Arquivo da categoria: IGREJA CATÓLICA

Vaticano revela propriedades imobiliárias pela primeira vez

O Vaticano levou a público informações sobre suas propriedades imobiliárias pela primeira vez neste sábado (24), revelando que é dono de mais de 5 mil imóveis, na divulgação mais detalhada que já houve de suas finanças.

A informação consta em dois documentos, um balanço financeiro consolidado de 2020 da Santa Sé e o primeiro orçamento público da história para a Administração do Patrimônio da Santa Sé (APSA).

A administração, uma espécie de escritório geral de contabilidade, administra imóveis e investimentos, paga salários e age como um escritório de compras e departamento de recursos humanos.

Entre os dois documentos — cada um com um número sem precedentes de gráficos e mapas– e duas entrevistas explicativas, o Vaticano emitiu mais de 50 páginas de material financeiro.

O orçamento de 30 páginas da Administração mostrou que ela é dona de 4.051 propriedades na Itália e cerca de 1.120 no exterior, sem incluir embaixadas ao redor do mundo.

Apenas cerca de 14% das suas propriedades italianas foram alugadas a taxas de mercado. As outras estão alugadas com descontos, muitas para funcionários da igreja. Aproximadamente 40% eram prédios institucionais, como escolas, conventos e hospitais.

A documentação mostra que a Administração possui propriedade como investimentos em áreas nobres de Londres, Genebra, Lausanne e Paris, por exemplo.

Dom Egidio encerrou festividades de Santa Maria Madalena, Padroeira da Diocese

O bispo da diocese de Afogados da Ingazeira, dom Egidio Bisol, presidiu nesta quinta-feira, 22 de julho, o encerramento das festividades em honra à padroeira diocesana, Santa Maria Madalena.

Diferentemente do ano passado, a Concelebração Eucarística deste ano contou com a presença física dos fieis, com a Santa Missa sendo realizada no patamar da Catedral do Senhor Bom Jesus dos Remédios. Além da boa participação das pessoas, quase todo o clero diocesano esteve presente. As pessoas também puderam acompanhar através das redes sociais da Paróquia, bem como pela Rádio Pajeú.

A homilia de dom Egidio foi feita através de um texto que um frade fez para o papa e para o povo da cúria, há 5 anos, durante um retiro.

Uma das partes do texto do frade, cita a passagem em que Jesus diz a Maria Madalena: vá dizer aos meus irmão que Estou vivo. Mas agora o coração canta de alegria e o grande grito percorre o mundo: eu vi o Senhor. Dom Egídio refletiu sobre esse trecho. “Que o Senhor também nos dê a graça de participarmos também dessa experiência ímpar de Maria Madalena que se torna modelo também para a nossa caminhada, para o nosso compromisso de enxugar lágrimas, para o nosso compromisso de buscar o Senhor e ter a paciência de esperar que Ele se apresente para que tenha a força de correr no mundo todo, para dizer a todos: eu vi o Senhor”, concluiu.

Mons. João Carlos preside mais uma noite da festa de Santa Maria Madalena

O Mons. João Carlos Acioly Paz – Vigário Geral da Diocese de Afogados da Ingazeira, celebrou na noite desta quarta-feira (21), a terceira noite do tríduo em honra à Padroeira Diocesana, Santa Maria Madalena. A Santa Missa foi concelebrada pelos padres Gilvam Bezerra e Alison Maciel.

Nesta quinta-feira (22), às 17h, no patamar central da Catedral do Senhor Bom Jesus dos Remédios, o bispo diocesano dom Egídio Bisol preside a Concelebração Eucarística de encerramento das festividades.

A celebração de encerramento terá transmissão da Rádio Pajeú – FM e Pascom Catedral.

Na história, a diocese de Afogados da Ingazeira é a única no Brasil que tem como padroeira Santa Maria Madalena.

Um dado marcante sobre Santa Maria Madalena é o fato de ela ter sido a primeira testemunha ocular de Jesus ressuscitado. Sim, segundo os Evangelhos, ela foi a primeira a ver e a falar com Jesus na madrugada do domingo, logo após a ressurreição do Mestre, como vemos no Evangelho de São João 20, 1-18.

ORAÇÃO DE SANTA MARIA MADALENA:
Gloriosa Padroeira Nossa Santa Maria Madalena! Pela penitência, subistes à mais alta contemplação. Pela graça singular da primeira aparição do Cristo Ressuscitado, vos tornastes a apóstola dos apóstolos. Alcançai-nos, humildemente vos pedimos, do mesmo Cristo, Senhor nosso, que pela penitência dos nossos pecados, cresçamos na caridade divina e sejamos, também, apóstolos de Jesus, para a salvação do nosso próximo. Amém.

Dom Francisco A. de Mesquita Filho

HISTÓRIA DA DIOCESE:
A Diocese de Afogados da Ingazeira, encravada no Sertão do Pajeú, foi criada pelo Decreto do Papa Pio XII, no dia 02 de julho de 1956, com a Bula Pontifícia “Qui volente Deo”, tendo como padroeira diocesana Santa Maria Madalena, celebrada em 22 de julho. Com a criação da nova Circunscrição Eclesiástica, sufragânea da Província Eclesiástica de Olinda e Recife, desmembrada do território da Diocese de Pesqueira, foi nomeado no dia 04 de janeiro de 1957, o seu 1º Bispo Diocesano, Dom João José da Motta e Albuquerque, cuja ordenação deu-se em 28 de abril de 1957. Aos 19 de maio de 1957, em meio a solene concelebração presidida pelo então Núncio Apostólico, Dom Armando Lombardi, foi instalada a nova Diocese e tomou posse o seu primeiro Bispo Diocesano.

Dom João José da Motta teve a incumbência de estruturar a nova Diocese. Implantou a Ação Social Diocesana, fundou a Rádio Pajeú de Educação Popular, adquiriu o Cine São José. Após 04 anos de zelo apostólico foi transferido, em 28 de janeiro de 1961, para a Diocese de Sobral/CE.

Aos 25 de maio de 1961, Dom Francisco Austregésilo de Mesquita Filho foi nomeado como 2º Bispo de Afogados da Ingazeira. Sagrado aos 24 de agosto de 1961, na Catedral de Sobral/CE, tomou posse em Afogados da Ingazeira aos 17 de setembro de 1961. Considerado o “Profeta do Pajeú”, pela sua incansável luta em favor dos pobres e das pessoas sofridas e fustigadas pela seca, colocou sempre em prática o seu lema episcopal: “Ut vitam habeant” (Para que tenham vida). Utilizou os meios de comunicação para sensibilizar as autoridades da Região e do País, para as consequências causadas pelas constantes secas do Nordeste. Intensificou as atividades da Ação Social Diocesana, através da qual, ajudou a muitos que dele se valiam. Dom Francisco exerceu o seu múnus à frente da Diocese durante 40 anos, quando teve sua renúncia aceita, no dia 13 de junho de 2001, pelo Papa João Paulo II, que o nomeou Administrador Apostólico até a chegada do novo bispo.

Aos 13 de junho de 2001, memória de Santo Antônio, foi nomeado o 3º Bispo de Afogados da Ingazeira, Dom Frei Luís Gonzaga Silva Pepeu, da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos (OFMCap). Dando continuidade aos trabalhos desenvolvidos pelo seu antecessor, Dom Luís fortaleceu e investiu nas instituições já criadas, como: Fundação Cultural Senhor Bom Jesus dos Remédios (Rádio Pajeú); Instituto Diocesano Bíblico – Teológico para leigos e Ação Social Diocesana. Na área de novos empreendimentos constam: a construção da nova residência episcopal, a reforma do Centro Pastoral Diocesano “Stella Maris” em Triunfo e a reforma da Cúria Diocesana. No campo das vocações, sobretudo sacerdotais, iniciou o Seminário Propedêutico São Judas Tadeu em Afogados da Ingazeira e o Seminário Maior São Carlos Borromeu em Olinda, trazendo toda a formação dos futuros presbíteros para a Província Eclesiástica de Pernambuco.

Nomeado arcebispo de Vitória da Conquista/BA pelo Papa Bento XVI em 13 de junho, Dom Luís deixou a Diocese de Afogados da Ingazeira em setembro de 2008.

Durante a vacância assumiu a diocese como Administrador Diocesano o Mons. João Carlos Acioly Paz.

Eleito aos 07 de outubro de 2009 pelo Papa Bento XVI, o 4º bispo diocesano, Dom Egidio Bisol, nasceu em Bassano del Grappa (Vicenza/Itália) e veio para o Brasil, ainda jovem, em 1975 como padre missionário “Fidei Donum”. Atuou em São José do Egito durante15 anos e em Serra Talhada por 17 anos. Enviado por sua Diocese de origem a uma nova experiência missionária na Diocese de Roraima, assumiu os trabalhos da Área Pastoral Santa Rosa de Lima, na periferia de Boa Vista – RR. Foi lá que recebeu a notícia de ter sido nomeado Bispo da Diocese de Afogados da Ingazeira. Dom Egidio foi ordenado bispo, e iniciou o seu serviço episcopal, no dia 09 de janeiro de 2010;

Pe. Gilvam Bezerra preside segunda noite da festa de Santa Maria Madalena

Aconteceu na noite desta terça-feira (20) a segunda noite das festividades em honra à Padroeira da Diocese de Afogados da Ingazeira, Santa Maria Madalena. A Celebração Eucarística foi presidida pelo Pe. Gilvam Bezerra e concelebrada pelo Pe. Alison Maciel.

Logo mais, às 19h, acontece a terceira noite do tríduo com presidência do Mons. João Carlos. Amanhã, quinta-feira (22), dia de Santa Maria Madalena, a Santa Missa será campal, às 17h, com presidida pelo bispo diocesano dom Egídio Bisol.

As celebrações estão sendo transmitidas pela Pascom Catedral e Rádio Pajeú – FM.

Na história, a diocese de Afogados da Ingazeira é a única no Brasil que tem como padroeira Santa Maria Madalena.

Um dado marcante sobre Santa Maria Madalena é o fato de ela ter sido a primeira testemunha ocular de Jesus ressuscitado. Sim, segundo os Evangelhos, ela foi a primeira a ver e a falar com Jesus na madrugada do domingo, logo após a ressurreição do Mestre, como vemos no Evangelho de São João 20, 1-18.

Milagre: após 110 dias de internação, padre da diocese de Salgueiro recebe alta da UTI

Os fiéis da igreja de Ipubi que por 110 dias rezaram sem cessar pela recuperação de seu amado pároco, acometido pela COVID-19, agora festejam a vitória do Padre José Barros, um verdadeiro milagre levando em consideração toda sua luta pela sobrevivência.

Nesta terça-feira (20), o sacerdote recebeu alta do Hospital e Maternidade Santa Maria, em Araripina e logo voltará para sua casa, para o regaço de suas ovelhas.

Padre José Barros saiu do hospital acompanhado pelo seu irmão Padre Francisco Barros, vigário da Paróquia Senhora Sant’Ana em Parnamirim, pelo Bispo Diocesano de Salgueiro Dom Magnus Henrique, pelo Pe. José Nilton da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição e Padre José Rogério, Chanceler do bispado.

No local, houve um momento de agradecimento a equipe profissional que acompanhou a evolução clínica do paciente durante esse longo período de internamento. A Dra. Suela Delmondes, médica intensivista da unidade saúde e responsável pelo cuidado dos sacerdotes da diocese vítimas da COVID, esteve presente durante todo o acompanhamento médico ao presbítero.

O administrador da Paróquia de Ipubi recebeu a visita na casa paroquial de Araripina de sua mãe e familiares que estavam, com razão, emocionados e agradecidos por esse dia especial. O Padre José Barros continuará com o tratamento necessário no pós-covid para depois retornar definitivamente as suas atividades pastorais.

Diariamente, a diocese publicava boletins sobre o estado de saúde do sacerdote nas redes sociais.

Diocese de Afogados celebra festa de Santa Maria Madalena, Padroeira Diocesana

Teve início nessa segunda-feira (19), as festividades em honra à Padroeira da Diocese de Afogados da Ingazeira, Santa Maria Madalena. A Celebração Eucarística de abertura foi presidida pelo Pe. Rogério Marinho – paróquia de São José, Ingazeira – PE e concelebrada por Pe. Gilvam Bezerra.

Logo mais, às 19h, acontece a segunda noite do tríduo com presidência do Pe. Gilvam Bezerra. Amanhã, quarta-feira (21), o Mons. João Carlos preside a celebração. Na quinta (22), dia de Santa Maria Madalena, a missa será campal, às 17h, com presidência do bispo diocesano dom Egídio Bisol.

Todas as liturgias estão sendo transmitidas pela Pascom Catedral e pela Rádio Pajeú – FM.

A diocese de Afogados da Ingazeira é a única no Brasil que tem como padroeira Santa Maria Madalena.

Um dado marcante sobre Santa Maria Madalena é o fato de ela ter sido a primeira testemunha ocular de Jesus ressuscitado. Sim, segundo os Evangelhos, ela foi a primeira a ver e a falar com Jesus na madrugada do domingo, logo após a ressurreição do Mestre, como vemos no Evangelho de São João 20, 1-18.

Hidro Eletro entrega primeira etapa do sistema solar da Diocese de Afogados da Ingazeira

A Diocese de Afogados da Ingazeira passou a ter um sistema próprio de energia fotovoltaico na última semana.

A empresa responsável pela execução do projeto foi a Hidro Eletro, que tem sua sede em Afogados da Ingazeira e atua no ramo de energia elétrica há mais de 25 anos.

O sistema tem potência total de 34,71 KWP, são 78 módulos de 445W, com capacidade média de geração de 4.500 KWH/mês.

A primeira etapa da obra foi entregue e recebeu a visita do Bispo Diocesano, Dom Egídio. Falando ao blog, o Diretor Presidente da empresa, Simplício Sá, comemorou a entrega: “Ficamos muito felizes em estabelecer essa parceria importante com a Diocese de Afogados da Ingazeira, a partir desta data eles terão energia de maior qualidade, que não polui o meio ambiente e ainda pagarão bem menos por isso”, destacou

Até o final deste ano serão entregues mais duas etapas da obra, concluindo assim, o cumprimento total do contrato celebrado entre a Diocese e a Hidro Eletro.

Afogados: Festa de Santa Maria Madalena começa nesta segunda-feira (19)

Tem início nesta segunda-feira (19), as festividades em honra à Padroeira da Diocese de Afogados da Ingazeira, Santa Maria Madalena.

Todas as noites, de segunda a quarta, haverá missa na Catedral sempre às 19h. Na quinta (22), dia de Santa Maria Madalena, a missa será campal, às 17h, com presidência do bispo diocesano dom Egidio Bisol.

A diocese de Afogados da Ingazeira é a única no Brasil que tem como padroeira Santa Maria Madalena.

Um dado marcante sobre Santa Maria Madalena é o fato de ela ter sido a primeira testemunha ocular de Jesus ressuscitado. Sim, segundo os Evangelhos, ela foi a primeira a ver e a falar com Jesus na madrugada do domingo, logo após a ressurreição do Mestre, como vemos no Evangelho de São João 20, 1-18.

A primeira anunciadora da ressurreição de Jesus

Além de ter sido a primeira testemunha de Jesus ressuscitado, ela foi também a primeira a anunciar o milagre da ressurreição de Jesus.

Este primeiro anúncio, chamado “Kerigma”, tão prezado pelos Apóstolos, foi, antes de tudo, feito por uma mulher, em contraponto à mentalidade machista da época.

O fato evidencia que Nosso Senhor Jesus Cristo preza a fidelidade e o amor, antes das convenções sociais.

A Tradição Cristã também atesta que Santa Maria Madalena foi uma grande anunciadora do Evangelho depois de Pentecostes. Seu exemplo é maravilhoso. Ela foi discípula de Jesus e, depois, evangelizadora. Por tudo isso, Santa Maria Madalena é grande e seu exemplo deve ser seguido por todos nós.

Papa Francisco limita celebração de missas em latim

O papa Francisco anunciou, nesta sexta-feira (16), uma estrutura mais rígida para a antiga missa em latim, modificando um decreto de 2007 de seu antecessor Bento XVI que, à época, deixou os católicos tradicionalistas muito satisfeitos.

Em uma carta explicativa, o papa afirma que as concessões dadas aos tradicionalistas no passado, visando ao bem da unidade da Igreja, foram usadas de forma abusiva e desvalorizando as reformas do Concílio Vaticano II.

Francisco acredita que foram usadas para “reforçar diferenças, construir oposições”.

“É cada vez mais evidente, em palavras e atitudes de muitas pessoas, que existe uma estreita conexão entre a escolha das celebrações, segundo os livros litúrgicos anteriores ao Concílio Vaticano II, e a rejeição da Igreja e de suas instituições, em nome do que eles consideram a ‘verdadeira Igreja'”, lamenta o Papa, que disse estar “entristecido”.

A liturgia no idioma local adotada pela Igreja Católica em 1970, após o Concílio Vaticano II, é a forma ordinária de celebração da Missa.

Em 2007, porém, o papa Bento XVI emitiu um motu próprio (decreto), autorizando, em grande medida, a celebração da antiga missa em latim, para a satisfação dos católicos tradicionalistas que fizeram do missal de 1962 promulgado por Pio V seu sinal distintivo.

O papa Bento XVI justificou sua decisão com uma preocupação pela “reconciliação” dentro da Igreja católica, 19 anos depois do cisma dos seguidores do monsenhor Marcel Lefebvre, o bispo francês (falecido em 1991) que rejeitou o Concílio Vaticano II.

Em um novo motu próprio dedicado à liturgia romana antes de 1970, o papa especifica que os bispos das dioceses terão, a partir de agora, a competência exclusiva para autorizar as missas dos tradicionalistas, determinando a igreja e os dias de celebração.

O bispo também deve garantir que esses grupos “não excluam a validade e a legitimidade da reforma litúrgica, dos escritos do Concílio Vaticano II e do magistério pontifício”.

Afogados mantém feriado de Santa Maria Madalena

Conforme Lei Ordinária nº 797, de 26 de julho de 2019, a Prefeitura de Afogados da Ingazeira informa que mantém o feriado municipal de Santa Maria Madalena, padroeira diocesana, dia 22 de julho.

A nota foi divulgada pela assessoria de imprensa, no início da tarde desta quinta-feira (15).

Papa Francisco deixa o hospital 10 dias após cirurgia

O Papa Francisco, de 84 anos, recebeu alta nesta quarta-feira (14) e deixou a Policlínica Universitária Agostino Gemelli 10 dias após passar por uma colectomia (cirurgia para retirar parte do cólon).

Foi a primeira hospitalização do pontífice desde que assumiu a liderança da Igreja Católica, em 2013.

Imagens mostram o carro que transportava o papa parar antes de entrar no Vaticano. Francisco então desce, cumprimenta policiais e depois volta para o veículo.

O Vaticano havia informado na segunda-feira (12) que Francisco permaneceria no hospital por mais alguns dias (sem especificar quantos), para ajustes na medicação e na reabilitação.

No domingo (11), ele apareceu para público pela primeira vez desde a cirurgia e fez sua oração semanal da varanda do 10º andar do hospital. Ele parecia estar em boa forma.

Papa se recupera da operação e voltará ao Vaticano em breve

Operado do cólon em 4 de julho em hospital de Roma, o papa Francisco segue sua recuperação e voltará ao Vaticano “o mais rápido possível” – anunciou seu porta-voz, Matteo Bruni, nesta terça-feira (13).

“O Santo Padre continua com o tratamento previsto e com a reabilitação, o que lhe permitirá voltar ao Vaticano o mais rápido possível”, afirmou Bruni.

Francisco, de 84 anos, está internado no 10º andar do Hospital Gemelli. No domingo (11), fez a tradicional oração do Ângelus da varanda de seu quarto.

Sob anestesia geral, a operação consistiu em uma “colectomia esquerda” para remover um pedaço do cólon. A cirurgia foi decidida, porque o papa sofria de uma estenose diverticular sintomática do cólon.

“Entre os muitos doentes que encontrou nestes dias, dirige um pensamento especial àqueles que, estando deitados, não podem voltar para casa”, informou seu porta-voz, em um comunicado.

“Que possam viver este tempo como uma oportunidade, embora vivida com dor, para se abrirem com ternura ao irmão, ou irmã, enfermos, do leito ao lado, com os quais compartilha a mesma fragilidade humana”, acrescentou.

O pontífice costuma visitar pacientes hospitalizados em seu andar e celebra a missa na capela com o pessoal médico e de enfermagem que o atendem no Gemelli.

Papa Francisco ficará no hospital por mais alguns dias, diz Vaticano

O papa Francisco completou o tratamento pós-cirúrgico mas permanecerá no hospital por mais alguns dias para fazer os ajustes finais de medicação e reabilitação, informou o Vaticano nesta segunda-feira (12).

Quando o papa deu entrada no hospital em 4 de julho para ter parte de seu cólon removido, o Vaticano disse que ele ficaria internado por cerca de sete dias, caso não ocorressem complicações. “Sua Santidade, o papa Francisco passou um dia (domingo) tranquilo e completou seu tratamento pós-operatório”, disse o porta-voz Matteo Bruni em seu comunicado diário sobre o estado de saúde do papa.

Para ajustar sua terapia de medicação e de reabilitação, o Santo Padre permanecerá hospitalizado por mais alguns dias”, disse ele no comunicado em italiano.

Bruni disse que antes de o papa fazer um pronunciamento público no domingo da varanda do hospital Gemelli, ele visitou crianças em uma ala voltada ao tratamento de câncer. Algumas delas ficaram ao lado dele na varanda.

Após o pronunciamento, disse Bruni, o papa visitou outros pacientes e membros da equipe médica.

O papa ficou na varanda por cerca de 10 minutos enquanto fazia o pronunciamento no domingo e pareceu estar em boa condição geral, embora sua voz estivesse rouca. O Vaticano posteriormente divulgou fotos de Francisco sendo levado em uma cadeira de rodas para visitar médicos e outros pacientes.

Diocese de Afogados acolhe imagem peregrina de Sant’Ana

A peregrinação da Imagem de Santa Ana que está acontecendo em todas as dioceses do Nordeste, chegou na diocese de Afogados da Ingazeira. A peregrinação acontece em preparação da realização do XVIII Congresso do ECC (Encontros de Casais com Cristo), que ocorrerá na Arquidiocese de Feira de Santa, nos dias 31 de julho e 01 de agosto, deste ano. Após peregrinar por algumas paróquias da diocese, a Imagem será entregue à Diocese de Salgueiro.

A Imagem de Santa Ana chegou à diocese de Afogados da Ingazeira, neste sábado, 10 de julho, entregue pela diocese de Floresta. O ato aconteceu com uma missa presidida pelo bispo da diocese de Afogados da Ingazeira, dom Egidio Bisol, no patamar da Catedral do Senhor Bom Jesus dos Remédios.

Na homilia, dom Egidio falou sobre o XVIII Congresso do ECC e qual a missão que o mesmo quer levar adiante. “Evangelização da família, a Boa Nova da família. Que viver em família não é um peso, não é um sacrifício, é uma alegria que tem seus pesos e sacrifícios também. Eu acho que o testemunho de vocês devem aparecer essa Boa Nova, que a vida em família é boa nova. Mas tem a outra parte também que é a Santificação, serem Santos. O que é ser Santo? Serem imitadores de Jesus’,’ disse dom Egidio.

Papa celebra missa do hospital após cirurgia e agradece a fiéis: ‘Senti apoio de vossas orações’

O papa Francisco, que se recupera há uma semana de uma cirurgia de cólon, se dirigiu aos fiéis neste domingo (11) de uma varanda no décimo andar do hospital, dizendo estar “feliz por poder manter” esse compromisso dominical.

“Queridos irmãos e irmãs, bom dia! Estou feliz por poder manter o encontro dominical do Ângelus, também aqui da policlínica Gemelli”, declarou, aclamado por cerca de 200 pessoas reunidas em frente ao estabelecimento hospitalar, muitas delas em jalecos brancos.

“Obrigado a todos: senti sua proximidade e o apoio das suas preces. Obrigado do fundo do meu coração!”, acrescentou, com a voz um pouco rouca.

“Nestes dias de convalescença no hospital, pude perceber a importância de um bom atendimento, acessível a todos, como o que existe na Itália e em outros países”, frisou. “Devemos mantê-lo!”, pediu.

“Quero expressar meu apreço e meu encorajamento aos médicos e a todos os profissionais de saúde e funcionários deste hospital e de outros hospitais. Eles trabalham tanto!”, continuou o papa, cumprimentando também três crianças doentes.

Pedindo que os fiéis rezassem por todos os enfermos, desejou “que ninguém seja deixado sozinho; que todos recebam a unção da escuta, da proximidade e do cuidado”, exortando também a todos a cuidar de uma pessoa que sofre, por “uma visita, um telefonema, uma mão estendida”.

Discrição e pouca transparência geram apreensão sobre saúde de Francisco

Sempre envolta em mistério, a saúde dos pontífices costuma abalar os alicerces do Vaticano toda vez que ameaça o reinado de seu inquilino vitalício, em geral idoso e mais vulnerável. É o que acontece com o Papa Francisco, de 84 anos, hospitalizado desde domingo na Policlínica Gemelli, a que João Paulo II, em uma de suas internações, referiu-se como “Vaticano número 3” (ou seja, a terceira casa do pontífice).

Francisco foi submetido a uma cirurgia para a retirada de parte do cólon, que se revelou depois ser mais grave e extensa do que o previsto. Os fiéis foram surpreendidos, no próprio domingo, com o anúncio repentino de uma operação para tratar a estenose diverticular sintomática do cólon, que já estaria programada.

A apreensão em torno da saúde papal e o ceticismo gerado pelas informações da Santa Sé são justificados e têm antecedentes traumáticos entre o rebanho católico. Basta lembrar a lenta agonia de João Paulo II, que sofria de Mal de Parkinson e ingressou dez vezes na ala do Gemelli reservada aos papas.

Exímio esportista, ao longo de seus 26 anos no comando da Igreja Católica, o Pontífice foi tornando-se encurvado e com a saúde visivelmente deteriorada. Nos últimos tempos, demonstrava também problemas respiratórios e dificuldades para falar, contrariando o que dizia o Vaticano. Ainda assim, manteve-se à frente da Santa Sé até a morte, em abril de 2005.

Neste contexto, de discrição e pouca transparência, é natural que se especule sobre o real estado de Francisco em sua primeira internação no Gemelli. Sem parte de um dos pulmões desde os 21 anos, o Papa tem demonstrado vigor e boa saúde. Ele não esconde sofrer de dor crônica no ciático, que tenta aliviar com fisioterapia, massagens e anti-inflamatórios.

Mas, no regresso de Bagdá a Roma, em março passado, após uma parada de um ano nas viagens, forçada pela pandemia, ele admitiu ter se cansado “muito mais do que nas outras vezes”.

A cirurgia extensa, planejada para coincidir com o período de férias, levanta dúvidas sobre os efeitos que terá na agenda do Papa. A celebração do Ângelus dominical, da sacada do hospital, uma semana após a colectomia, procura dar aos fiéis um indício de aparente normalidade

CNBB cobra apuração das denúncias sobre irregularidades na pandemia

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nesta sexta-feira (9) uma nota cobrando apuração “irrestrita e imparcial” das denúncias sobre irregularidades cometidas pelo poder público na pandemia. A nota é considerada dura para os padrões da CNBB.

Em um trecho, a entidade chega a mencionar que a “trágica perda de mais de meio milhão de vidas” foi “agravada pelas denúncias de prevaricação e corrupção”, numa referência indireta ao presidente Jair Bolsonaro.

Inquérito aberto pela Procuradoria-Geral da República (PGR) investiga Bolsonaro por prevaricação. Veja a íntegra da nota:

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB levanta sua voz neste momento, mais uma vez, para defender vidas ameaçadas, direitos desrespeitados e para apoiar a restauração da justiça, fazendo valer a verdade. A sociedade democrática brasileira está atravessando um dos períodos mais desafiadores da sua história. A gravidade deste momento exige de todos coragem, sensatez e pronta correção de rumos.

A trágica perda de mais de meio milhão de vidas está agravada pelas denúncias de prevaricação e corrupção no enfrentamento da pandemia da COVID-19. “Ao abdicarem da ética e da busca do bem comum, muitos agentes públicos e privados tornaram-se protagonistas de um cenário desolador, no qual a corrupção ganha destaque.” 1 Apoiamos e conclamamos às instituições da República para que, sob o olhar da sociedade civil, sem se esquivar, efetivem procedimentos em favor da apuração, irrestrita e imparcial, de todas as denúncias, com consequências para quem quer que seja, em vista de imediata correção política e social dos descompassos.

A nota é assinada pelo Presidente Dom Walmor Oliveira de Azevedo, Arcebispo de Belo Horizonte, MG, Dom Jaime Spengler, Arcebispo de Porto Alegre, RS (1º Vice-Presidente), Dom Mário Antônio da Silva, Bispo de Roraima, RR (2º Vice-Presidente) e Dom Joel Portella Amado, Bispo auxiliar do Rio de Janeiro, RJ, Secretário-Geral.

Papa Francisco tem febre após cirurgia, mas Vaticano descarta complicações

O Papa Francisco, que está se recuperando de uma cirurgia intestinal em um hospital de Roma, teve febre na quarta-feira (07) à noite, mas exames microbiológicos e a varredura do seu peito e abdômen não revelaram complicações, informou o Vaticano nesta quinta-feira (08).

Francisco, de 84 anos, continua com o tratamento no hospital Gemelli.

Sua Santidade, o Papa Francisco, passou um dia calmo, comendo e movendo-se sem assistência”, disse o porta-voz Matteo Bruni, em uma declaração que dizia que a febre na quarta-feira à noite era temporária.

O Papa foi submetido a uma operação de três horas no domingo (04) conhecida como hemicolectomia esquerda, um procedimento em que um dos lados do cólon é removido. A cirurgia foi feita para remover uma parte do cólon que se tinha estreitado severamente, disse o Vaticano.

Espera-se que ele passe um total de sete dias no hospital, salvo possíveis complicações.

Vaticano divulga informações sobre Papa Francisco

A recuperação do papa Francisco, após passar por uma cirurgia intestinal, está ocorrendo normalmente. Ele dormiu bem e caminhou, informou o Vaticano nesta terça-feira (6).

Os resultados dos exames de rotina foram bons, disse o porta-voz do Vaticano Matteo Bruni.

Ele afirmou, em comunicado, que o papa também tomou café da manhã e leu vários jornais.

O pontífice, de 84 anos, passou por uma operação que durou três horas, na noite de domingo (4), para remover parte do cólon. Ele deve permanecer internado no hospital Gemelli, em Roma, por sete dias, caso não ocorram complicações.

Cirurgia de Papa Francisco é bem-sucedida, diz boletim

A cirurgia do Papa Francisco, de 84 anos, foi bem-sucedida, segundo o boletim médico divulgado na noite deste domingo (4). O pontífice foi internado em um hospital de Roma, na manhã de hoje para uma cirurgia no intestino grosso.

O boletim divulgado pelo Vaticano afirma que que o “Santo Padre reagiu bem à operação realizada sobre anestesia geral”.

A operação, que já estava agendada, foi realizada para reparar um estreitamento no cólon (estenose), que dificulta a passagem das fezes.