Arquivo da categoria: EDUCAÇÃO

PEC 206: entenda o que diz o texto que propõe cobrar mensalidade em universidades públicas

Uma proposta de emenda à Constituição (PEC) apresentada na Câmara dos Deputados estabelece a cobrança de mensalidades em universidades públicas brasileiras. Polêmico, o tema enfrenta resistência de partidos de oposição e tem gerado controvérsia nas redes sociais.

A matéria chegou a constar na pauta desta terça-feira (24) da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), que é a primeira fase de tramitação, mas não foi debatida devido a ausência do relator, deputado Kim Kataguiri (União-SP).

Cabe colegiado analisar apenas questões técnicas. Isto é, se o texto fere algum princípio constitucional para autorizar ou não a sua tramitação.

De autoria do deputado federal General Peternelli (União-SP), a PEC tem parecer favorável pela sua tramitação do relator, deputado Kim Kataguiri (União-SP).

No entanto, Kataguiri informou ao g1 que não será votada nesta semana. Segundo o gabinete parlamentar dele, o deputado estará ausente da Câmara nesta semana e só retornará na próxima. Pelas regras regimentais, o relator deve estar presencialmente na comissão.

Durante a sessão desta terça-feira, foi aprovado por unanimidade um requerimento para realizar uma audiência pública para discutir o assunto antes da votação pela tramitação da pauta. A audiência ainda não tem data para acontecer.

Em uma rede social, o relator se defendeu dos ataques argumentando que a proposta prevê a cobrança de mensalidade “só dos mais ricos”.

“Sim, sou a favor de que os ricos paguem mensalidade de Universidades Públicas (mantendo a gratuidade para os pobres). Ou você acha justo que os pobres, que não estão na faculdade e que são os que mais pagam impostos no Brasil, continuem pagando a faculdade dos mais ricos?”, escreveu Kataguiri.

Se aprovada na CCJ, a proposta será, então, encaminhada para uma comissão especial, ainda a ser criada, que terá a responsabilidade de discutir o mérito. Depois, a PEC precisará ainda de duas votações no plenário da Câmara antes de seguir para o Senado.

Brasil tem desde 2017 programa de internet que Musk propõe para escolas em regiões remotas

O bilionário Elon Musk anunciou nesta sexta-feira (20), via Twitter, que lançará a rede Starlink para conectar escolas em áreas rurais e monitorar a Amazônia. O Brasil tem desde 2017 um programa semelhante, tocado pela Telebras e pela Viasat Comunicações em parceria com o Ministério das Comunicações.

O projeto –que foi batizado inicialmente de Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac) e depois foi renomeado de Wi-Fi Brasil pelo presidente Jair Bolsonaro– foi lançado pelo então presidente Michel Temer. Ele utiliza o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC-1) com o principal objetivo de prover internet banda larga às regiões mais remotas do Brasil.

Em setembro de 2020, a Agência Espacial Brasileira (AEB) informou que o SGDC-1 fornece “cobertura de serviços de internet a 100% do território nacional”.

De acordo com informações divulgadas pela Telebras em maio deste ano, 15.705 pontos de internet haviam sido instalados em 3.055 municípios brasileiros em 5 anos de projeto, totalizando quase 9 milhões de beneficiários.

A região mais beneficiada pelo programa até maio é a Nordeste, com 7.544 pontos instalados em 1.412 municípios, seguida pela região Norte, com 4.060 pontos em 386 municípios.

Em nota enviada ao g1, a Viasat informou que cumpre seu papel de fornecer infraestrutura terrestre para receber e distribuir o sinal recebido por satélite, e que conecta mais de 10 mil escolas pelo projeto Wi-fi Brasil desde 2018.

E disse ainda que está “instalando pontos de acesso em outras 5 mil escolas, ajudando assim a reduzir a brecha digital na educação brasileira.” A empresa não informou qual o prazo para finalizar a instalação dos novos pontos.

A Telebras também foi procurada pelo g1, mas não respondeu à tentativa de contato até a última atualização desta reportagem.

Já Elon Musk chegou ao Brasil nesta sexta-feira e não deu detalhes sobre os serviços que pretende prestar, nem quando isso aconteceria, mas disse na publicação que a Starkink deve beneficiar 19 mil escolas em áreas rurais que não possuem conexão.

Enem 2022: prazo para inscrição começa na terça-feira

O prazo para inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022, nas versões impressa e digital, começa na terça-feira (10) e vai até 21 de maio.

A inscrição deve ser feita na página do participante do Enem. A taxa para quem não conseguiu isenção é de R$ 85 e deve ser paga até 27 de maio, por boleto, PIX e cartão de crédito.

Atenção: os estudantes que obtiveram o direito à isenção desse valor (como os alunos da rede pública) também devem se inscrever. Caso contrário, não poderão prestar o Enem.

Novidade na aplicação

Pela primeira vez, o Inep aceitará documentos digitais de identificação nos locais de prova, como:

e-Título,
Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Digital e
RG Digital.
O candidato deve apresentar o aplicativo oficial ao fiscal – capturas de tela não serão válidas.

Após a entrada na sala de aula, o uso do celular continuará vetado.

Inglês ou espanhol? Prova impressa ou digital?
O candidato deve escolher, no ato da inscrição, se deseja que as cinco questões de língua estrangeira sejam em inglês ou em espanhol.

Também precisa sinalizar se quer fazer o Enem impresso (tradicional) ou o digital.

É importante lembrar que a versão informatizada:

também é aplicada nos locais de prova — não existe a opção de prestar o exame em casa;
traz 180 questões a serem respondidas digitalmente, mas com redação manuscrita.
Confira o cronograma
Inscrições: 10 a 21 de maio
Pagamento da inscrição: 10 a 27 de maio
Pedido de atendimento especializado: 10 a 21 de maio
Pedido de tratamento pelo nome social: 23 a 28 de junho
Provas: 13 e 20 de novembro
Disciplinas e horários
Como nos últimos anos, o Enem será aplicado em dois domingos.

13 de novembro

O candidato deverá fazer:

45 questões de linguagens (40 de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol);
45 questões de ciências humanas
e redação.
20 de novembro

A prova trará:

45 questões de matemática
e 45 questões de ciências da natureza.
Veja os horários de aplicação (no fuso de Brasília):

Abertura dos portões: 12h
Fechamento dos portões: 13h
Início das provas: 13h30
Término das provas no 1º dia: 19h
Término das provas no 2º dia: 18h30

Alta de casos de Covid faz escolas de SP suspenderem aulas e exigirem máscara

As infecções de Covid-19 vinham em queda no Brasil, mas o índice de testes positivos em farmácias e laboratórios dá sinais de uma nova alta da circulação do vírus no país. Segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e outros especialistas, há risco de novas ondas, mas a chance de agravamento é menor, por causa das elevadas taxas de vacinação. Em São Paulo, escolas já registram outra vez grupos de alunos contaminados e voltam a exigir máscaras diante do novo cenário.

Entre os motivos, estão o menor uso de máscaras, que deixou de ser obrigatório na maioria dos locais, e o retorno dos eventos sociais, como festas de aniversário e confraternizações. A capital paulista, diz a Secretaria Municipal de Saúde, registrou 5,6% de aumento de infectados nos últimos três dias –considerando um cenário de baixa testagem. Esta subida também reflete efeitos das aglomerações e deslocamentos nos feriados de Semana Santa e Tiradentes, quando houve um Carnaval fora de época na cidade.

No Gracinha, que fica no Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo, o diretor Wagner Borja explicou que as atividades chegaram a ser suspensas no ensino médio e a concentração de casos nesta faixa etária parece estar relacionada às festas realizadas aos fins de semana. “Tivemos um aumento de casos em meados de abril, chegamos a suspender as atividades presenciais por três dias, antes do feriado da Páscoa. Retomamos a obrigatoriedade do uso de máscaras em sala. Após essas medidas, houve um retorno para o patamar anterior”, explicou.

A direção do Colégio Bandeirantes, na Vila Mariana, zona sul, enviou comunicado em meados de abril para seus alunos reforçando as medidas para evitar o contágio. “Nos últimos dias, notamos um aumento nos números de casos e, consequentemente, turmas foram fechadas. Dentro desse cenário, recomendamos fortemente a utilização de máscaras nas dependências da escola. Pedimos, mais uma vez, a todos, que não venham sintomáticos para o colégio”, disse.

Já o Colégio Equipe, em Higienópolis, na região central, também precisou suspender alguns grupos por causa de casos de Covid. “Temos observado aumento no número de casos”, diz a diretora Luciana Fevorini. “O uso de máscara continua sendo obrigatório. Ainda mantivemos o distanciamento e bolhas controladas de estudantes”, acrescenta.

Enem 2022: edital é publicado; veja datas de inscrição e de aplicação das provas

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022, nas versões impressa e digital, será aplicado em 13 e 20 de novembro. A informação foi publicada nesta sexta-feira (29) no Diário Oficial da União.

As inscrições devem ser feitas na página do participante entre 10 e 21 de maio, mediante o pagamento de uma taxa de R$ 85 (a ser efetuado até 27 de maio).

Atenção: os estudantes que obtiveram o direito à isenção desse valor (como os alunos da rede pública) também devem se inscrever. Caso contrário, não poderão prestar o Enem.

Questões serão inéditas, diz Inep

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as perguntas do Enem 2022 serão inéditas.

“Durante a atual gestão do Inep, realizou-se pré-teste de itens, visando tornar o Banco Nacional de Itens (BNI) [acervo de questões aprovadas para serem usadas na prova] mais qualificado”, afirma o comunicado da autarquia.

Em 29 de março, o g1 noticiou que coordenadores e diretores do Inep enviaram um ofício ao presidente do órgão, Danilo Dupas, para recomendar a reutilização de questões já aplicadas em edições anteriores da prova.

O motivo alegado pelas autoridades era a quantidade insuficiente de testes prontos no BNI.

À época, o próprio Inep admitiu que o banco estava “obsoleto” e que o estoque de questões usadas em provas estava abaixo do ideal. Afirmou que, por isso, estava estudando a possibilidade de terceirizar a formulação de perguntas do Enem e a “calibragem” dos níveis de dificuldade da prova.

Novidade na aplicação

Pela primeira vez, o Inep aceitará documentos digitais de identificação nos locais de prova, como:

e-Título,
Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Digital e
RG Digital.

O candidato deve apresentar o aplicativo oficial ao fiscal – capturas de tela não serão válidas.

Após a entrada na sala de aula, o uso do celular continuará vetado.

Inglês ou espanhol? Prova impressa ou digital?

O candidato deve escolher, no ato da inscrição, se deseja que as cinco questões de língua estrangeira sejam em inglês ou em espanhol.

Também precisa sinalizar se quer fazer o Enem impresso (tradicional) ou o digital.

É importante lembrar que a versão informatizada:

também é aplicada nos locais de prova — não existe a opção de prestar o exame em casa;
traz 180 questões a serem respondidas digitalmente, mas com redação manuscrita.
Confira o cronograma
Inscrições: 10 a 21 de maio
Pagamento da inscrição: 10 a 27 de maio
Pedido de atendimento especializado: 10 a 21 de maio
Pedido de tratamento pelo nome social: 23 a 28 de junho
Provas: 13 e 20 de novembro
Disciplinas e horários
Como nos últimos anos, o Enem será aplicado em dois domingos.

13 de novembro

O candidato deverá fazer:

45 questões de linguagens (40 de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol);
45 questões de ciências humanas
e redação.

20 de novembro

A prova trará:

45 questões de matemática
e 45 questões de ciências da natureza.
Veja os horários de aplicação (no fuso de Brasília):

Abertura dos portões: 12h
Fechamento dos portões: 13h
Início das provas: 13h30
Término das provas no 1º dia: 19h
Término das provas no 2º dia: 18h30

Em Pernambuco, 99% dos ônibus escolares estão sem condições mínimas de funcionamento, segundo o TCE

O Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) verificou em levantamento, realizado nesta quarta-feira (27), que 99% dos ônibus escolares de Pernambuco não possuem condições mínimas de funcionamento, desses, 96% não possuem o selo de inspeção emitido pelo Detran-PE. A operação visa fiscalizar a qualidade do serviço de transporte escolar oferecido aos alunos de escolas públicas municipais de Pernambuco.

Cerca de 250 membros da equipe de auditoria do TCE estiveram envolvidas na operação, que terminou no final da tarde desta quarta. Nas visitas, os auditores avaliaram documentação, idade e condições dos veículos (faróis, lanternas, estepe, extintores de incêndio, cintos de segurança, entre outros itens); se o modelo é adequado à finalidade; se o serviço é prestado com autorização do DETRAN/PE e se os condutores são devidamente habilitados para a função. As informações eram divulgadas em tempo real pelas equipes em campo, para supervisão da Diretoria de Controle Externo e do Departamento de Controle Municipal.

Foram inspecionados 831 veículos dos 183 municípios de Pernambuco, exceto o Recife. Nos dados divulgados, 62% dos condutores não possuem curso para condução de ônibus escolares, 22% dos condutores apresentam irregularidades com habilitação, 67% dos veículos apresentam problemas nos cintos de segurança, 78% dos ônibus possuem irregularidades no tacógrafo e 30% dos veículos estão com pneu careca.

De acordo com o auditor Rafael Lira, os próximos passos serão de responsabilidade dos relatores de cada município, para possíveis punições a serem aplicadas posteriormente.

“A partir de agora, vamos fazer uma analise mais aprofundada e detalhada das informações colhidas, e passar essas informações para os relatores de cada município, que vão avaliar quais as consequências que serão impetradas em cada situação avaliada, podendo ir desde o alerta de responsabilização, até a emissão de uma medida cautelar ou a rejeição das contas desse gestor”, afirmou.

Segundo a diretora de Controle Externo do Tribunal de Contas de Pernambuco, Adriana Arantes, a responsabilidade de fiscalização é dos próprios municípios.

“Em alguns deles há ônibus comprados e ônibus fretados. De qualquer maneira, o município precisa fiscalizar”, explica.

Confira abaixo os dados divulgados pelo TCE-PE:

Irregularidades em cintos de segurança – 67%
Condutores sem curso para condução de ônibus escolar – 62%
Veículos sem selo de inspeção do DETRAN – 96%
Veículos com pneu careca – 30%
Condutores com habilitação irregular – 22%
Veículos com irregularidades no tacógrafo – 78%

Idade dos veículos:
0 a 5 anos: 184 (22,72%)
6 a 10 anos: 217 (26,79%
11 a 15 anos: 248 (30,62%)
16 a 20 anos: 56 (7%)
21 a 30 anos: 83 (10%)
Mais de 30 anos: 22 (3%)

Experiência das Escolas de Tempo Integral de Pernambuco é destaque em encontro anual

Pernambuco participou, nesta terça-feira (26), do Encontro Anual Educação Já 2022 – Renovando o Compromisso, realizado no Parque Ibirapuera, em São Paulo. Com a presença do governador do Estado, Paulo Câmara, a experiência das Escolas de Tempo Integral no Estado foi um dos destaques.

No evento, o método foi apontado como essencial para a melhoria da nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de Pernambuco. Durante a atual gestão, o índice saiu das últimas posições, em 2006, e chegou a ocupar o primeiro lugar.

Durante o encontro, promovido pela organização Todos pela Educação, Paulo Câmara detalhou as ações dos últimos anos nessa área e apresentou dados sobre o Ensino Médio estadual.

“Nossos resultados são fruto de investimentos na infraestrutura, principalmente nas Escolas de Tempo Integral. A valorização dos profissionais é um aspecto essencial, e a política do piso salarial ajudou a estabelecer uma uniformidade no País. Mas, acima de tudo, buscamos tornar a nossa escola cada vez mais atrativa e estar sempre presente nas instituições de ensino. É fundamental que o aluno se sinta bem no ambiente escolar, que tenha ferramentas para isso e saiba que pode realizar seus sonhos através do dia a dia na escola”, afirmou o gestor estadual.

No último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) em 2019, o Estado registrou a média 4,5 – superando a média nacional de 3.9. Além disso, Pernambuco é a única unidade da Federação que, na série histórica do IDEB – criado em 2005 – registrou evolução no crescimento em todas as suas edições, e também foi o único a atingir a meta do MEC em todos os anos.

Governo nomeia Victor Godoy como ministro da Educação

O governo publicou no “Diário Oficial da União” desta segunda-feira (18) a nomeação de Victor Godoy como ministro da Educação.

No fim de março, quando o ex-ministro Milton Ribeiro deixou a pasta, Godoy assumiu interinamente. Agora foi oficializado no comando do MEC.

Desde julho de 2020, ele vinha exercendo o cargo de secretário-executivo da pasta. É o quinto ministro da Educação em pouco mais de três anos do governo Jair Bolsonaro.

A troca no comando do MEC ocorreu após denúncias de irregularidades na gestão de Ribeiro. Em um áudio divulgado pela imprensa, o ex-ministro aparece, durante uma reunião de prefeitos, dizendo que priorizava repasse de verbas para municípios apontados por pastores. Ribeiro afirmou ainda que fazia isso a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Os pastores, Gilmar Santos e Arilton Moura, não têm cargo no MEC. Na esteira da divulgação do áudio, prefeitos de diversos municípios foram a público para relatar que sofreram pedidos de propina dos dois religiosos. Santos e Moura, segundo os prefeitos, alegavam que tinham poder sobre os repasses do MEC e pediam até ouro em troca.

Brasileiros pagam R$ 12 bi em impostos e subsídios por mês e têm conta de luz entre as mais caras do mundo

Os brasileiros pagam cerca de R$ 12 bilhões por mês em tributos e subsídios na conta de luz, segundo dados da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia (Abrace). O levantamento aponta uma alta de 47% no valor dessas taxas e encargos ao longo dos últimos quatro anos.

Não à toa, o custo da energia no Brasil, em relação à renda per capita, é hoje o segundo maior do mundo, atrás somente da Colômbia, entre 33 países pesquisados. Ou seja, dentro do orçamento das famílias, o gasto com energia pesa mais para brasileiros do que para consumidores que vivem em economias com renda mais alta, como Estados Unidos e Canadá, e até mesmo entre aqueles que moram em países emergentes, como Chile e Turquia.

Os dados globais são da Agência Internacional de Energia e foram compilados pela Abrace.

“São muitos os canais pelos quais o dinheiro flui no setor elétrico e alimenta um conjunto de ações que não deveria estar na conta de energia”, afirma Paulo Pedrosa, presidente da Abrace. “O setor elétrico se converteu quase em um orçamento paralelo da União.”

Em todo o ano de 2022, os impostos e subsídios vão somar R$ 144,9 bilhões, o equivalente a todo o orçamento do ministério da Educação neste ano, estimado em R$ 137,2 bilhões.

Segundo a Abrace, apenas metade (53,5%) do valor da conta de luz está ligada à geração, transmissão e distribuição da energia elétrica. O restante é composto por taxas que bancam políticas públicas, subsídios, impostos e ineficiências do setor.

Pedrosa alerta que esse custo bilionário acaba se propagando ao longo da cadeia produtiva.

“A sociedade paga e paga muitas vezes. Toda vez que um brasileiro compra um frango congelado, uma camiseta ou um caderno para o filho levar para a escola está pagando a energia embutida naqueles produtos. Hoje em dia, numa família, um quarto do que ela gasta por mês é com energia”, diz.

No Cabo, onze adolescentes são socorridos após intoxicação alimentar em escola pública

Alunos da Escola Técnica Estadual Luiz Alves Lacerda, localizada na região central do município do Cabo de Santo Agostinho, tiveram quadro de mal estar em consequência de uma intoxicação alimentar após comerem a merenda da instituição nesta quarta-feira. Do total, onze adolescentes (10 do gênero feminino e um do masculino), entre 15 e 17 anos, tiveram que ser socorridos e levados a um hospital. Suas identidades foram preservadas.

De acordo com pronunciamento oficial do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), o pedido por socorro foi realizado por volta das 13h50. Chegando lá, o grupo atendeu os adolescentes que estavam com sintomas mais graves, e os encaminharam até o Hospital Mendo Sampaio, também no Cabo.

Resposta do governo pernambucano

Depois do acontecimento na Escola Técnica Estadual Luiz Alves Lacerda, o governo do estado de Pernambuco se pronunciou através de um comunicado. Nele, informou que os gestores da instituição de ensino prestaram os primeiros socorros às vítimas, acionaram o SAMU e também entraram em contato com os responsáveis pelos estudantes.

Ainda na nota, o governo estadual disse que “todos os pontos precisam ser analisados com precisão antes de qualquer conclusão”, e que por isso encaminhou profissionais de nutrição ao local para coletar amostras das refeições.

Abaixo, leia na íntegra o que o governo disse sobre o caso

“A Secretaria de Educação e Esportes do Estado informa que ao tomar conhecimento de que estudantes estavam passando mal, a gestão da Escola Técnica Estadual (ETE) Luiz Alves, no Cabo de Santo Agostinho, prontamente prestou os primeiros socorros aos jovens, acionou o Samu e entrou em contato com os pais e responsáveis. A Gerência Regional de Educação Metropolitana Sul também encaminhou uma equipe de nutricionistas até o local para fazer a anamnese com os estudantes e coletar as amostras da refeição para análise laboratorial, onde todos os pontos precisam ser analisados com precisão antes de qualquer conclusão. A pasta esclarece ainda que a alimentação escolar passa por uma avaliação nutricional rigorosa antes de ser servida aos estudantes e a produção é diária. Inclusive, periodicamente, os alunos se submetem a aplicação de um questionário de satisfação e de aceitabilidade. Os estudantes que se sentiram mal foram liberados após autorização médica e com a presença dos pais ou responsáveis”, disse a nota.

Enem 2022: gestores recomendam a reaplicação de itens já utilizados no exame

Coordenadores e diretores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) enviaram um ofício ao presidente do órgão, Danilo Dupas, para recomendar a reutilização de questões já aplicadas em edições anteriores do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O motivo é a quantidade insuficiente de testes prontos para utilização na prova.

A nota informativa conjunta, com data de 23 de março, orienta a decisão para as edições de 2022 e 2023 do exame. A partir de 2024, o Enem deverá ter um novo modelo que já prevê a reutilização de itens.

Procurado, o Inep, órgão liado ao Ministério da Educação (MEC), não respondeu até a última atualização desta reportagem se pretende seguir a recomendação.

“Considerando a possibilidade de reutilizar 4.680 itens, que foram aplicados para milhões de candidatos nas edições realizadas no Enem, não haverá a necessidade de executar novos pré-testes para viabilizar as edições 2022 e 2023. Assim, os esforços de novos pré-testes para viabilizar duas edições com uma matriz já vencida, poderão ser canalizados para o desenvolvimento e a viabilidade do novo Enem, que apresenta alto grau de complexidade, considerando a nova BNCC”, diz o ofício encaminhado à direção do Inep.

O documento foi assinado por Robério Alves Teixeira, coordenador-geral de Instrumentos e Medidas, Michele Cristina Silva Melo, diretora de Avaliação da Educação Básica, Ricardo Freitas da Silva, coordenador-geral de Desenvolvimento da Aplicação, e Jôfran Lima Roseno, diretor de Gestão e Planejamento.

Eles fazem parte de uma nova leva de gestores que assumiram após a crise histórica que levou 37 servidores do Inep a renunciarem a seus cargos em novembro de 2021.

De acordo com a nota, a quantidade de itens disponíveis no Banco Nacional de Itens (BNI) testados e adequados para uso não é suficiente considerando o modelo atual do exame.

Depoimento de Ribeiro está mantido e falta será ‘chamamento’ para CPI do MEC, diz senador

O presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, Marcelo Castro (MDB-PI), disse nesta terça-feira (29) que espera que o agora ex-ministro da Educação Milton Ribeiro mantenha o compromisso de comparecer à audiência pública marcada para quinta-feira (31).

Segundo Castro, uma eventual ausência de Ribeiro pode levar à instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as suspeitas sobre a atuação de pastores no ministério e de cobrança de propina para liberação de verbas da pasta.

Ribeiro foi exonerado do Ministério da Educação na segunda (29), uma semana após revelação pelo jornal “Folha de S.Paulo” de uma gravação na qual o ministro diz repassar verbas do ministério para municípios indicados por dois pastores a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Na semana passada, após a divulgação do áudio e antes de ser exonerado, Ribeiro se colocou à disposição para ser ouvido pela Comissão de Educação do Senado.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da oposição no Senado, iniciou a coleta de assinaturas para criar uma comissão destinada a investigar o caso.

Milton Ribeiro pede demissão do Ministério da Educação

O Ministro da Educação, Milton Ribeiro, entregou pedido de exoneração ao presidente Jair Bolsonaro (PL) nesta segunda-feira (28). Ele pede para deixar o cargo depois de vir à tona um suposto favorecimento de pastores na distribuição de verbas do ministério.

Leia íntegra da carta:
Desde o dia 21 de março minha vida sofreu uma grande transformação. A partir de notícias veiculadas na mídia foram levantadas suspeitas acerca da conduta de pessoas que possuíam proximidade com o Ministro da Educação.

Tenho plena convicção que jamais realizei um único ato de gestão na minha pasta que não fosse pautado pela correção, pela probidade e pelo compromisso com o erário. As suspeitas de que uma pessoa, próxima a mim, poderia estar cometendo atos irregulares devem ser investigadas com profundidade.

Eu mesmo, quando tive conhecimento de denúncia acerca desta pessoa, em agosto de 2021, encaminhei expediente a CGU para que a Controladoria pudesse apurar a situação narrada em duas denúncias recebidas em meu gabinete. Mais recentemente, em _, solicitei a CGU que audite as liberações de recursos de obras do FNDE, para que não haja duvida sobre a lisura dos processos conduzidos bem como da ausência de poder decisório do ministro neste tipo de atividade.

Tenho três pilares que me guiam: Minha honra, minha família e meu país. Além disso tenho todo respeito e gratidão ao Presidente Bolsonaro, que me deu a oportunidade de ser Ministro da Educação do Brasil.

Assim sendo, e levando-se em consideração os aspectos já citados, decidi solicitar ao Presidente Bolsonaro a minha exoneração do cargo, com a finalidade de que não paire nenhuma incerteza sobre a minha conduta e a do Governo Federal, que vem transformando este país por meio do compromisso firme da luta contra a corrupção.

Não quero deixar uma objeção sequer quanto ao meu comportamento, que sempre se baseou em pilares inquebrantáveis de honra, família e pátria. Meu afastamento do cargo de Ministro, a partir da minha exoneração, visa também deixar claro que quero, mais que ninguém, uma investigação completa e longe de qualquer dúvida acerca de tentativas deste Ministro de Estado de interferir nas investigações.

Tomo esta iniciativa com o coração partido, de um inocente que quer mostrar a todo o custo a verdade das coisas, porém que sabe que a verdade requer tempo. Sei de minha responsabilidade política, que muito se difere da jurídica. Meu afastamento é única e exclusivamente decorrente de minha responsabilidade política, que exige de mim um senso de país maior que quaisquer sentimentos pessoais.

Assim sendo, não me despedirei, direi um até breve, pois depois de demonstrada minha inocência estarei de volta, para ajudar meu país e o Presidente Bolsonaro na sua difícil mas vitoriosa caminhada.

Brasil acima de tudo!!! Deus acima de todos!!!

Prefeitura de Afogados realizou campanha contra a evasão escolar, “Fora da Escola não Pode!”.

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira realiza, desde o início das aulas, até o dia 26 Março, a campanha “Fora da Escola não Pode!”.

A ação é coordenada pelo Centro de Apoio Educacional Multidisciplinar Professora Nívea Cléa Ramos Galindo, da Secretaria Municipal de educação. O objetivo é realizar a busca e o apoio às escolas na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. 

No primeiro momento, as profissionais de educação estão acolhendo no ambiente escolar as famílias e os estudantes, realizando mini palestras com pais / responsáveis e visita às salas de aula para conversa com os estudantes. 

“Esta ação permite o desenvolvimento de estratégias que contribuam para garantir o direito efetivo à educação pública no âmbito do município. Esperamos sensibilizar toda a sociedade quanto ao direito à educação, dever dos pais e responsáveis de matricularem seus filhos, bem como da importância da educação para a formação da cidadania plena,” avaliou a coordenadora do Centro de Apoio Educacional Multidisciplinar, Rejane Aparecida. 

A culminância da campanha encerrou no dia 26 de Março, que cai num sábado, durante a feira livre, com panfletagem e adesivaço  em pontos estratégicos da cidade.

Gestores escolares avaliaram indicadores da educação em Afogados

A Secretaria de Educação de Afogados da Ingazeira promoveu esta semana uma reunião para avaliar os indicadores do SAEPE – Sistema de Avaliação Educacional de Pernambuco.

A reunião aconteceu no auditório da secretaria e reuniu os gestores da rede municipal de ensino, das escolas do campo e da cidade.

Na última edição, Afogados atingiu a média superior em português e matemática no quinto e nono ano do ensino fundamental, vindo a superar a nota média da rede estadual de ensino.

Em 2021 conseguimos um ótimo resultado no SAEPE, com as turmas de quinto e nono ano, mesmo com os desafios da pandemia e as limitações das aulas remotas. Com a volta das aulas presenciais, poderemos preparar ainda mais nossos estudantes para que possamos atingir uma pontuação ainda melhor para a educação de Afogados”, destacou a Secretária de Educação, Wiviane Fonseca.

Prefeito de Boa Esperança do Sul relata que pastor pediu propina de R$ 40 mil após encontro no MEC

O prefeito de Boa Esperança do Sul (SP), Manoel do Vitorinho (PP), confirmou nesta quinta-feira (24) à EPTV, afiliada da TV Globo, que o pastor Arilton Moura pediu R$ 40 mil de propina para enviar verbas do Ministério da Educação para o município, após um encontro de gestores municipais com o ministro Milton Ribeiro, em março de 2021.

A informação havia sido divulgada em reportagem de ‘O Globo’, na quarta-feira (23).

Arilton é um dos pastores com trânsito livre no MEC e relação próxima com o ministro Milton Ribeiro. Nesta semana, reportagem do jornal ‘Folha de S. Paulo’ mostrou áudio de Ribeiro, em reunião com prefeitos, dizendo que repassa verbas do MEC a municípios indicados pelos pastores a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Em nota divulgada na terça (22), Ribeiro negou favorecimento a pastores e também que a prática ocorresse a pedido de Bolsonaro. O g1 não conseguiu localizar o pastor Arilton Moura para comentar a acusação do prefeito de Boa Esperança do Sul.

Prefeito de Goiás relata pedido de propina de R$ 15 mil de pastor com influência no MEC

O prefeito Kelton Pinheiro (Cidadania), da cidade goiana de Bonfinópolis, relatou que o pastor Arilton Moura pediu R$ 15 mil de propina para enviar verbas do Ministério da Educação para o município.

Arilton é um dos pastores com trânsito livre no MEC e relação próxima com o ministro Milton Ribeiro. Nesta semana, reportagem do jornal “Folha de S. Paulo” mostrou áudio de Ribeiro, em reunião com prefeitos, dizendo que repassa verbas do MEC a municípios indicados pelos pastores a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Na esteira da revelação do áudio, começaram a surgir denúncias de que os pastores pediram propina para liberar as verbas. Além de Arilton, outro pastor citado por Milton nos áudio é Gilmar Santos.

O jornal “O Globo” publicou a denúncia do prefeito Kelton Pinheiro. Depois, a TV Globo também conseguiu falar com ele.

Ele afirmou que por intermédio do pastor Gilmar conseguiu ser recebido pelo ministro da Educação numa reunião com vários prefeitos.

Depois da reunião, Kelton disse que os prefeitos foram almoçar e que, nesse momento, o pastor Arilton, que também estava no encontro, fez o pedido de propina.

Segundo o prefeito, o pastor disse: “‘Papo reto aqui. Eu tenho recurso para conseguir com você lá no ministério, mas eu preciso que você coloque na minha conta hoje R$ 15 mil. É hoje. E porque você está com o pastor Gilmar aqui, senão, pros outros, foi até mais’. Achei muito estranho, não tinha interesse”, contou Kelton.

O prefeito relatou ainda que precisa muito de uma escola nova, mas não quis pagar a propina.

“Olha, eu precisava muito da construção de uma escola nova, uma escola lá que é de placas de muro, escola antiga, que a gente precisava substituir lá no município. Então ele disse: ‘Olha, tudo bem, eu consigo isso para você, mas eu quero que você me dê hoje R$ 15 mil aqui na minha mão. Hoje, uma transferência, que você faça isso hoje'”, relatou o prefeito. .

Já o prefeito do município de Luís Domingues (MA), Gilberto Braga (PSDB) disse ao jornal “O Estado de S. Paulo” que o pastor Arilton Moura pediu ouro em troca do repasse de recursos.

Ele disse que tinha que botar (…) Ver a nossa, a nossa demanda, né. Tinha que dar R$ 15 mil para ele só protocolar. E na hora que o dinheiro já estivesse empenhado, era pra dar um tanto x”, afirmou o prefeito.

“Para mim, como a minha região é área de mineração, ele pediu 1 quilo de ouro”, completou.

Braga contou ainda que o pedido foi feito em meio a outros prefeitos.

“Então, o negócio estava tão normal lá que ele não pediu segredo, ele falou no meio de todo mundo. Inclusive tinha outros prefeitos do Pará. Ele disse: ‘Olha, para esse daqui eu já mandei tantos milhões’. Os prefeitos ficavam todos calados, não diziam nem que sim, nem que não'”, continuou o prefeito.

Ele afirma que não aceitou o pedido de propina.

“E assim mesmo eu permaneci calado. Também não aceitei a proposta. Deixamos as demandas na mão dele e ele deu a conta pra gente. Os que transferissem os R$ 15 mil, ele ia protocolar”, concluiu.

Nube abre 8.790 vagas entre oportunidades remotas e presenciais com bolsas de até R$ 2.320

O Nube está com vagas abertas para estágio em diversas áreas em todo o Brasil. As oportunidades são voltadas para estudantes dos ensinos médio, técnico, tecnólogo e superior, no período matutino e noturno. Segundo o Nube, há 8.790 vagas, distribuídas entre oportunidades presenciais e remotas.

No site do Nube, o candidato consegue ver as vagas disponíveis. As oportunidades para as vagas remotas estão sinalizadas e candidatos de qualquer local do país podem concorrer. 

Entre os cursos solicitados pelas empresas, estão: Agronomia, Arquitetura, Contabilidade, Direito, Educação Física, Estatística, Finanças, Pedagogia, Química, Veterinária entre outros. 

Além disso, ainda há vagas para os estudantes do ensino médio e técnico. As bolsas auxílio variam de R$ 1.100,00 a R$ 2.320,00. Os interessados podem se cadastrar gratuitamente pelo site e concorrer a muitas oportunidades.

Mourão diz que Ribeiro é honesto, mas deve esclarecer áudio sobre favorecimento a pastores em verbas do MEC

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quarta-feira (23) que vê o ministro da Educação, Milton Ribeiro, como alguém honesto que precisa esclarecer o áudio em que aponta favorecimento a pastores com verbas do MEC a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

Mourão foi questionado sobre o tema por jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto.

“O que eu, minha visão que eu tenho a respeito do trabalho do ministro Milton, é que ele é uma pessoa que é honesta, ele tem honestidade de propósito, ele é uma pessoa extremamente educada, cautelosa nas coisas. Então eu acho que tem que esclarecer essa situação aí para se chegar a uma conclusão do que realmente ocorreu e se realmente houve algo que não seja realizado dentro dos princípios da administração pública”, afirmou Mourão.

O áudio da reunião foi obtido pelo jornal “Folha de S.Paulo”. Na semana passada, o jornal “O Estado de S. Paulo” já havia apontado a existência de um “gabinete paralelo” de pastores que controlaria verbas e agenda do Ministério da Educação.

Os pastores a que o ministro se refere no áudio são Gilmar Santos e Arilton Moura. Eles não têm cargo no governo, mas participaram de várias reuniões com autoridades nos últimos anos.

Gilmar Santos é presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil Cristo Para Todos (Conimadb). Arilton Moura também é da Assembleia de Deus.

Centrão vê situação ‘grave’ de Milton Ribeiro e pressiona por saída de ministro

Líderes do centrão veem como “grave” a situação do ministro da Educação, Milton Ribeiro, que afirmou em reunião com prefeitos que repassa verbas para municípios indicados por dois pastores -a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL).

A preocupação dessa ala é que o desgaste de Ribeiro prejudique Bolsonaro em ano eleitoral. O áudio em que o ministro menciona o repasse de verbas foi divulgado pelo jornal “Folha de São Paulo”.

Bolsonaro gosta do ministro da Educação e espera desdobramentos do caso no Congresso e no Judiciário. Ele faz parte do grupo de ministros “ideológicos” do governo.

Bolsonaro tem dificuldades em se desfazer de aliados do grupo — como Abraham Weintraub e Ernesto Araujó. Ele só o faz se a questão envolver sua sobrevivência política – que, neste ano, tem desdobramentos eleitorais. Por isso, o centrão quer mostrar ao presidente que manter Ribeiro desgasta o presidente com outros setores aliados, como denominações religiosas e evangélicas a políticos de diferentes bases eleitorais.

O ministro divulgou nota em que blinda Bolsonaro: ele diz que não recebeu do presidente pedido de atendimento preferencial para pastores.

Ministro da Educação diz em áudio que, a pedido de Bolsonaro, repassa verba a municípios indicados por pastores

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou em reunião com prefeitos que repassa verbas para municípios indicados por dois pastores, a pedido do presidente Jair Bolsonaro.

O áudio da reunião foi obtido pelo jornal “Folha de S.Paulo”, que revelou o conteúdo da fala de Ribeiro em reportagem na edição desta terça-feira (22).

Os pastores a que o ministro se refere no áudio são Gilmar Santos e Arilton Moura. Eles não têm cargo no governo, mas participaram de várias reuniões com autoridades nos últimos anos.

Gilmar Santos é presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil Cristo Para Todos (Conimadb). Arilton Moura também é da Assembleia de Deus.

“Foi um pedido especial que o presidente da República fez para mim sobre a questão do [pastor] Gilmar”, disse o ministro, segundo o áudio revelado pelo jornal. Além dos prefeitos, estavam na reunião também os dois pastores.

“Porque a minha prioridade é atender primeiro os municípios que mais precisam e, segundo, atender a todos os que são amigos do pastor Gilmar”, complementou Ribeiro.

Em determinado ponto da reunião, o ministro diz ainda que há uma contrapartida para esses repasses, mas não dá detalhes sobre isso.

“Então, o apoio que a gente pede não é segredo. Isso pode ser [inaudível] é apoio sobre construção das igrejas”, disse.

Procurado, o Ministério da Educação não informou as circunstâncias em que o áudio foi gravado, como data e local, mas que deve divulgar uma nota sobre o assunto ainda nesta terça-feira.

Lula e Gil do Vigor comentam interiorização da educação com exemplo de Serra Talhada

O ex-presidente Lula compartilhou em sua rede social um comentário do ex-BBB Gil do Vigor sobre Serra Talhada.

Gil falou da importância da interiorização do ensino superior e destacou a quebra de barreiras com a chegada de cursos a cidades como Serra Talhada.

Ele, que busca ser PHD em Economia, destacou ao Podpah que foi beneficiado por programas sociais como o Minha Casa Minha Vida e também pelo programa de cotas.

“Quando você dá condições pra quem precisa, você descobre talentos, empreendedores. Tenho um amigo que é Doutor em Economia. Sabe como ele conseguiu? Com a interiorização de universidades no interior. Em Pernambuco,  por exemplo, em Serra Talhada e em outros lugares do interior tem muita gente boa”.

Ele acrescentou que se você não leva educação para essa população,  eles não poderão mostrar que são bons.

O ex-presidente Lula comentou: “é isso mesmo Gil do Vigor.  Nosso país precisa investir em educação,  nos mais pobres e no interior para ter um futuro melhor”.

Senac oferece 600 vagas em cursos gratuitos para empresas cadastradas em plataforma online

Com 600 vagas disponíveis em Pernambuco, o Senac Empresas, plataforma de acesso a cursos gratuitos de capacitação e qualificação para profissionais de empresas dos mais diversos setores produtivos brasileiros, oferece formação em seis cursos distribuídos nas áreas de Gastronomia e Tecnologia da Informação.

As empresas interessadas precisam se cadastrar no site do Senac Empresa, selecionar os cursos desejados e indicar os colaboradores que participarão gratuitamente. Podem ser inscritos trabalhadores que possuem renda familiar mensal per capita igual ou inferior a dois salários-mínimos. 

As formações acontecem na modalidade EAD, com cargas-horárias que variam de 16 a 40 horas. No segmento de Tecnologia da Informação, estão disponíveis os cursos de “Business Intelligence com Power BI”, “Design Thinking” e “Metodologia Ágil”. Já na área de Gastronomia, as vagas são para o curso “Boas práticas para serviços de alimentação” “Sustentabilidade aplicada à cozinha” e “Sistema de perigos e pontos críticos de controle”.

“Os cursos ofertados em Pernambuco são estrategicamente direcionados a áreas cuja demanda não está sendo, no momento, contemplada pela oferta. Acreditamos que vamos beneficiar não só o empresariado, que precisa de material humano capacitado, mas principalmente os trabalhadores que terão um upgrade em suas trajetórias laborais. A ação também fortalece o comércio, que terá um avanço na qualidade dos produtos e serviços”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE, Bernardo Peixoto.

Novo Enem terá questões discursivas e 2ª etapa focada na área de conhecimento escolhida pelo aluno

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou nesta segunda-feira (14) um parecer que define mudanças no modelo do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2024. As alterações sugeridas visam adequar o exame ao Novo Ensino Médio que vai estar totalmente implantado em três anos.

Em dezembro passado, o CNE aprovou em comissão um parecer inicial sobre a nova versão da prova.

O novo documento detalha que a avaliação vai passar a ter questões discursivas e de múltipla escolha, distribuídas da seguinte forma:

1ª etapa: redação + perguntas de formação geral (sem divisão por disciplina, cobrando habilidades mais interpretativas do que conteudistas);

2ª etapa: perguntas focadas na área de conhecimento escolhida pelo estudante (ciências humanas, ciências da natureza, linguagens ou matemática), também sem enfoque conteudista, segundo habilidades e competências desenvolvidas.

“É uma grande mudança, principalmente a segunda etapa, porque cada aluno vai poder escolher uma área que corresponda ou esteja mais próxima ao curso que ele quer ingressar” explicou ao g1 a presidente do CNE, Maria Helena Guimarães de Castro.

Segundo ela, quem vai ficar responsável por indicar quais cursos são abrangidos por cada área será a instituição de ensino superior.

A mudança acontece porque, com a reforma do ensino médio que passou a vigorar em 2022, escolas públicas e particulares terão de reservar parte da carga horária (em média, 40% dela) para aulas de aprofundamento em áreas de conhecimento escolhidas pelos alunos.

Um estudante pode optar, por exemplo, por focar seus estudos em matemática e suas tecnologias.

O objetivo é que o novo Enem esteja adaptado a esse modelo de ensino mais “livre”, guiado pelos projetos de vida de cada jovem.

Ainda não há a definição de quantos itens vão compor cada etapa. Caberá ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) construir as matrizes de referência da prova, que vai permitir a elaboração das questões.

Prouni: cerca de 30% dos pré-selecionados usaram nota do Enem 2020

Cerca de 30% dos estudantes pré-selecionados na primeira chamada do Programa Universidade Para Todos (Prouni) são candidatos que usaram as notas do Enem de 2020. Segundo o Ministério da Educação, dos 188.127 candidatos pré-selecionados na primeira chamada, 55.269 usaram a nota do Enem 2020 e 132.858 a nota do Enem 2021.

Além desses, outros estudantes que fizeram o Enem 2020 poderão ser pré-selecionados, tanto na segunda chamada do Prouni, cujo resultado será divulgado no dia 24 de março, como, também, por meio da lista de espera.

Todos os pré-selecionados devem observar os prazos para apresentar a documentação que comprove as informações declaradas no ato da inscrição. O prazo vai até 14 de março. Após a análise da documentação, que deve ser entregue na instituição para a qual o estudante foi pré-selecionado, o candidato saberá se foi aprovado ou não para obter a bolsa.