806 mortes.

Parte do documento destaca, ainda, a velocidade com que o país passou a contabilizar 100 mil óbitos desde o início da pandemia. Para alcançar os primeiros 100 mil e 200 mil óbitos, foram necessários intervalos de cinco meses. Depois disso, mais 100 mil mortes foram contabilizadas em dois meses e meio e, em 24 de março, o Brasil atingia a marca de 300 mil vidas perdidas. Para passar de 300 mil para 400 mil mortes, foi preciso pouco mais de um mês.

“Na sequência, em apenas um mês e 23 dias (entre 29 de abril e 19 de junho), foram contabilizados mais 100 mil óbitos, chegando à triste marca de 500 mil. A velocidade de ocorrência de óbitos se mantém com números extremamente altos, o que descreve a situação crítica que o país ainda vive”, concluem os especialistas.

Lula deve se reunir com Paulo Câmara em julho

Despontando bem nas pesquisas para as eleições de 2022, o ex-presidente Lula (PT) deve desembarcar no Recife no mês de julho. A informação é do Diário de Pernambuco.

Na agenda, encontro com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), que é o elo que o “liga” ao PSB, uma vez que Paulo é vice-presidente nacional da sigla.

Além do encontro com o gestor estadual, o líder petista deve se encontrar com a ex-primeira dama Renata Campos, com quem mantém boas relações desde a época do ex-governador Eduardo Campos, pai do prefeito do Recife, João Campos (PSB) que também tem encontro marcado com Lula.

O palanque para a construção de uma Frente Ampla vem sendo construído desde quando o petista foi considerado elegível pelo STF. De lá pra cá, ele vem costurando alianças com políticos da esquerda, do centro e centro-direita. Almoçou com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), encontrou-se com caciques do MDB e do DEM, e segue pavimentando o caminho para sua possível eleição em 2022.

Inclusive, as idas de Marcelo Freixo e Flávio Dino para o PSB, conforme assinalaram fontes à reportagem, fazem parte deste tratado rumo às eleições presidenciais.

OMS pede vacinas para cobrir carência grave de países mais pobres

Países ricos estão retomando a atividade social e vacinando jovens que não correm grande risco de Covid-19, enquanto os países mais pobres sofrem uma carência cruel de doses, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira(25), criticando um fracasso global.

A situação na África, onde as novas infecções e mortes saltaram quase 40% na semana passada quando comparadas com a semana anterior, é “muito perigosa” agora que a variante Delta se dissemina globalmente, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Nosso mundo está fracassando, como comunidade global estamos fracassando“, disse ele em uma coletiva de imprensa.

Tedros, que é etíope, repreendeu países não identificados por sua relutância em compartilhar doses com países de renda baixa. Ele comparou a situação com a crise de HIV/Aids, quando alguns argumentaram que nações africanas eram incapazes de usar tratamentos complicados.

“Quer dizer, esta atitude tem que ser uma coisa do passado”, disse o diretor-geral. “O problema agora é um problema de suprimento, deem-nos as vacinas.”

A diferença é entre os que têm e os que não têm, o que está expondo completamente a injustiça do nosso mundo agora – a injustiça, a desigualdade, vamos dizer a verdade”.

Muitos países em desenvolvimento se saem muito melhor do que países industrializados em vacinações em massa de suas populações contra doenças infecciosas que vão do cólera à pólio, disse Mike Ryan, o maior especialista em emergências da OMS.

O nível de paternalismo, o nível de mentalidade colonial que dizem ‘não podemos dar algo a vocês porque tememos que vocês não usem’. Falando sério, no meio de uma pandemia?”, afirmou.

Brasil receberá doação de 47 mil itens de kit intubação da Irlanda

O Ministério da Saúde vai receber uma doação de 47 mil medicamentos utilizados no chamado kit intubação. Os insumos, considerados pela pasta como essenciais para tratar casos graves de Covid-19, foram enviados pelo governo da Irlanda.

De acordo com o ministério, foram distribuídos, este ano, mais de 14 milhões de medicamentos hospitalares – incluindo aqueles utilizados para intubação orotraqueal, “garantindo os estoques e o atendimento” a pacientes internados com quadros graves.

Deputado Luis Miranda e senador Marcos do Val se desentendem em intervalo da CPI da Covid

O deputado Luis Miranda (DEM-DF) e o senador Marcos do Val (Podemos-ES) se desentenderam durante intervalo de sessão e foi necessária a intervenção de outros parlamentares.

Em um vídeo com trecho da transmissão da CPI que está circulando nas redes sociais é possível ver Marcos do Val dar uma “ombrada”. Os senadores Humberto Costa (PT-PE), Eliziane Gama (Cidadania-MA) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) separando a dupla.

O presidente da CPI Omar Aziz havia suspendido temporariamente a sessão após uma confusão iniciada depois que o senador Marcos Rogério (DEM-RO) apresentou documentos descontextualizados. 

Confira o vídeo:

Governadores não são obrigados a depor na CPI, decide STF

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), em votação na quinta-feira (24), decidiu que os governadores podem comparecer à CPI da Pandemia na condição de convidados, mas não como convocados. A maioria dos ministros acompanhou o entendimento da relatora, ministra Rosa Weber, para quem a convocação de governadores fere a Constituição em dispositivos como a separação de Poderes, caracterizando intervenção federal não prevista pela Carta Magna.

Por meio da da Advocacia do Senado, a CPI recorreu da decisão de Rosa Weber, que tornou facultativa a presença do governador do Amazonas, Wilson Lima, na CPI. O depoimento ocorreria em 10 de junho. A ministra concedeu habeas corpus preventivo a Lima. Ainda que fosse ao Senado, o governador teria direito a permanecer em silêncio, já que foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República e não deveria fazer prova contra si.

Lima é investigado na Operação Sangria, da Polícia Federal, que apura roubo de dinheiro no combate à pandemia, por meio de suposta organização criminosa no estado, envolvida principalmente na compra de respiradores.

No dia 10 de junho, o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), lamentou a ausência do governador do Amazonas.

Respeitamos a decisão da ministra, mas temos de recorrer. Acredito que o governador perde uma oportunidade ímpar de esclarecer ao Brasil, e principalmente ao povo amazonense, o que ocorreu no Estado. Não é uma coisa rotineira: falou oxigênio, pessoas perderam vidas”, lamentou.

O senador Eduardo Braga (MDB-AM) foi outro que criticou a ausência do governador.

“Foi uma oportunidade que perdeu de esclarecer à opinião pública, explicar por que que tinha R$ 478 milhões depositados no fundo de saúde e mesmo assim faltou oxigênio, faltaram medicamentos e leitos. Tivemos várias situações, compra de ventiladores em lojas de vinho”, disse Braga.

Assim como o gestor do Amazonas, outros governadores acionaram o STF para pedir a suspensão de “qualquer ato da CPI referente a convocação”, o que acabou sendo acatado pela maioria dos ministros da Corte na decisão da quinta-feira.

No twitter, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) criticou a posição do STF.

“É todo dia um 7×1 diferente: meu requerimento que deu origem à CPI previa investigar todas as esferas do Executivo. Foi desrespeitado pelo STF! Ao deixar governadores de fora, nossa Justiça torna-se cega não pela imparcialidade, mas por fechar os olhos para a corrupção”, criticou.

Rogério Carvalho (PT-SE) sugeriu à mesa da CPI transformar todos os requerimentos de convocação de governadores em convite.

Serra Talhada recebe lote da vacina da Janssen

Serra Talhada recebeu nesta sexta-feira (25) o primeiro lote de vacinas da Janssen.

A coordenadora da XI Gerência Regional de Saúde (Geres), Karla Millena, comemorou o reforço uma vez que o imunizante é dose única, e vai acelerar o ritmo de vacinação na Capital do Xaxado.

Serra foi escolhida devido aos altos índices de contaminação do novo coronavírus. São quase dez mil infectados e o número de óbitos se aproxima dos 160. Também chegaram doses das vacinas CoronaVac e Pfizer.

“Este lote da Janssen veio apenas para seis cidades de Pernambuco, Recife, Garanhuns, Arcoverde, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada, devido ao cenário epidemiológico. Isso vai acelerar a vacinação, uma vez que é dose única”, declarou Millene.

Segundo a diretora da XI Geres, a definição de quem será vacinado, faixa etária e outras orientações, será de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Vereadora de Piancó-PB morre vítima de complicações da Covid-19

Após vários dias internada no Hospital Regional da cidade de Piancó-PB, morreu nesta quinta-feira (24) a vereadora, Erilene Alves da Silva Lacerda (Progressistas), 40 anos.

A parlamentar havia testado positivo para o novo Coronavírus no dia 2 do corrente mês e, desde então, lutava pela vida no Hospital Regional de Piancó, onde ficou intubada porque estava com 80% dos pulmões comprometidos.

Seu quadro só piorava e ela teve que ser colocada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde não resistiu e veio a óbito, deixando o esposo viúvo e dois filhos órfãos de mãe.

Carreira

Erilene se elegeu vereadora pela primeira vez em Piancó, no ano de 2012, com 382 votos pelo PSDB.

Em 2016, segundo registros do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE), ela não Concorreu a reeleição, mas em 2020, tornou a disputar a vereança e venceu com 395 sufrágios.(Informações Portal Heleno Lima)