Arquivo da categoria: Carnaval

Por falta de patrocínio, Prefeitura de SP cancela carnaval de rua previsto para julho

A Prefeitura de São Paulo decidiu cancelar o carnaval de rua previsto para os dias 16 e 17 de julho por falta de patrocínio. Nesta quinta-feira (7), o segundo pregão para o patrocínio da folia dos blocos de rua não registrou interessados.

O evento estava marcado para os dias 16 e 17 de julho. O primeiro pregão para o “Esquenta de Carnaval” foi feito na quinta-feira (24) e também não teve interessados. A Prefeitura baixou o lance inicial de R$ 10 milhões para R$ 6 milhões.

Entretanto, o prefeito afirmou que não irá investir dinheiro público.

“Não teve patrocínio, não tem emenda parlamentar, eu não vou usar dinheiro público para realizar o carnaval nesta época, fora de época.”

Ele ainda disse que, para o ano que vem, porém, a prefeitura pode colocar recurso, caso seja necessário.

“Mas para tranquilizar os blocos: se lá em fevereiro, a gente fizer o chamamento, que aí é a data ordinária que está no calendário, e faltar patrocínio, que eu não acredito, mas se eventualmente faltar, aí a prefeitura evidentemente vai arcar.”

Carnaval dos blocos de rua de SP em julho pode ser cancelado se não houver patrocinador, diz Nunes

O carnaval fora de época dos blocos de rua de São Paulo poderá ser cancelado se não houver patrocinadores privados, afirmou o prefeito Ricardo Nunes (MDB) nesta quinta-feira (30). O evento está marcado para os dias 16 e 17 de julho e o pregão acontece dez dias antes, na terça-feira (7).

O primeiro pregão para o “Esquenta de Carnaval” foi feito na quinta-feira (24) e não teve interessados. Por isso, a Prefeitura baixou o lance inicial de R$ 10 milhões para R$ 6 milhões. Se não houver interessados, a festa será cancelada, segundo Nunes.

“Se não houver patrocínio privado, a Prefeitura não colocará dinheiro público nesse carnaval fora de época. Se a gente estivesse falando do carnaval de rua normal no começo do ano evidentemente a gente ia aportar para garantir o evento. Como é um evento extraordinário, se tiver patrocínio privado a gente vai fazer bem feito e se não tiver a prefeitura não vai colocar recurso público agora”. afirmou.

O Esquenta de Carnaval foi proposto como uma prévia para o carnaval de 2023, já que, oficialmente, a capital não teve a tradicional festa de rua, com trios elétricos. As datas foram escolhidas em abril, após o carnaval de rua ter sido cancelado em janeiro pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) por causa do avanço da pandemia de Covid-19.

Nunes reiterou que só não vai investir na festa agora porque se trata de uma situação específica em que a data da festa é “extraordinária”.

“Se no ano que vem a gente fizer o chamamento público e não tiver patrocinador, a gente vai colocar o recurso. Mas eu creio que deva ter interessado, reduzimos de R$ 10 milhões para R$ 6 milhões.”

Segundo a Secretaria Municipal de Cultura, foram recebidos 296 pedidos de inscrição de blocos, e, após eliminar duplicidades de cadastro e solicitações consideradas incompletas, restaram 216 blocos. As inscrições estão sob análise da equipe de coordenação técnica da prefeitura, que vai levar em conta trajetos e horários. Haverá apenas um desfile por bloco.

Entre os que estão sob análise estão blocos como Acadêmicos da Cerca Frango, Agrada Gregos, Baco do Parangolé, Bangalafumenga, Bloco Chá Da Alice, Bloco das Coleguinhas, Bloco Lua Vai, Bloco Minhoqueens, Domingo Ela Não Vai e Galo da Madrugada.

Mancha Verde é bicampeã do carnaval de SP

A Mancha Verde é a grande campeã do carnaval 2022 de São Paulo. Com a conquista de 2019, a Mancha garantiu o bicampeonato. A Mocidade Alegre ficou em segundo lugar, e a Império de Casa Verde, em terceiro.

As escolas Colorado do Brás e Vai-Vai foram rebaixadas para o Grupo de Acesso do carnaval de São Paulo.

Com o enredo “Planeta Água”, a Mancha refletiu sobre a importância da preservação e valorização da água não apenas para a natureza, como também para rituais de várias religiões. 

O presidente da escola, Paulo Serdan, agradeceu ao compositor Guilherme Arantes por ter cedido a música e afirmou que a Mancha reagiu depois de ter tido problema em um carro alegórico.

“Só tenho que agradecer todo mundo, agradecer meu povo, diretoria. Agradecer Guilherme Arantes que liberou a música para a gente. Nós não saímos com o atraso, se eu quiser entrar na pista com 20 minutos eu entro, nós sabíamos o que estávamos fazendo, só mudamos a nossa estratégia de desfile. Ano que vem vamos falar de Lampião. Para a gente é gratificante a gente ter tido a capacidade de reagir a hora que abriu o portão, a frieza, a nossa equipe de barracão, saber exatamente o que tinha que fazer, mudamos a nossa estratégia na hora, não entramos atrasados, entramos com o tempo necessário para resolver o nosso problema e sair com o tempo certo”.

Para Serdan, a Mancha tinha as melhores alegorias do carnaval.

“Na nossa humildade sabíamos que poderíamos ter problemas, perdemos uma nota em alegoria, até que justo, mas pelo conjunto de alegorias que desenvolvemos esse um decimo não foi justo porque foi uma das melhores alegorias do carnaval de SP, talvez do Rio. A mancha está em um grau de maturidade que sempre esperamos [ganhar], mas entidades grandes também caem. Temos que ter humildade suficiente para saber que quando chegamos na faixa amarela tudo acontece”.

Já na quadra, na Pompeia, Serdan se dirigiu aos integrantes da escola e agradeceu.

“Quero agradecer nosso pessoal do barracão, para que a gente recuperasse o que precisava recuperar, e a gente passou bem demais. Comissão de frente, infernizei a vida deles por dois anos. Do fundo do coração, agradecer vocês todos. A gente estava sentindo o começo do desfile tenso pelo o que aconteceu . E a gente antecipou o apagão e vocês explodiram na avenida. Vocês ganharam o Carnaval. Viva Mancha, viva bicampeonato.  E a gente vai pro tri”. disse.

A apuração das notas do carnaval 2022 de São Paulo aconteceu na tarde desta terça-feira (26), no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da cidade. O g1 acompanhou em tempo real.

Marquinhos, diretor de harmonia da Mancha, falou que a vitória tem um sabor especial por estarem celebrando a vida após a pandemia.

“Esse título é muito trabalho, foram dois anos que a comunidade veio junto com a gente. Estava todo mundo precisando, tivemos um ano difícil, perdemos um campeonato, perdemos nota em comissão. Eu peguei o telefone e liguei pra eles e falei ‘os humilhados serão exaltados’ e eu acho que deus deu o maior presente para a gente, além da celebração da vida é isso que estamos vivendo hoje. Tem um sabor especial, estamos celebrando a vida, um momento único, se foram muitas pessoas, temos que comemorar, foi muito trabalho”, disse.

Desfile da Rosas de Ouro faz Bolsonaro tomar vacina e virar jacaré

O desfile da Rosas de Ouro na manhã deste domingo (24) transformou um personagem que representava o presidente Jair Bolsonaro num jacaré depois que ele recebeu uma dose de vacina.

Sexta escola a entrar na avenida no segundo dia de desfiles do Grupo Especial de São Paulo, a Rosas de Ouro trouxe um enredo que falou sobre rituais e caminhos para curar todos os males por meio da fé, da magia, da ciência e, claro, do samba.

Em dezembro de 2020, Bolsonaro disse que não tomaria vacina e que, se a pessoa optasse por tomar e virasse um jacaré, o problema seria dela. À época, Bolsonaro se referiu a uma cláusula da Pfizer de que não se responsabilizaria por eventual efeito colateral da vacina.

“E na Pfizer [contrato da Pfizer] tem lá: nós [Pfizer] não nos responsabilizados. Se eu virar um chi, se eu virar um jacaré, se você virar super homem, se nascer barba em alguma mulher, ou algum homem começar a falar fino… e o que é pior: mexer no sistema imunológico das pessoas”, falou Bolsonaro.

Paes entrega chaves da cidade ao Rei Momo e carnaval é declarado aberto no Rio

O carnaval foi declarado oficialmente aberto no Rio de Janeiro nesta quarta-feira (20). O prefeito Eduardo Paes entregou a chave da cidade ao Rei Momo no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. A cerimônia marca o tradicional início da folia.

“O rei momo assume a partir desse momento o carnaval carioca até a próxima segunda feira. Quero dizer com orgulho que o maior espetáculo da Terra voltou, e vai ter carnaval. Viva o carnaval carioca”, disse o prefeito.

O prefeito falou ainda sobre os dois anos sem carnaval.

“Passaram-se alguns anos sem que essa cerimônia pudesse acontecer. O carnaval é a maior manifestação cultural da nossa gente, o maior símbolo do nosso país. O carnaval não depende desses personagens, mas é muito importante que a gente esteja vivendo esse momento”, disse.

“Vocês não sabem o quanto eu esperei esse momento, estar entregando a chave da cidade novamente ao Rei Momo”, completou.

Rei Momo pela 5ª vez, Wilson Dias, da Vila Isabel, recebeu as chaves e esteve acompanhado de sua Rainha, Thaiana Rodrigues Pinheiro, do Salgueiro, do vice-Rei e outras duas princesas.

“Que nesse carnaval só reine a alegria, a espontaneidade, o consentimento de todos nós. Declaro aberto o carnaval carioca. Viva o samba”, disse o Rei Momo.

Integrantes da bateria das escolas Beija-Flor e São Clemente participaram do evento.

Por causa da pandemia e do avanço da variante ômicron, a folia, que normalmente acontece em fevereiro, foi adiada para o feriado de Tiradentes, em abril.

Prefeitura estuda fazer o carnaval de rua de SP no mês de junho, durante o feriado de Corpus Christi

Com o arrefecimento dos números da Covid-19 e a cobrança dos blocos de Carnaval pela volta da festa ainda este ano, a Prefeitura de São Paulo quer organizar a folia nas ruas da capital em junho, segundo a secretária municipal da Cultura, Aline Torres. A nova data que deve ser discutida é a do feriado de Corpus Christi.

Na semana passada, seis entidades que representam a maioria dos blocos paulistanos divulgaram uma carta pública demonstrando o interesse de sair às ruas. Partes dos blocos quer desfilar no feriado de Tiradentes, entre os dias 21 e 24 de abril, quando ocorrem os desfiles das escolas de samba no Anhembi.

Na carta, o grupo afirma que “não há motivos” para que a gestão municipal proíba os cortejos, já que os eventos esportivos, os festivais de música e o Carnaval de Sambódromo foram liberados com a queda nas mortes e internações por Covid-19. O último boletim da Friocruz mostra que os casos de Covid chegaram ao menor valor percentual da pandemia no país.

O prefeito Ricardo Nunes (MDB) chegou a dizer que o Carnaval de rua poderia ocorrer durante o feriado de Tiradentes, desde que os blocos tivessem condições de bancar a infraestrutura e segurança do evento.

A ideia que foi rebatida por uma das representantes do coletivo ‘Arrastão dos Blocos’, Lira Alli, entidade signatária do manifesto. Para ela, os blocos não devem e nem têm condições de assumir o papel do Poder Público na organização do evento.

Por isso, a prefeitura marcou uma reunião na última sexta-feira (8) com os organizadores de blocos. Mas o encontro terminou com protestos contra a gestão de Nunes, insultos à secretária e a gestão municipal mantendo o argumento de que não tem tempo hábil para organizar a festa.

“Antes da prefeitura decidir cancelar o Carnaval de rua, os próprios blocos anunciaram que não iriam desfilar. Em pouco mais de dez dias, não conseguimos organizar um Carnaval. Mas vamos sentar com os organizadores e definir uma nova data, um feriado de junho, e ver quem quer desfilar e quais as condições”, afirmou Aline Torres à GloboNews neste sábado (9).

Em janeiro, quando houve o cancelamento, o país enfrentava um pico de casos de Covid por causa da variante ômicron e cerca de 250 blocos divulgaram um manifesto dizendo que não sairiam no Carnaval, independente do que a prefeitura decidisse. Já outras entidades defendiam um adiamento, com uma nova data estabelecida para a folia ainda este ano, o que não aconteceu. A cidade de São Paulo tem cerca de 800 blocos.

Agora, cerca de 60 blocos afirmam que pretendem desfilar com ou sem apoio da prefeitura no feriado de Tiradentes, decisão que preocupa a gestão municipal.

“Mesmo um bloco pequeno pode causar um impacto grande para a cidade e colocar as pessoas em risco. Imagina um carro atropelar alguém porque a via não foi bloqueada ou aquela rua ser o caminho de uma ambulância?”, afirma a secretária.

Já os integrantes dos coletivos reclamam da falta de diálogo com a prefeitura e de não ter havido antes uma proposta para um Carnaval atípico, menor.

“Acho que a gente tem que tomar cuidado pra não inverter o que é papel da sociedade e qual o papel do estado. A gente, como bloco de carnaval, pode garantir a produção da cultura popular. O que é papel do estado é garantir a estrutura. A gente não tá sendo irresponsável de dizer que vamos colocar blocos de centenas de milhares de pessoas nas ruas. Não é isso. A gente tá falando do nosso direito cultural”, afirmou Lira Alli.

Durante a semana, em nota, a Prefeitura de São Paulo havia informado que apresentaria às entidades carnavalescas de blocos de rua “as exigências e regras da legislação municipal que normatiza a realização do carnaval de rua, como a necessidades de apoio das forças policiais, estrutura de atendimento de saúde com diferentes níveis de complexidade (chegando até à viabilização de pequenas cirurgias nos próprios locais dos desfiles); plano de adequação de trânsito e linhas de ônibus, entre outros, e o prazo necessário para o atendimento de todas as providências necessárias.

“Em todos os desfiles, é proibida a utilização de cordas, correntes, grades e outros meios de segregação do público ou que constituam áreas privadas, tais como camarotes. Não são autorizadas em logradouros públicos manifestações carnavalescas com cobrança de ingresso”, disse a nota da gestão municipal, que ainda não publicou as tais regras.

Auxílio Emergencial do Carnaval começa a ser pago em Pernambuco

O processo do Auxílio Emergencial do Carnaval 2022 foi concluído pelo Governo do Estado, e o benefício começará a ser pago a 668 artistas, grupos e agremiações de Pernambuco a partir da próxima segunda-feira (11).

No total, mais de 17 mil profissionais da cultura foram contemplados, com valores equivalentes a pelo menos 80% do último cachê pago pela Fundarpe/Empetur – com o piso de R$ 3mil e o teto de R$ 30mil.

Dos contemplados com o benefício estão os segmentos dos afoxés, blocos líricos, caboclinhos, orquestras, cirandas, grupos de coco e escolas de samba, entre outros.

Além deles, artistas e grupos que trabalham com música carnavalesca, pagode, pop regional, brega e MPB também foram incluídos no processo.

Prefeitura de SP diz que desfiles de blocos de rua no feriado do dia 21 são ‘risco desnecessário’; carnaval no Anhangabaú está liberado

A Prefeitura de São Paulo divulgou nesta segunda-feira (4) uma nota destacando que o carnaval de rua na capital segue cancelado pela gestão municipal. No comunicado, a prefeitura afirma que desfiles ilegais representam um “risco absolutamente desnecessário”. A declaração ocorre após as principais entidades de blocos de rua da cidade de São Paulo emitirem uma carta pública anunciando a intenção de realizar desfiles.

Apesar do cancelamento do circuito de blocos de rua, pelo menos uma festa de carnaval em espaço público deve ocorrer no feriado de Tiradentes neste ano. O Acadêmicos do Baixo Augusta, um dos megablocos mais tradicionais da capital, anunciou que vai estar no Vale do Anhangabaú, um espaço que foi concedido à iniciativa privada.

Segundo os organizadores, o evento vai ser em 24 de abril, com várias atrações. A entrada será gratuita e, para obter ingressos, é preciso apresentar um comprovante de vacinação contra a Covid-19.

“Vamos fazer um cercamento pra poder ter o controle do acesso, já temos plataforma pra pessoa se cadastrar, enviar o passaporte da vacina, aprovar e mandar o ingresso de volta. A gente está organizando praticamente tudo, parte artística, infraestrutura, ambulância, gradeamento, os palcos, que serão dois trios elétricos. A gente que esta organizando tudo. Nossa parceria com o vale é na questão de poder organizar o evento lá”, disse Ale Natacci, presidente do Acadêmicos do Baixo Augusta.

Em nota, a prefeitura destacou que “não há mais tempo hábil para organizar desfiles de blocos de rua, evento que exige meses de planejamento antecipado, como é de conhecimento público”.

“A Prefeitura espera que a entidades que representam os blocos de carnaval de rua respeitem as decisões anteriores e, assim, evitem eventos sem o aval e a organização por parte do poder público para não colocar as pessoas em risco absolutamente desnecessário”, disse a administração municipal, em nota.

A decisão desagradou organizadores de blocos, que se reuniram para protestar contra a decisão.

Operação da Prefeitura de Olinda registra aglomerações e festas ilegais no Sítio Histórico 

Uma operação montada pela Prefeitura de Olinda para fiscalizar os trechos tradicionais de folia na cidade flagrou diversas aglomerações e festas ilegais na noite do último sábado (26). As equipes estavam divididas em cinco pontos: Praça São Pedro, Quatro Cantos, Alto da Sé, Fortim do Queijo e na Rua São Bento. O efetivo também realizou rondas e monitoramentos na Cidade Alta. 
 
De acordo com o decreto do Governo de Pernambuco, estão proibidas festas públicas e privadas, bailes, shows e desfiles de blocos e troças até o dia 1º de março. 
 
Além disso, a Prefeitura de Olinda proibiu a realização de apresentações musicais ao vivo e a utilização de equipamentos de som mecânico e eletrônico até às 6h da próxima quinta-feira (3) em todo o Sítio Histórico da cidade. 
 
Em desrespeito a essas normas, um bloco carnavalesco foi abordado pelos fiscais da prefeitura tocando instrumentos musicais na Avenida Joaquim Nabuco, no Varadouro. Os objetivos foram apreendidos pelos agentes de Operações do Controle Urbano. Cerca de 40 pessoas participavam do grupo. 
 
“No sábado, pegamos uma ocorrência com prisão em flagrante de algumas pessoas que estavam participando de um bloco. Elas foram conduzidas para a delegacia de plantão no Varadouro onde foi realizada a autuação. Houve uma resistência inicial, mas a ocorrência foi concluída”, destacou o secretário de Segurança de Olinda, coronel Pereira Neto. 
 
Na Rua do Amparo, o bar Distampa e a Bodega do Véio foram fechados pelos fiscais da Prefeitura. Houve registro de aglomeração de clientes. Na via, centenas de pessoas realizavam festas ilegais, aglomerando e sem máscaras e obstruindo a passagem dos carros. 
 
“O bar Distampa já havia sido interditado um dia antes, mas furtivamente estava com as portas fechadas e utilizando o estacionamento interno para a realização de festividades. Foi aplicada uma multa de R$20 mil ao proprietário do estabelecimento e ele foi notificado para que ele comparecesse amanhã na Secretaria Executiva de Controle Urbano para regularizar a sua situação ou se explicar”, pontuou o coronel. 
 
Já na Bodega do Véio, existia uma quantidade considerável de pessoas provocando aglomeração. Segundo o secretário, também foram feitas denúncias de que equipamentos sonoros estavam no local. Quando a equipe chegou fez o fechamento do estabelecimento e a dispersão das pessoas. 
 
Além dos agentes do Controle Urbano, participam da Operação representantes da Guarda Municipal; Mobilidade Urbana; Vigilância Sanitária; Patrimônio, Cultura e Turismo e da Polícia Militar de Pernambuco.

Sem Carnaval, ladeiras de Olinda ficam quase vazias; equipes reforçam fiscalização

Pelo segundo ano consecutivo, as ladeiras de Olinda deixaram de receber a alegria do Carnaval. A multidão, os blocos, e as cores saíram de cena e deram espaço para a calmaria, o silêncio e o desejo da festividade retornar o mais breve possível.

Com o intuito de conter o avanço da Covid-19 em Pernambuco, o Governo do Estado decidiu proibir as festas carnavalescas. Até o dia 1º de março, estão proibidas festas públicas e privadas, bailes, shows e desfiles de blocos e troças. 

No Sítio Histórico, em locais conhecidos pelos foliões como os Quatro Cantos, o Alto da Sé, a Ladeira da Misericórdia e a Praça João Alfredo, o espírito carnavalesco não se apagou. 

Para evitar aglomerações e festas clandestinas, as equipes de fiscalização da Guarda Municipal Civil de Olinda e da Polícia Militar de Pernambuco circulavam pelos principais pontos de folia. 

A fotógrafa Rebecca Torquato, moradora do Recife, foi acostumada desde pequena a frequentar as ladeiras de Olinda. Este ano, mesmo não havendo Carnaval, ela não deixou de se fantasiar de bailarina e comemorar de um jeito próprio.

“Mesmo com a proibição, é impossível não viver o Carnaval. A gente não vai poder estar todo mundo junto, mas vamos viver pelo menos a essência. Se a gente não pode brincar, damos pelo menos uma olhadinha para relembrar o passado, passar pelas ruas, tirar algumas fotos”, disse.

Sensação de tristeza, mas por um bem maior. É assim que a fotógrafa define os dias sem a festividade. “Eu nunca imaginei que as ruas estariam vazias, é triste, é penoso, mas é necessário. As ladeiras daqui tem uma energia, que mesmo sem ninguém, você sente, se arrepia. Aqui nos Quatro Cantos era um fervor”, acrescentou. 

Apesar de gostar muito do Carnaval, a artista plástica Ledinalva Oliveira Steiner, mora há 65 anos na rua Prudente de Morais, um dos principais pontos de folia. Ela achou maravilhoso não ter a festividade de momo este ano por conta da Covid-19. 

“A gente tem que cuidar da saúde e depois do Carnaval. Esses dois anos são necessários para tudo voltar ao normal. Quando tem Carnaval, eu adoro. Vou para a rua, danço meu frevinho e entro. Vamos cuidar da saúde e curtir depois com certeza”, destacou. 

No Alto da Sé, alguns turistas circulavam para conhecer a cidade. Artesãos, comerciantes e tapioqueiras vendiam os seus produtos para quem estava passando pelo local. Mesmo sem Carnaval, o espírito carnavalesco não deixa a cidade em nenhum instante e é sentido através das cores, das culturas e das memórias. 

O artista de rua Gilberto Nascimento Ferreira, conhecido como Diabo Lin, mora no bairro do Amparo. Ele é palhaço, mágico, anda na corda, em perna de pau e engole até fogo. Para o artista, o importante é divertir as pessoas não importa o lugar. Desde criança, a família dele sempre o fantasiava para a época. 

Este ano, o domingo de Carnaval começou triste para o artista sem a magia tomando conta da cidade. “Eu fico triste porque muitos dependem de trabalhar e ganhar o pão de cada dia com o Carnaval. Eu acordei meio triste, mas sabendo que Deus faz tudo certo. Quando tiver o próximo Carnaval, eu quero que aqui esteja lotado”, pontuou. 

O diretor comercial Fabricio Vimercati e sua família vieram do interior do Espírito Santo para conhecer as expressões culturais que permeiam Olinda. Para ele, é visível que está faltando algo nesse período. 

“Estou aqui com a minha família que está super interessada em conhecer os bonecos e as caricaturas que fazem parte da cultura e do Carnaval daqui. A chuva que está garoando dá esse sentimento de perda, que está faltando algo. Eu tenho certeza que para as pessoas que são daqui deve ser mais importante ainda do que para a gente, porque vivem isso frequentemente desde a infância. Dá pra ver pelo clima na cidade, as pessoas estão com caras não tão festiva do que estariam”, disse. 

Criado em 1993, o bloco “Lavou Tá Novo Zerado e o Guia de Olinda” sai pelas ruas de Olinda toda segunda-feira de Carnaval. A agremiação foi criada por José Carlos Urbano Dornelas, que é morador da cidade, artista plástico e guia turístico. Para o artista, a sensação é de perda por mais um ano sem o bloco sair pelas ruas. “Eu estou sentindo um vazio muito grande. É uma sensação de perda”, ressaltou. 

Pelo 2º dia consecutivo, cidade de SP registra desfile de blocos no Centro, mesmo com carnaval de rua cancelado

Apesar da proibição dos blocos de carnaval de rua de São Paulo, o bairro da Santa Cecília, no Centro, registrou a concentração de foliões pelo segundo dia consecutivo neste domingo (27).

A festa clandestina dos foliões foi registrada na Praça Olavo Bilac, próximo da avenida Angélica durante a tarde.

No sábado (26), músicos com instrumentos de som também foram registrados no local, que também teve grande concentração de pessoas.

Aglomerações também foram registradas na Praça Roosevelt, no Centro, que estava lotada de jovens e foliões neste domingo (27), conforme imagens feitas pelos moradores que vivem nas imediações.

O carnaval de rua na cidade de São Paulo foi cancelado em janeiro pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB), por causa da pandemia, a exemplo do que aconteceu em outras capitais como Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

Já os desfiles das escolas de samba de São Paulo foram transferidos para o feriado de Tiradentes, em 21 de abril.

O g1 procurou a Prefeitura de São Paulo, mas não recebeu retorno até a última atualização desta reportagem.

As escolas de samba paulistanas também fecharam ruas da capital para fazer ensaio geral na noite de sábado (26), data em que seriam realizados os desfiles no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte.

Prefeitura do Rio dispersa oito blocos de carnaval irregulares no fim de semana

A Prefeitura do Rio de Janeiro dispersou oito blocos de carnaval irregulares neste fim de semana, segundo a Secretaria de Ordem Pública e a Guarda Municipal. Foram cinco eventos não autorizados neste domingo (27) e três no sábado.

O carnaval de rua no município foi cancelado pelo segundo ano seguido por causa do aumento nos casos de Covid. Quanto às festas privadas, estão liberadas aquelas com cobrança de ingressos, mediante autorização da Prefeitura do Rio.

A Seop monitora os eventos e a Guarda Municipal desmobiliza os blocos. As fiscalizações são realizadas por 1.260 agentes diariamente, segundo o órgão.

A Prefeitura do Rio informou ainda que indeferiu a solicitação para a realização do evento “Encontro de Blocos” na Feira de São Cristóvão neste fim de semana.

“O evento teve a autorização negada por questões ligadas à ordem pública, ausência de licenciamento sanitário e, até o presente momento, de liberação do Corpo de Bombeiros, além de divergências nas informações requeridas pela CET-Rio. A consulta prévia de eventos estava em análise pelo município mas, mesmo sem a liberação da Prefeitura, os responsáveis pelo evento iniciaram as vendas de ingressos e a divulgação em redes sociais e meios de comunicação. A Secretaria de Ordem Pública não permitirá a realização do evento”, informou a pasta.

As denúncias de eventuais blocos clandestinos podem ser feitas através do canal 1746.

Prefeitura de Afogados mantém expediente integral no período do carnaval

Por meio de nota, a prefeitura de Afogados da Ingazeira comunicou que, está mantido o expediente integral durante nas repartições públicas municipais durante o período de carnaval.

Confira a íntegra:

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que em decorrência do decreto cancelando as festividades do carnaval, está mantido, integralmente, o expediente nas repartições públicas municipais durante esse período.

Afogadense participará de live da Secult-PE com tema “Carnaval das Tradições: A folia no interior de Pernambuco”

Pernambuco é muito rico, minha gente! Nosso Carnaval é uma prova disso, viu? Temos uma diversidade cultural que impressiona. Para falar dessas tradições, a Secult-PE promove a live “Carnaval das Tradições: a folia no interior de Pernambuco”.

O afogadense, artista plástico, Edgley Brito – representará os brincantes do carnaval do interior de Pernambuco. Edgley faz parte do grupo de tabaqueiros do município de Afogados da Ingazeira.

O bate-papo será na terça-feira (22), a partir das 19h no canal do YouTube da Secult-PE, o wwww.youtube.com/secultpe.

Começam nesta quinta (24) as inscrições para o Auxílio Emergencial do Carnaval 2022; veja como fazer

Começam nesta quinta-feira (24) as inscrições para o edital do Auxílio Emergencial do Ciclo Carnavalesco 2022, lançado pelo Governo de Pernambuco.

Serão destinados R$ 6,362 milhões para o projeto, que foi sancionado pelo governador Paulo Câmara na última sexta-feira (19) após ter sido aprovado pelo plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco, na quinta-feira (18).

De acordo com o governo, serão beneficiados mais de 750 artistas, grupos e agremiações que se apresentaram em um dos últimos três carnavais promovidos pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) e Empresa Pernambucana de Turismo (Empetur) e estão impedidos de promover suas atividades por conta da pandemia de Covid-19.

O valor do benefício irá corresponder a 80% do último cachê pago e não haverá necessidade de apresentação ou contrapartida. O auxílio terá piso de R$ 3 mil e R$ 30 mil, pago em única parcela com previsão de depósito para a primeira quinzena de abril. 

O edital está disponível no Portal Cultura.PE () e no site da Empetur.

De acordo com o governador Paulo Câmara, o setor cultural compreendeu exatamente o momento e passou à população a necessidade de seguir no caminho da vacinação e dos cuidados que as pessoas precisam ter.

Nós vamos continuar muito atentos e temos muito o que fazer e valorizar. Estamos vendo um início de melhora na pandemia e teremos cenários positivos para o resto do ano. E não vai faltar patrocínio, apoio e atenção para que a cultura pernambucana possa voltar com toda a energia que carrega consigo, levando esperança para a população”, celebra Paulo Câmara.

Afinal, carnaval será feriado? Posso ser obrigado a trabalhar?

Apesar do cancelamento das celebrações de carnaval em várias cidades do país, os trabalhadores ainda se perguntam se, afinal, eles terão direito a folgar nos quatro dias de folia, que neste ano serão entre 26 de fevereiro e 1º de março.

É feriado?
O carnaval só é considerado feriado se estiver previsto em lei estadual ou municipal – não há uma lei federal que considere a data como feriado nacional.

No estado do Rio de Janeiro, por exemplo, a terça-feira de carnaval foi declarada feriado estadual por meio da Lei 5243/2008. Mas, nas localidades onde a data não é considerada feriado, a segunda e a terça-feira, além da Quarta-Feira de Cinzas, podem ser ou não definidas como dias de folga pelas empresas.

Preciso trabalhar nesses dias?
Nos locais onde o carnaval não é feriado, empresas e funcionários podem fazer acordo sobre os dias a serem trabalhados e as formas de compensação das horas.

Nesse caso, a empresa poderá exigir que o trabalhador compense as essas horas não trabalhadas em outros dias (com exceção do domingo), respeitado o limite máximo de duas horas extras diárias. Esses dias não trabalhados podem ainda entrar no banco de horas como horas-débito, e o funcionário tem que compensar isso dentro do prazo estipulado em acordo com a empresa.

“Os patrões podem liberar seus empregados no período de carnaval, mas não poderão fazer descontos salariais em relação aos dias que não foram trabalhados”, ressalta a advogada Cíntia Fernandes, sócia do escritório Mauro Menezes & Advogados.
Nos estados e municípios onde o carnaval é feriado oficial, os empregados que trabalharem têm direito a uma folga. Se isso não ocorrer, deverão receber o pagamento daquele dia trabalhado em dobro.

Ponto facultativo só vale para servidor público
De acordo com o professor em direito do trabalho Eduardo Pragmácio Filho, sócio do Furtado Pragmácio Advogados, nas localidades em que os prefeitos e governadores decretam ponto facultativo, isso só interessa aos servidores públicos, ou seja, não é considerado legalmente como feriado para fins trabalhistas, pois só é feriado o que está declarado em lei.

Bancos não terão expediente durante período do Carnaval em Pernambuco

Bancos em Pernambuco cumprirão resolução do Banco Central do Brasil e ficarão fechados durante o período correspondente ao Carnaval de 2022. As agências não funcionarão na segunda e terça, 28 de fevereiro e 1º de março, e iniciarão o expediente na Quarta-Feira de Cinzas, 2 de março, às 12h.

A decisão vem apesar da revogação do ponto facultativo no período feita pelo Governo de Pernambuco diante do agravamento da pandemia de Covid-19 causada pela variante ômicron. No Estado, escolas particulares também estarão fechadas durante nos dias em que seria o Carnaval.

O anúncio das agências bancárias fechadas em Pernambuco foi feito pelo Sindicato dos Bancários do Estado, nessa quinta-feira (17). Comunicado emitido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), nesta sexta-feira (18), ratificou a decisão.

Na Quarta de Cinzas, as agências que fecham antes das 15h terão o início do atendimento ao público antecipado, de forma a garantir o mínimo de três horas de funcionamento, segundo a Febraban.

Vencimentos
As contas de consumo e carnês com vencimento em 28 de fevereiro e 1º de março poderão ser pagos, sem acréscimo, na quarta-feira (2), de acordo com a Febraban.

MPPE recomenda aos promotores de Justiça a fiscalização do cumprimento do Decreto Estadual sobre o Carnaval

Em razão do fortalecimento das medidas restritivas trazidas pelo Decreto Estadual nº 52.249/2022, o procurador-geral de Justiça, Paulo Augusto Freitas, expediu a Recomendação PGJ nº 003/2022, orientando os membros do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) a exigir dos gestores municipais o respeito às normas sanitárias, em especial no que diz respeito à proibição de festividades no período de 25 de fevereiro a 1º de março.

“Essa recomendação visa orientar, respeitada a independência funcional, os promotores e promotoras de Justiça de Pernambuco a exigirem do poder público e do setor de eventos o cumprimento da total proibição da realização de festas públicas ou privadas. Nós conclamamos a sociedade para compreender esse momento, pois o impacto do Coronavírus vem lotando as unidades de saúde e precisamos, juntos, adotar as medidas de proteção indicadas pelas autoridades sanitárias para superarmos essa situação”, detalhou o procurador-geral.

Dessa forma, os membros do MPPE foram orientados a diligenciar para apurar e coibir qualquer manifestação carnavalesca, show, festa ou evento.

Para assegurar o êxito desse trabalho, os promotores devem dialogar com órgãos de controle como as Polícias Civil e Militar, Procon e Vigilância Sanitária a fim de exigir o respeito às normas sanitárias e impor as sanções cabíveis aos eventuais infratores, seja no âmbito administrativo ou criminal, com a responsabilização pelo crime de infringir medida sanitária preventiva destinada a impedir a propagação de doença contagiosa (Art. 268 do Código Penal).

A Recomendação PGJ nº 003/2022, publicada no Diário Oficial do MPPE desta quinta-feira (10), foi remetida ao Governo do Estado e à Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) a fim de que as medidas nela previstas sejam informadas aos integrantes do Executivo estadual e dos 184 municípios pernambucanos.

“Ao cidadão, pedimos que denuncie ao promotor de Justiça da sua cidade e demais órgãos de fiscalização a respeito do descumprimento desta Recomendação”, complementou o PGJ. Para registrar sua denúncia acesse o site http://www.mppe.mp.br.

Os municípios Gravatá e Sertânia foram os primeiros a seguir a Recomendação PGJ nº 003/2022. As promotoras de Justiça Katarina Gouveia (Gravatá) e Raíssa Lima (Sertânia) expediram recomendações aos respectivos prefeitos e secretários de Saúde e fixaram prazos de cinco e quinze dias, respectivamente, para que os destinatários informem se acatam ou não as medidas recomendadas.

Secretário de Saúde de Pernambuco diz que não se opõe à realização do Carnaval em outra época do ano

Depois de anunciar a proibição de festas nas datas em que seria comemorado o Carnaval 2022, entre 25 de fevereiro e 1º de março, o secretário estadual de Saúde, André Longo, disse nesta quarta-feira (9) que não se opõe à discussão sobre a possibilidade de realizar a celebração em outra época do ano. A declaração foi dada em entrevista à Rádio Jornal.

De acordo com o gestor, a atual onda de circulação da variante Ômicron deve sofrer uma queda no número de casos após o período sazonal de maior pico da transmissão de doenças respiratórias, que inicia em fevereiro.

“Nós não nos opomos a discutir a possibilidade de outras datas, mas, do ponto de vista sanitário, a gente não pode se comprometer neste momento porque há muita incerteza. […] Alguns defendem que o cenário deve melhorar de março a abril, sempre coloco a dificuldade do período sazonal. Precisamos ter um pouco de cautela para ter uma definição maior”, disse.

Pesquisador do Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Jones Albuquerque acredita que é difícil pensar em Carnaval, pelo menos, no primeiro semestre.

“Há uma tendência de desaceleração da pandemia, mas não consigo afirmar que será em abril, maio. Porque o mundo, realmente, teve uma incidência, depois uma queda, mas vários países, como a Polônia, já começam de novo [a apresentar alta]. Além disso, nosso ritmo de vacinação das crianças e de reforço está baixo”, considera.

Pernambuco cancela Carnaval 2022

O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, anunciou nesta terça-feira o cancelamento de todas as festas públicas e privadas no período do Carnaval, que ocorreriam entre 25 de fevereiro e 01 de março.

Nos próximos dias, o Governo do Estado vai se reunir com os prefeitos dos principais polos festivos para alinhar os protocolos específicos.

Durante coletiva de imprensa, o secretário ratificou a importância de as gestões municipais adotarem medidas próprias para conter aglomerações, fiscalizando com rigor as novas regras, que visam conter o avanço do novo coronavírus.

“Lamentamos o cancelamento, por mais um ano, dessa festa que está na alma e no coração dos pernambucanos, mas nosso compromisso precisa ser com a vida. Precisamos desestimular situações que possam gerar aumento na contaminação”, explicou André Longo, reforçando ainda a informação sobre o cancelamento do ponto facultativo nos órgãos públicos estaduais durante o Carnaval. A recomendação é que os demais entes públicos continuem funcionando normalmente.

Ainda na coletiva, o secretário de Saúde detalhou as mudanças no Plano de Convivência com a Covid-19 em Pernambuco, anunciadas na segunda-feira. A capacidade dos eventos será reduzida, a partir desta quarta, de três mil para 500 pessoas em espaços abertos, e de mil para 300 pessoas em locais fechados.

Permanece obrigatória a comprovação de vacinação e a apresentação de teste negativo nos eventos com mais de 300 pessoas. Cinemas, teatros, circos e jogos de futebol também estão inclusos nas medidas.

Com alta da ômicron, Pernambuco amplia restrições e cancela feriado de Carnaval

Após quase seis horas de reunião nesta segunda-feira (7), integrantes do Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 optaram por cancelar o ponto facultativo durante o Carnaval e definiram que o limite de pessoas, em eventos no Estado de Pernambuco, será reduzido de 3.000 para 500 pessoas em locais abertos, e de 1.000 para 300 em locais fechados.

A determinação foi motivada pela aceleração do número de casos de coronavírus e pelo aumento da solicitação por leitos. As medidas valem a partir da próxima quarta-feira (9) e vão até o dia 1° de março.

Comitê do Consórcio Nordeste recomenda o cancelamento dos feriados de Carnaval e festas privadas

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste recomenda o cancelamento dos feriados de Carnaval, a proibição de festas privadas que gerem aglomerações, e a ampliação das campanhas de vacinação contra a Covid-19. O grupo alerta que o surgimento da ômicron contrariou as expectativas de fim da pandemia e que os efeitos da variante elevou os casos diários da doença de “forma exponencial”.

Dessa forma o grupo faz algumas sugestões aos gestores como o cancelamento do carnaval e proibição de festas privadas. Segundo o comitê, a manutenção dos feriados poderá se constituir num estímulo para a população ir às ruas, promovendo aglomerações, o que poderá resultar no agravamento do quadro da pandemia e o consequente prolongamento da terceira onda no Brasil. Já a realização de festas privadas de Carnaval e shows pode, segundo os especialistas, intensificariam a transmissão do vírus, como ocorreu no Réveillon, e resultariam no prolongamento da terceira onda no Brasil.

Além disso, o comitê recomenda Intensificar a vacinação, pois está comprovado cientificamente que as pessoas vacinadas são menos susceptíveis a desenvolver quadro grave da Covid-19. Embora em torno de 70 % da população do país já esteja com o ciclo vacinal completo, este percentual ainda não é suficiente para assegurar um cenário de avanço da variante. Outra recomendação é a manutenção das medidas legais que obrigam o uso de Máscaras, em especial em lugares fechados ou com aglomerações. Nestes locais deve-se estimular o uso de mascaras N95 ou PFF2.

Multidão desrespeita normas sanitárias e promove Carnaval nas ruas de Olinda

JC Online

Apesar do crescente número de casos de Covid-19 em Pernambuco nas últimas semanas, a população ainda insiste em aglomerar. No final da tarde e início da noite deste domingo (30), um vídeo ‘viralizou’ nas redes sociais, onde mais de 300 pessoas aparecem promovendo um verdadeiro Carnaval fora de época, desrespeitando todas as normas sanitárias no combate à pandemia do novo coronavírus.

De acordo com apuração da reportagem do JC, as imagens realmente são de hoje, por volta das 19h, e foram filmadas na esquina da Rua do Amparo com a Rua Prudente de Morais, nos Quatro Cantos, em Olinda – próximo a ladeira da Misericórdia.

Ainda segundo informação obtida pelo JC, uma patrulha da Polícia Militar foi acionada para comparecer ao local e dispersar as pessoas que insistiam em aglomerar. Até a publicação da matéria, não obtivemos resposta se alguém foi detido.

Carnaval cancelado

Um dos principais polos carnavalescos de Pernambuco, Olinda teve o seu Carnaval cancelado. O prefeito da cidade, professor Lupércio (SD), decidiu não realizar a festa em 2022 por conta do avanço da covid-19. Assim como no ano passado, a prefeitura promete o pagamento de um auxílio em função da não realização da festa pública. O sábado de Zé Pereira, este ano, cai no dia 26 de fevereiro.

Com o cancelamento do Carnaval, a prefeitura de Olinda promete pagar um auxílio a ambulantes, entidades, grupos e artistas que representam a cultura popular. A gestão também anunciou a destinação de investimentos para incentivar a realização de eventos culturais na cidade, indo desde festivais a editais para projetos culturais na cidade. O aporte inicialmente deve girar em torno dos R$ 3 milhões.

A decisão da prefeitura não abrange as festas privadas, que, segundo o prefeito, estarão sob a decisão do governo do Estado.

Acompanhe o vídeo abaixo:

Conselho Regional de Medicina de PE defende que festas sejam proibidas pelo governo de Pernambuco, inclusive festejos privados de Carnaval

Com o avanço e aumento exponencial de casos da variante ômicron, que tem superlotado os serviços de urgência e emergência em todo o Estado de Pernambuco, e com o número crescente de médicos e demais profissionais de saúde infectados pelo coronavírus, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Pernambuco (Cremepe) defende que festas, reuniões, cerimônias, formaturas e todo tipo de aglomeração sejam proibidas pelo governo do Estado. Para a autarquia, essa é uma forma de demonstrar coerência em mais um duro momento de enfrentamento à covid-19. O comunicado do Cremepe foi divulgado na tarde deste sábado (29).

O conselho ressalta também, na nota, a necessidade de compreensão da sociedade de evitar participar de desses eventos, “já largamente evidenciados como responsáveis por um alto risco de se disseminar a doença, mesmo com a exigência de comprovante de vacinação e testagem prévia dos participantes”.

A autarquia destaca que os testes para covid-19 que são utilizados para permitir essas aglomerações deveriam ser destinados exclusivamente para o diagnóstico de pacientes com sintomas, e não em pessoas assintomáticas que desejam ter acesso permitido a eventos privados.

Com relação à permissão de eventos privados para o período de Carnaval, o Cremepe ressalta que não se pode, neste momento, proibir apenas as festividades de rua para o público em geral e permitir que ocorram festas privadas.

Bloco Arerê é oficialmente cancelado em Afogados

A organização do Afogareta 2022, que seria realizado no próximo fim de semana em formato indoor, acaba de informar que o evento foi adiado.

A organização diz que a exigência de testagem no dia de cada evento tornou a realização inviável. “Tentamos vários laboratórios e nenhum consegue atender essa exigência”, diz a organização.

A capacidade do evento também sofrera alteração pelo decreto. “Dessa maneira, não restou alternativa à Direção do bloco a não ser adiar a realização do evento para uma data ainda a ser definida”.

Segundo a organização, os ingressos já adquiridos servirão para as novas datas. “Aqueles que não quiserem participar na nova data devem mandar mensagem inbox para receber a devolução”.