Arquivo da categoria: Chuvas

Cheia recorde: Rio Negro atinge 30 metros e ultrapassa em 3 cm a maior enchente em 119 anos

Manaus registra a maior cheia de sua história, desde o início dos registros em 1902.

O nível do Rio Negro alcançou 30 metros neste sábado (5), ultrapassando em 3 centímetros a cota recorde registrada no ano de 2012. Com isso, Manaus registra a maior cheia da história, desde o início dos registros em 1902.

Na capital, mais de 24 mil famílias foram prejudicadas pela inundação em pelo menos 15 bairros, de acordo com a Defesa Civil. Em diversos pontos, a circulação de pessoas ocorre somente por meio de passarelas.

A água do rio Negro também invadiu o local onde funcionava a mais tradicional feira da capital, a Manaus Moderna. Como isso, os feirantes foram transferidos para uma balsa.

Comerciantes relatam prejuízos. Lojistas tiveram os estabelecimentos alagados, mesmo com as contenções para impedir a entrada da água.

Maiores cheias do Rio Negro
2021 – 29,98 m
2012 – 29,97 m
2009 – 29,77 m
1953 – 29,69 m
2015 – 29,66 m
1976 – 29,61 m
2014 – 29,50 m
1989 – 29,42 m
2019 – 29,42 m
1922 – 29,35 m
2013 – 29,33 m

O novo recorde da cheia do Rio Negro foi batido no dia 1ª de junho, quando o nível chegou a 29,98 metros, ultrapassando em 1 centímetro o recorde de 2012.

A previsão do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) era que o rio chegasse à cota máxima de 30 metros A expectativa é que, agora, o nível do rio comece abaixar.

De acordo com o órgão, abaixo dos 27 metros o nível do rio é considerado em patamar normal.

Apac emite alerta de chuvas para as próximas 24 horas

Moradores da Região Metropolitana do Recife, Zona da Mata e Agreste devem ficar atentos. Segundo aviso meteorológico emitido pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) a previsão é de chuvas com intensidade moderada a forte nestas regiões do Estado. O alerta é válido até esta segunda-feira (31).

Ainda de acordo com a Apac, as precipitações devem ultrapassar os 50 milímetros. A orientação é que, em caso de necessidade, moradores de locais de risco procurem abrigos seguros e acionem o órgão.

Na Capital, a Defesa Civil mantém um plantão permanente, podendo ser acionada pelo telefone 0800 081 3400. A ligação é gratuita e o atendimento 24h.

Previsão indica redução de chuvas nesta sexta (14) e ao longo do fim de semana, diz Apac

A intensidade das chuvas em Pernambuco nesta sexta-feira (14) deve ser menor do que a registrada na quinta-feira (13) de acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).

Mais de 130 pessoas ficaram desabrigadas e a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) contabilizou 39 deslizamentos de terra no Estado.

A previsão da agência para esta sexta-feira na Região Metropolitana do Recife (RMR) é de tempo nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva de intensidade de fraca a moderada.

“A tendência para o fim de semana é ir reduzindo. Hoje [sexta-feira] bem menos que ontem [quinta-feira] e sábado bem menos que hoje. O fim de semana é de redução de chuvas. Com isso, a gente vai retirar o alerta”, explica a meteorologista da Apac Vilourdes Fonseca.

A especialista acrescenta que a chuva nesta sexta-feira na RMR e Zona da Mata Sul deve ser mais fraca e espaçada ao longo do dia. Em alguns momentos, pode ficar moderada.

Na Zona da Mata Norte, a chuva também deve ficar de fraca a moderada, porém com tendência de ser mais frequente. Para o Agreste e Sertão de Pernambuco, a previsão é de chuva fraca a moderada.

No Sertão de São Francisco, o prognóstico aponta para chuva fraca. Em Fernando de Noronha, deve chover de forma moderada.

Vilourdes ainda explica o fenômeno que causou as chuvas fortes. Segundo ela, o sistema meteorológico chamado Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL) estava bem ativo.

“É um fenômeno que ocorre mais próximo da África e vai se deslocando até chegar no litoral do Nordeste e causar chuvas. Tem episódios em que é mais fraco, que a gente vê chuva moderada, mas tem com intensidade bem maior para chuva, como o que ocorreu”, detalha.

Barreira cai e mata adolescente de 16 anos em Jaboatão; bombeiros procuram a irmã e os pais

Um adolescente de 16 anos morreu no deslizamento de uma barreira na noite dessa quinta-feira (13) de chuvas no bairro de Sucupira, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife.

O deslizamento ocorreu por volta 17h sobre a casa onde o rapaz morava com a irmã de 11 anos e os pais.

O corpo do adolescente foi achado pelos bombeiros cerca de três horas depois do deslizamento, em meio à massa formada por barro e os escombros da residência.

Os bombeiros seguiram com as buscas pela noite adentro e, até esta sexta-feira (14), não haviam conseguido localizar os pais do jovem nem a irmã.

Segundo o tenente-coronel Anderson Barros, chefe da Comunicação do Corpo de Bombeiros, há chance de os pais e a menina serem retirados com vida. “Às vezes, um móvel, uma parede, garante bolsões de ar para que se possa respirar”, afirmou.

Inmet emite três diferentes alertas sobre chuvas na Paraíba

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu três diferentes alertas de chuva para a Paraíba, todos com validade até às 11h de quarta-feira (5), em diferentes municípios do Estado. O primeiro deles é um de perigo potencial de chuvas intensas para 55 cidades da Paraíba.

Nessas cidades, podem ocorrer chuvas entre 20 e 30 milímetros por hora, ou até 50 milímetros por dia, além de ventos intensos que variam entre 40 e 60 quilômetros por hora, mas com baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

Outro alerta de acumulado de chuvas foi emitido para 18 municípios do estado. Nesses municípios, podem ocorrer chuvas entre 30 a 60 milímetros por hora ou 50 a 100 milímetros por dia. Além disso, há risco de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios.

O Inmet recomenda não enfrentar o mau tempo, bem como observar alteração nas encostas. Se possível, é orientado que aparelhos elétricos e quadro geral de energia estejam desligados. Em caso de situação de inundação, ou similar, proteger pertences da água envoltos em sacos plásticos.

Além desses, um terceiro alerta de perigo potencial de acumulado de chuvas foi emitido para 32 cidades. Pode ocorrer chuvas entre 20 a 30 milímetros por hora ou até 50 milímetros por dia. No entanto, há baixo risco de alagamentos e pequenos deslizamentos.

O órgão recomenda que, em caso de rajadas de ventos, as pessoas não devem se abrigar debaixo de árvores e também para não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Se possível, é indicado não usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

Caso haja algum problema, o órgão orienta que as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, por meio do número 199, e com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

Governo Federal reconhece situação de emergência por estiagem em mais 54 cidades de Pernambuco

Em portaria publicada na edição desta quinta-feira (29) do Diário Oficial da União, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu situação de emergência por causa da estiagem em 54 cidades do Sertão de Pernambuco.

Na quarta-feira (28), o MDR já havia reconhecido a situação em 55 municípios do Agreste.

Com a atualização desta quinta-feira, três em cada cinco cidades pernambucanas registram situação de emergência por causa da estiagem.

De acordo com as informações prestadas pela Coordenação estadual de Proteção e Defesa Civil, a escassez de recursos hídricos das áreas afetadas atinge mais de 20% da população, causando danos à agricultura e à pecuária.

Com a publicação do reconhecimento federal, os municípios podem solicitar recursos para restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura danificada pelos desastres.

A equipe técnica da Defesa Civil nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria com a especificação do valor a ser liberado.

Veja a lista das 15 cidades do Pajeú:

Afogados da Ingazeira, Brejinho, Calumbi. Flores, Iguaracy, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Terezinha, Serra Talhada, Solidão, Tabira, Triunfo e Tuparetama.

Fortes chuvas provocam alagamentos em Garanhuns; Mulher caiu em cratera e está desaparecida

Moradores de Garanhuns foram surpreendidos com fortes chuvas na noite dessa quarta-feira (21). Ruas ficaram alagadas, e uma mulher caiu em uma cratera formada pela força da água. A moradora ainda é procurada.

Os bairros mais atingidos pela chuva foram o Centro, Magana e Brasília. Por estar acima do nível do mar, Garanhuns não costuma ver alagamentos, mesmo quando as chuvas são fortes. De acordo com a reportagem da Rádio Jornal na cidade, o problema pode ter sido provocado em razão do entupimento de bueiros.

Vítima – Na rua João Paulo de Miranda, no centro, um buraco se alargou e virou uma cratera, devido à força da chuva. Uma moradora, identificada como Nayara Melo, foi arrastada pela água e engolida pela cratera.

Pouco antes do acidente, ele apareceu em um vídeo, gravado por outro morador, reclamando do buraco na rua. “Isso aqui está um absurdo. É uma rua de trabalhador. É uma coisa muito feia. Isso é um absurdo! Na porta da minha casa, está um buraco que ninguém pode entrar ou sair”, reclamou em voz alta.

O Corpo de Bombeiros fez buscas pela mulher até 1h30 da madrugada desta quinta-feira (22). As buscas foram retomadas nesta manhã.

Apac lança novo alerta para chuvas na Mata Sul, Agreste e Pajeú

A previsão do tempo da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) para a noite desta quinta-feira (15) é de continuidade de chuvas no estado.

Há mais atenção para a Zona da Mata Sul, Agreste e Sertão do Pajeú. Na Região Metropolitana do Recife (RMR), há previsão de chuvas moderadas nesta quinta-feira.

A tendência para sexta-feira (16) é que haja diminuição da intensidade das chuvas em todas as regiões do Estado de Pernambuco, segundo a Apac.

“De toda forma, emitimos um aviso de Estado de Observação devido à continuidade do evento chuvoso resultante da atuação do Sistema conhecido como Zona de Convergência Intertropical”, afirma a Apac.

Triunfo em estado de atenção por conta das fortes chuvas

Depois de Santa Cruz da Baixa Verde semana passada,  essa noite foi a vez de Triunfo registrar fortes chuvas.

Imagens que chegaram ao blog do Nill Júnior mostram o grande volume de água nas ruas da cidade turística.

As imagens que mais impressionaram mostraram a água passando por cima do paredão do Lago João Barbosa,  que fica no centro da cidade.  Ruas viraram rios. O município ficou em estado de alerta.  Não há informações sobre possíveis desabrigados.

As chuvas devem continuar caindo com força em áreas do Sertão do Pajeú, Moxotó e Central.

A exceção de momento é o Médio Pajeú onde chove com menor intensidade que no Baixo, onde ficam Serra Talhada, Triunfo,  Calumbi e Santa Cruz da Baixa Verde.

A Apac (Agência Pernambucana de Águas e Climas) indicou pancadas de chuvas com intensidade de moderada a forte, principalmente nas regiões do Agreste, Mata Sul e Sertão do Pajeú, podendo se estender também para as regiões Mata Norte, Região Metropolitana do Recife e Sertão do Moxotó.

O período em que as chuvas deverão ocorrer com maior volume foi descrito entre a noite desta quarta (14) e ao longo do dia desta quinta-feira (15).

Segundo a Apac, o sistema meteorológico que está atuando é a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), comum de acontecer durante essa época do ano.

A população deve seguir as orientações da Defesa Civil do seu município.

Ruas das cidades de Angelim e Arcoverde ficam alagadas após fortes chuvas

Fortes chuvas foram registradas em Arcoverde e Angelim, no Agreste e Sertão de Pernambuco, nesta quarta-feira (14).

Em Arcoverde, no Sertão, as ruas ficaram alagadas e alguns carros ficaram quase cobertos pela água. Por meio de nota, a Prefeitura informou que as situações de danos causados em consequência das chuvas estão sendo repassadas para as equipes das secretarias municipais responsáveis para avaliação e prestação de providências. Ainda não há um número de pessoas desabrigadas.

Em Angelim, no Agreste, a água das chuvas também invadiu lojas e casas. A Prefeitura disse que equipes da Secretaria de Infraestrutura e da Defesa Civil foram até à Comunidade do bairro Nova Aliança, região mais afetada pelas chuvas para prestar socorro. A Prefeitura também disponibilizou o telefone para novas ocorrências (87) 9.9112 2284.

Também foram registradas fortes chuvas nas cidades de Serra Talhada, no Sertão, e Pesqueira, no Agreste. A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) divulgou, nesta quarta-feira (14), um alerta de chuva com intensidade moderada a forte para diferentes regiões do estado. O aviso meteorológico é válido por 24 horas, até a noite da quinta-feira (15), para o Agreste, a Zona da Mata Sul e o Sertão do Pajeú.

Apac emite alerta de chuva moderada a forte para todas as regiões de Pernambuco

O sistema meteorológico que está atuando é a Zona de Convergência Intertropical – ZCIT, comum de acontecer durante essa época do ano

A previsão do tempo da APAC indica pancadas de chuvas com intensidade de moderada a forte, principalmente nas regiões do Agreste, Mata Sul e Sertão do Pajeú, podendo se estender também para as regiões Mata Norte, Região Metropolitana do Recife e Sertão do Moxotó.

O sistema meteorológico que está atuando é a Zona de Convergência Intertropical – ZCIT, comum de acontecer durante essa época do ano.

Segundo a Apac, a orientação é que, em caso de necessidade, moradores de locais de risco procurem abrigos seguros e acionem o órgão.

Meteorologista da Apac diz que próximos dias serão de chuvas no Agreste e Sertão

Nos últimos dias, diversas cidades do Agreste e Sertão de Pernambuco têm registrado chuvas, que ocorreram também em outras diversas regiões do Estado.

O meteorologista da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), Roni Guedes, explicou como deve ficar a previsão para os próximos meses.

De acordo com Roni, a previsão é de que, nos próximos dias, Agreste e Sertão registrem chuvas ainda mais intensas do que as do começo desta semana.

“A previsão para os próximos dias é que nós tenhamos chuvas isoladas na região do Agreste e Sertão, principalmente nos períodos da tarde e noite”, disse.

O meteorologista explicou que, na região, “as chuvas começam no mês de abril. A ‘quadra chuvosa’ é concentrada nos meses de abril, maio, junho e julho. São os quatro meses que mais chovem na região. O início do mês de março foi um pouco seco mas, no fim do mês, começaram a ser registradas algumas pancadas de chuva.”.

Roni destacou que, no começo do mês de abril, já é possível ver que o tempo fica mais fechado, com baixas temperaturas e com características da transição do outono para o inverno.

Chuvas: Recife registra 71% do previsto para abril em 36 horas

O Recife registrou, da noite de sexta-feira (9) até a manhã deste domingo (11), 232 mm de chuvas. Em apenas 36 horas, a cidade já teve a água que representa 71% do previsto para o mês de abril. O mês, aliás, possui média histórica de 326 mm de precipitação.

Com a chuva, a Capital pernambucana tem vários pontos de alagamento. Para conter os danos, cerca de mil servidores estão atuando neste período de chuvas.

Nas últimas 36h, a Defesa Civil do Recife registrou 180 chamados, sendo 87 pedidos de colocação de lonas e 93 pedidos de vistorias. O atendimento à população é feito através do número 0800.081.3400, 24 horas por dia.

Já a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) registrou, neste intervalo, 30 ocorrências em árvores da cidade, em pontos como rua da Harmonia (Casa Amarela), av. Conselheiro Aguiar (Boa Viagem), rua Gil Carneiro da Cunha (Casa Forte), Parque de Exposição de Animais (Cordeiro), estacionamento da Prefeitura do Recife, rua João Ramos (Graças), av. Manoel de Medeiros (Dois Irmãos) e Estrada do Bongi, av. Antônio Falcão (Boa Viagem), rua Major Armando de Souza Melo (Setúbal), rua Antônio Batista de Souza (Macaxeira), Canal do Arruda, entre outros. Do total, 21 ocorrências já foram concluídas e as demais estão em andamento.

A Emlurb também realizou a desobstrução de pontos de acúmulo de água. Caminhões equipados com jato de sucção atuaram em diversas vias da cidade, a exemplo da Estrada do Encanamento, avenida General San Martin, avenida Conselheiro Aguiar, Praça de Casa Forte, entre outros.

Tromba d’água é registrada em Fernando de Noronha; veja vídeo

Imagens foram feitas neste domingo (21). Segundo a Apac, Zona de Convergência Intertropical atua na ilha, com formação de nuvens de tempestade, o que pode acarretar o fenômeno.

Uma tromba d’água foi registrada neste domingo (21), em Fernando de Noronha, e chamou a atenção dos moradores. A meteorologista da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) Edivânia Santos explicou que o fenômeno tem relação com a atuação da Zona de Convergência Intertropical na ilha.

“A tromba tocou a superfície da água. Se você olhar direitinho, ela forma um turbilhãozinho. Quando toca a superfície, é tromba d’água. […] A Zona de Convergência Intertropical forma nuvens de tempestade e essas nuvens de tempestades podem causar esse fenômeno, na base delas”, disse.

O fenômeno pode representar risco para barcos que passem próximos, visto que ‘suga’ a água do mar, afirmou a meteorologista.

O gerente de pousada Weidson Carlos da Silva foi quem fez o registro em vídeo do fenômeno, na região do Porto de Santo Antônio. “Eu estava me dirigindo à Capela de São Pedro quando fui surpreendido com o fenômeno. Moro na ilha há seis anos e foi a primeira vez que eu vi uma tromba d’água, achei um espetáculo”, contou.

O engenheiro de pesca Léo Veras, que tem uma estação meteorológica na ilha, lembrou que outro risco é a água “cair de uma vez”. “O perigo é que ele eleva a água do mar para altas altitudes e, quando o sistema ‘falha’, essa água cai de uma vez, como uma piscina. Se tiver um barco , se destrói” , afirmou. Veras disse, ainda, que, ao se aproximar da ilha, a tromba d’água se dissipa.

O empresário Pippa Gonzalez também viu a tromba d’água. “Eu estava na capelinha do Porto quando o vento ficou mais forte. Olhei para o mar e vi a nuvem com a formação diferente. Estava um pouco longe, mas fiquei um pouco preocupado que se dirigisse à ilha. É um fenômeno bonito”, afirmou Gonzalez.

Temporal causa transtornos em Tabira

Cidade ficou sem energia elétrica e linha telefônica

Um temporal atingiu o município de Tabira na tarde de hoje (13) e causou destruição em algumas localidades.

Segundo relatos, o incidente durou cerca de trinta minutos e assustou a população da Terra das Tradições.

A forte chuva de granizo e rajadas de vento provocaram quedas de árvores, os telhados de casas, lojas e armazéns, placas de sinalização e outdoor’s foram abaixo.

Também, houve interrupção na energia elétrica, alguns bairros ficaram sem fornecimento por mais de quatro horas.

A PE-320 ficou bloqueada em uma das vias com a queda de uma árvore.

O sinal telefônico foi restabelecido na início da noite.

Não há relatos de desabrigados, nem desalojados.

Governo de PE decreta situação de emergência em 54 municípios do Sertão por causa da estiagem

Decreto é válido por 180 dias, conforme consta no Diário Oficial.

O Governo de Pernambuco decretou situação de emergência por 180 dias em 54 municípios do Sertão por causa da estiagem. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (9). De acordo com o documento, a decisão foi tomada devido à previsão da redução de chuvas e da queda na quantidade de água nos reservatórios.

“Os órgãos estaduais localizados nas áreas atingidas, e competentes para a atuação específica, adotarão as medidas necessárias para o combate à ‘Situação de Emergência’ em conjunto com os órgãos municipais”, conforme consta no Diário Oficial.

Confira os 54 municípios:
Afogados da Ingazeira
Afrânio
Araripina
Arcoverde
Belém do São Francisco
Betânia
Bodocó
Brejinho
Cabrobó
Calumbi
Carnaubeira da Penha
Cedro
Custódia
Dormentes
Exu
Flores
Floresta
Granito
Ibimirim
Iguaraci
Inajá
Ingazeira
Ipubi
Itacuruba
Itapetim
Jatobá
Lagoa Grande
Manari
Mirandiba
Moreilândia
Orocó
Ouricuri
Parnamirim
Petrolândia
Petrolina
Quixaba
Salgueiro
Santa Cruz
Santa Cruz da Baixa Verde
Santa Filomena
Santa Maria da Boa Vista
Santa Terezinha
São José do Belmonte
Serra Talhada
Serrita
Sertânia
Solidão
Tabira
Tacaratu
Terra Nova
Trindade
Triunfo
Tuparetama
Verdejante

Forças Armadas ajudam população que sofre com as enchentes no Acre

Dez cidades do Acre sofrem com alagação de rios e mais de 121 mil pessoas estão afetadas. Mais de 200 militares vinculados ao Comando Conjunto da Amazônia atuam na Operação Enchente no Acre.

Já são dez dias que mais de 200 militares das Forças Amadas vinculados ao Comando Conjunto da Amazônia atuam na “Operação Enchente” nas cidades acreanas afetadas pela alagação de rios e igarapés. Mais de 121 mil pessoas estão atingidas pelas cheias em dez cidades do Acre.

Os militares resgataram 537 famílias de 28 bairros de três municípios. O apoio se estende também às comunidades indígenas Kaxinawa e Kulina, que vivem aldeadas no município de Santa Rosa do Purus. Nessas localidades, 98 famílias receberam 100 cestas básicas.

Conforme o Ministério da Defesa, os militares montaram quatro abrigos, distribuíram 1.024 cestas básicas e 1.465 galões de 20 litros de água. As Forças Armadas trabalham em parceria com a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, a pedido do governo estadual.

O Ministério informou ainda que no último dia 17 de fevereiro, o governador do Acre, Gladson Cameli, enviou um ofício às Forças Armadas pedindo apoio às vítimas da enchente no estado. No entanto, a informação é de que desde o último dia 16, o Exército, por meio do Comando de Fronteira Juruá / 61º Batalhão de Infantaria de Selva, já participava de uma operação da prefeitura de Cruzeiro do Sul que tinha decretado situação de emergência.

Com o transbordo dos rios, os militares atuam na transferência dos desabrigados e transporte de materiais, com auxílio de embarcações e viaturas.

Em Cruzeiro do Sul, município com quase 90 mil habitantes, cerca de 33 mil pessoas foram atingidas. Na capital, o Parque de Exposição foi adaptado para receber quem não pode voltar para suas casas, no local, até essa quinta (25) tinha 33 famílias abrigadas.

Chove mais de 145mm em João Pessoa e ruas ficam alagadas

Chuvas devem permanecer no decorrer do dia no Litoral, e se estender para o Brejo e Agreste.

Choveu mais de 145 milímetros em João Pessoa durante um período de menos de oito horas. De acordo com a Defesa Civil, o volume de chuvas é superior ao que deveria ocorrer em todo o mês de fevereiro, com um acréscimo de 45% do que já estava previsto. Segundo a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), vários pontos da cidades estão alagados e outros com acúmulo de água.

Conforme a previsão da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), as chuvas desta manhã fazem parte do aglomerado convectivo gerador de chuvas na faixa litorânea e áreas adjacentes. Elas podem permanecer no decorrer do dia e se estender, de forma mais pontual, sobre as regiões do Agreste e Brejo.

Devido ao forte volume pluviométrico, vários pontos da cidade registraram alagamentos, como na Avenida Dom Pedro II, que ainda teve uma árvore caída próximo ao Ibama, no Viaduto do Cristo, na Avenida Bancário Sérgio Guerra, nos Bancários e na Avenida Epitácio Pessoa. Além disso, foi confirmado o deslizamento de uma barreira entre os bairros do Roger e Padre Zé, mas ninguém ficou ferido. Segundo Kelson Chaves, coordenador da Defesa Civil, a chuva deve permanecer durante toda a manhã.

Confira os vídeos obtidos pela redação do blog:


Acre vive “3ª Guerra Mundial” com enchente, covid e dengue, diz governador

O governador do Acre, Gladson Cameli (PP), comparou hoje a situação do estado a uma “3ª Guerra Mundial” por enfrentar simultaneamente enchentes, a pandemia de covid-19 e um surto de dengue.

“A questão das cheias — uma das piores nos últimos anos —, dengue, covid-19, e imigrantes na fronteira do Brasil… Temos ainda o Peru e a Bolívia, a questão dos haitianos [cerca de 200 famílias querem passar, mas os países não abrem fronteiras]. E isso me causa uma preocupação. É uma situação delicadíssima porque eu preciso proteger a população. E, com tudo o que está acontecendo, eu vou te dizer que vivemos uma terceira guerra mundial”, afirmou Cameli à CNN Brasil.

Além disso, o estado vive um número crescente de internações em decorrência da covid-19. Cerca de 92% dos hospitais no Acre dependem do SUS (Sistema Único de Saúde), segundo o governador.

O que estamos vivenciando aqui é, realmente, uma situação de calamidade humanitária. São vários problemas em uma hora só.” Gladson Cameli, governador do Acre.

APAC emite alerta para chuvas moderadas a fortes no Sertão pernambucano

Na madrugada desta segunda (15), parte do Grande Recife registrou chuvas intensas

A Agência Pernambucana de Águas e Climas (APAC) emitiu um alerta, na tarde desta terça-feira (16), sobre o risco de chuvas moderadas a fortes nas regiões do Agreste, Sertão e do Sertão do São Francisco.

O aviso tem validade até às 23h59 desta quarta-feira (17) e a recomendação é que a população siga as recomendações da Defesa Civil.

A madrugada desta terça-feira já foi de chuva forte em alguns municípios do Estado. De acordo com a APAC, o município de Tabira registrou 112mm, Sertânia 102, Itapetim 88, Tuparetama 80, Afogados da Ingazeira 69 e Caraíba 49.

Confira o boletim completo da APAC