Arquivo da categoria: Notícias

Vereador de Porto Alegre Mauro Zacher morre após sofrer mal súbito durante prova de natação em Fortaleza

O vereador de Porto Alegre Mauro Zacher (PDT) morreu aos 46 anos, na manhã deste domingo (26), em Fortaleza. Conforme a assessoria do político, ele participava de uma prova de natação quando teve um mal súbito.

Zacher chegou a ser socorrido e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Praia do Futuro. Contudo, as tentativas de reanimação não surtiram efeito.

O vereador estava em seu quinto mandato. Mauro Zacher deixa a esposa, dois filhos, mãe e dois irmãos. Ainda não há informações sobre velório e sepultamento.

Homenagens
Nas redes sociais, políticos lamentaram a morte de Zacher. O prefeito Sebastião Melo (MDB) afirmou que irá decretar luto oficial na cidade em homenagem ao vereador. “A vida é mesmo um sopro. Com choque e profunda tristeza recebo a notícia do falecimento precoce do vereador Mauro Zacher, em viagem a Fortaleza. Estamos dedicados a dar todo suporte à família”, disse Melo.

O governador Ranolfo Vieira Júnior (PSDB) lamentou a morte, dizendo “receber com muita tristeza” a informação. “Minha solidariedade aos familiares, amigos e colegas. Que Deus conforte a todos nesse momento difícil”, escreveu.

O deputado federal Pompeo de Mattos (PDT-RS) ressaltou a trajetória do vereador no partido. “É uma perda lastimável, sobretudo por se tratar de alguém tão jovem, promissor e cheio de vida. Seu nome ficará na nossa memória e na história do PDT”, observou.

O pré-candidato do partido à Presidência, Ciro Gomes, relembrou do título de “Cidadão Porto-alegrense” que recebeu há duas semanas após proposta do vereador. “Estive com ele no início deste mês, quando me concedeu a honra do título de cidadão de Porto Alegre. Lamento muito esta perda”, disse Ciro Gomes.

Já o pré-candidato do PDT ao governo do estado, Vieira da Cunha, destacou o perfil do companheiro de partido. “Líder estudantil, brizolista, atuante vereador de POA, parte cedo demais. O PDT perde um dos seus mais qualificados quadros. Jovem, estudioso, preparado, tinha um grande futuro pela frente. Perco um grande amigo”, mencionou.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou estar “profundamente chocado com a perda do companheiro Mauro Zacher”. Colegas vereadores e políticos de diversas legendas manifestaram pesar pela morte de Zacher.

Ministro da Justiça diz que não tratou de operações da PF com Bolsonaro durante viagem aos EUA

O ministro da Justiça, Anderson Torres, publicou neste domingo (26) em uma rede social uma mensagem na qual disse que não tratou de operações da Polícia Federal com o presidente Jair Bolsonaro durante a viagem que eles fizeram aos Estados Unidos no início deste mês.

Anderson Torres integrou a comitiva de Bolsonaro que viajou para Los Angeles, onde o presidente participou nos dias 9 de 10 deste mês da Cúpula das Américas.

Segundo interceptação telefônica feita pela Polícia Federal, em 9 de junho, o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro disse a uma filha que Bolsonaro havia lhe relatado “pressentimento” de que ele, Ribeiro, poderia ser usado para atingir o presidente. Milton Ribeiro foi preso pela PF no último dia 22 e solto um dia depois.

“Diante de tanta especulação sobre minha viagem com o Presidente Bolsonaro para os EUA, asseguro categoricamente que, em momento algum, tratamos de operações da PF. Absolutamente nada disso foi pauta de qualquer conversa nossa, na referida viagem”, publicou Anderson Torres neste domingo.

A Polícia Federal é vinculada ao Ministério da Justiça.

Com base nessa e em outras gravações, o Ministério Público pediu autorização da Justiça para apurar se houve interferência de Bolsonaro nas investigações sobre Milton Ribeiro. O caso foi enviado para análise do Supremo Tribunal Federal (STF), e a relatora é a ministra Cármen Lúcia.

O advogado da família Bolsonaro, Frederick Wassef, disse ter sido autorizado pelo presidente a dizer à imprensa que ele “não interferiu na PF” e que não tem “nada a ver com essas gravações”.

Casal pede à Justiça para terminar união estável, mas acaba se casando: ‘ninguém esperava’

O que era para ser o fim de um relacionamento de mais de 10 anos se tornou um recomeço na vida do casal Max Tony Mateus dos Santos e Marcielle Lima Santos. Na segunda-feira (20), eles iriam assinar a dissolução da união estável, mas uma conversa com servidores do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) fez os companheiros desistirem do término e mais do que isso: eles se casaram no dia seguinte.

O fato inusitado ocorreu esta semana no fórum da cidade de Pedra Branca do Amapari, no Centro-Oeste do Amapá. O casal chegou a ir até a Comarca para a assinatura da dissolução da união estável, mas após diálogo com servidores aconteceu a decisão pelo casamento civil.

O Tjap explicou que o casal foi recebido na segunda-feira (20) pela mediadora Nilce Ferreira e o conciliador Elivaldo Silva, que perceberam que ainda havia bons sentimentos entre o casal e, por isso, usaram técnicas de constelação familiar e círculo restaurativo para que Max e Marcielle se reconciliassem.

“A gente viu que ainda existia algo em comum entre nós dois. Aí ela [mediadora] perguntou: ‘vocês querem casar hoje?’. Nós respondemos que não, que não dava. Aí ela falou: ‘vão para casa, relaxem e quando for amanhã vocês vêm bem arrumadinhos’. Aí no outro dia a gente voltou ao Fórum e eles tinham organizado casamento, comprado bolo e fizeram a cerimônia”, disse a esposa.

O casamento foi uma surpresa para ambos, mas eles conversaram e decidiram dar esse novo passo na relação.

“Foi tudo bem surpresa, ninguém esperava, mas foi algo muito emocionante. A conciliadora teve a sensibilidade em ver que ainda existia um sentimento entre nós dois. Algo que a gente não estava conseguindo ver, ela conseguiu em um único dia e poucas horas de conversa”, completou.

A mediadora Nilce Ferreira explicou que o casal estava separado há um ano, mas tentava a reconciliação. Com isso, a profissional conseguiu que os companheiros optassem pela conversão da união estável em casamento.

“Percebi que ainda existia amor entre os dois, que estavam muito emocionados. Expliquei todo o procedimento de conversão para o casamento e o fato foi comunicado à juíza da Comarca, que se colocou à nossa disposição”, relatou.

Eletricista de máquinas pesadas, Max falou que resolveu dar uma segunda chance para a relação com Marcielle porque percebeu que ainda é apaixonado por ela.

“Ainda existia amor entre eu e a minha esposa. Eu queria voltar e ela também, aí demos uma chance um para o outro. A gente sempre quis casar, mas nunca tinha tido a oportunidade”, comentou.

Há 11 anos em união estável, desde março o casal havia voltado a viver na mesma casa. No entanto, devido a problemas pessoais, Marcielle disse que não havia um bom diálogo com o companheiro.

“Nesse dia que a gente foi ao Fórum que a gente conseguiu conversar mesmo. A gente nunca tinha tido nenhum tipo de conversa, porque aconteceram muitas coisas, eu fiquei doente, minha filha engravidou, meu filho foi morar em outro estado e tudo isso fez eu ir me fechando”, disse Marcielle.

Datafolha: 63% declaram não ganhar o necessário e ter problemas financeiros

A maioria dos brasileiros sente que o orçamento familiar perdeu poder de compra e que a economia não vai conseguir engatar uma reação mais forte nos próximos meses, ainda que melhore um pouco.

Segundo Datafolha, 63% afirmam sentir restrições financeiras em casa. Desse contingente, 37%, declaram que o dinheiro da família hoje não é suficiente, e que às vezes até falta. Outros 26% afirmam que ganham muito pouco, o que traz dificuldades.

O Datafolha ouviu 2.556 brasileiros em 181 cidades na quarta-feira (22) e quinta (23). A margem de erro da pesquisa é de dois pontos para mais ou menos.

Essa pesquisa mais recente mostra uma reversão na tendência detectada anteriormente.

O contingente de brasileiros que declaravam ter limitações orçamentárias na família vinha caindo desde o pico, em julho de 2016, quando 67% afirmaram ter problemas financeiros em casa. Há um ano, essa parcela havia diminuído para 55%.

O número de brasileiros que declarava ganhar muito pouco ainda avançava, e chegou a 25% em junho de 2021. No entanto, o contingente que dizia não ganhar o suficiente, e ver o dinheiro faltar, vinha em queda, chegando a 30%.

Naquele momento, 39%, afirmavam ganhar exatamente o que precisavam para viver. Agora, essa parcela caiu para 32%.

A pesquisa mostra que a situação atualmente é muito delicada principalmente para quem tem renda familiar de até dois salários mínimos, com 81% declarando sofrer limitações financeiras.

Nessa parcela, 42% afirmam que a renda familiar não é suficiente, e às vezes falta dinheiro, enquanto 39% dizem que ganham muito pouco e têm dificuldades.

Klara Castanho revela que foi estuprada, engravidou e entregou bebê para adoção

A atriz Klara Castanho, de 21 anos, publicou um relato em suas redes sociais e revelou que foi estuprada, engravidou e decidiu entregar o bebê diretamente para adoção.

A publicação foi feita na noite deste sábado (25), após o assunto se tornar um dos mais comentados nas redes sociais. “Não posso silenciar ao ver pessoas conspirando e criando versões sobre uma violência repulsiva e um trauma que sofri”, afirma ela. “Esse é o relato mais difícil da minha vida. Pensei que levaria essa dor e esse peso somente comigo.”

Klara escreveu uma carta aberta em que conta sobre a violência sofrida e suas consequências. Ela diz ter sido abordada por uma enfermeira momentos após o parto, que ameaçou divulgar sua história. Logo em seguida, a atriz recebeu mensagens de um colunista. “Minha história se tornar pública não foi um desejo meu.”

“Fui estuprada. Relembrar esse episódio traz uma sensação de morte, porque algo morreu em mim. Não estava na minha cidade, não estava perto da minha família nem dos meus amigos”, diz a atriz.

A artista conta que não fez boletim de ocorrência na ocasião por se sentir envergonhada e culpada. “Tive a ilusão de que se eu fingisse que isso não aconteceu, talvez eu esquecesse, superasse. Mas não foi o que aconteceu. As únicas coisas que eu tive forças para fazer foram: tomar pílula do dia seguinte e fazer alguns exames”, conta. “Somente a minha família sabia o que tinha acontecido.”

Meses depois, segundo seu relato, ela começou a se sentir mal e, em meio a exames, descobriu a gravidez já em estágio avançado. “Foi um choque, meu mundo caiu. Meu ciclo menstrual estava normal, meu corpo também. Eu não tinha ganhado peso nem barriga“, diz.

Klara afirma que, durante uma consulta, foi obrigada pelo médico a ouvir o coração da criança, o que considerou uma nova violação.

“Naquele momento do exame, me senti novamente violada, novamente culpada. Em uma consulta médica contei ter sido estuprada, expliquei tudo o que aconteceu”, diz.

“O médico não teve nenhuma empatia por mim. Eu não era uma mulher que estava grávida por vontade e desejo, eu tinha sofrido uma violência. E mesmo assim, o profissional me obrigou a ouvir o coração da criança, disse que 50% do DNA eram meus e que eu seria obrigada a amá-lo.”

Entrega para adoção
Pela lei brasileira, Klara teria direito a fazer um aborto legal. A atriz afirma, no entanto, que tomou a decisão de fazer uma entrega direta para adoção. A entrega voluntária para adoção está prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e permite que a mãe entregue o filho para adoção em um procedimento assistido pela Justiça.

Segundo Klara, a criança nasceu poucos dias depois de a gravidez ser descoberta. A atriz afirma que entrou em contato com uma advogada e fez todos os trâmites legais.

“Tudo que eu fiz foi pensando em resguardar a vida e o futuro da criança. Cada passo está documentado e de acordo com a lei”, afirma.

“A criança merece ser criada por uma família amorosa, devidamente habilitada à adoção, que não tenha lembranças de um fato tão traumático.”

‘Nossa família está dilacerada’, diz filho de casal morto em apartamento no Jardim Botânico

O professor de inglês e influenciador digital Felipe Coelho, filho do casal de idosos que foi morto a facadas em um apartamento no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro, afirmou neste domingo (26) que a família está “dilacerada” com a morte de Geraldo Coelho, 73 anos, e Osélia Coelho, 72 anos. Ele os define como o alicerce da família.

“A nossa família inteira está dilacerada. Somos 3 filhos homens. Eles eram avós de 3 netinhos uma de 6, um de 11 e outra de 15”, contou Felipe ao g1.

Os dois foram mortos a golpes de faca momentos antes de Felipe chegar em casa.

“Ambos tinham uma família grande com muitos irmãos e irmãs. Tenho muitas tias e tios e estão TODOS sem chão. Minha mãe era a alegria de todo ambiente que ela estava, brincalhona alto astral sempre. Meu pai era a tranquilidade em si. Era um casal muito muito amado por todos”, disse o professor.

O principal suspeito pelo assassinato, segundo a Polícia Civil, é o ex-namorado de Felipe, o oficial da Marinha, capitão de fragata, Cristiano Lacerda, de 49 anos.

De acordo com as investigações, os dois ainda moravam juntos no mesmo apartamento, apesar de já estarem em processo de separação. O motivo para o fim do relacionamento seria uma briga em que Cristiano teria agredido Felipe há 2 meses.

Na noite da última sexta (24), Cristiano teve uma crise de ciúmes porque Felipe saiu sozinho para uma festa em Ipanema, também na Zona Sul. Para se vingar, ele teria matado os pais do ex-namorado, que estavam na casa dos dois.

Cristiano chegou a ligar para Felipe pedindo para que ele voltasse para casa, alegando que a mãe dele estaria passando mal. Quando Felipe chegou em casa, os pais estavam mortos, deitados no sofá-cama do apartamento.

Morre terceira vítima do grave acidente entre Afogados e Iguaracy

De acordo com o Blog Mais Pajeú, foi confirmada a morte da terceira vítima do grave acidente na PE-292, entre Afogados e Iguaracy.

Segundo apurado, dois veículos colidiram, um Ford KA e uma Strada.

Morreram no local: Maria Eliete Santos, pastora e professora da EREM Professora Ione de Goes Barros, em Afogados da Ingazeira. Elenita Resende, vendedora de lanches, residente em Iguaracy.

A terceira vítima confirmada foi Antônio Gomes da Silva, que faleceu no Hospital Regional de Afogados da Ingazeira.

Ainda conforme o blog, além deles, uma criança de 1 ano e 6 meses teve que transferida para o Hospital da Restauração, uma senhora teve apenas escoriações e seu esposo passa por cirurgia.

Antônio Gomes da Silva, pastor evangélico, natural de Maceió, residia em Afogados da Ingazeira, e era casado com Maria Eliete Santos, uma das vítimas do acidente.

Piso de palco desaba com banda durante show em Ipirá, na Bahia

Um palco desabou durante o show de uma banda no Forró da Lua, em Ipirá, na noite da sexta-feira (24).

Na hora do acidente, o cantor Ronny Peruano estava dançando com um bailarino no centro do palco. Ainda estavam na estrutura outros músicos da banda. As informações são do Correio.

A festa em que aconteceu o incidente é particular. A organização informou que estão todos bem e não houve feridos.

Apesar disso, o cantor Ronny Peruano disse no Instagram que teve um machucado na perna, mas sem gravidade. Ele gravou uma série de stories comentando o fato.

“Agradecer a todo mundo que tá mandando mensagem, todo mundo tá preocupado com o ocorrido de ontem na cidade de Ipirá. Na hora que meu amigo subiu no palco (…) Ele sobe pra gente fazer aquela brincadeira boa, e o palco acabou desmoronando com a gente. Foi uma situação bem constrangedora, de verdade. Acabei machucando minha perna um pouco, mas graças a Deus ninguém teve nada de grave”, diz o cantor.

Ele seguiu, lamentando as pessoas que fazem piada com o episódio. “Agradeço demais o apoio de vocês. Infelizmente tem gente que faz meme, faz graça dessas coisas. Mais uma vez obrigada a preocupação de todos. Quero deixar bem claro que tá tudo bem, graças a Deus”, finalizou.

Pernambuco tem 44% da população na pobreza, maior índice em 10 anos, aponta levantamento

Pernambuco terminou o ano de 2021 com quase 44% da população na pobreza, cerca de 4,2 milhões de pernambucanos, de acordo com levantamento realizado pelo IMDS (Instituto Mobilidade e Desenvolvimento Social), divulgado pelo jornal Folha de S. Paulo, neste sábado (25).

De acordo com o IMDS, essa foi a primeira vez que o indicador ficou acima de 40% na série. O maior percentual até então foi de 38,2%, em 2012.

Os índices são expressivos no Nordeste como um todo, onde 5,5 milhões caíram na pobreza somente no ano passado, o que fez o número de pobres nordestinos saltar para 22,8 milhões – cerca de 40% da população da região.

Wesley Safadão lesiona coluna e cancela agenda do fim de semana

Em processo de recuperação por causa de uma lesão na coluna, o cantor Wesley Safadão não poderá cumprir a agenda de shows na Bahia este fim de semana. A informação foi confirmada através das redes sociais do artista na tarde deste sábado (25).

Wesley iria se apresentar em Santo Antônio de Jesus, Cruz das Almas e Conceição do Jacuípe neste sábado. Já no domingo (25), ele faria show na cidade de Ibicuí, na Bahia, além dos municípios de Santa Luzia e Monteiro, ambos na Paraíba.

No comunicado publicado nas redes sociais, a WS Shows, empresa que gerencia a carreira do artista, detalhou que Wesley Safadão encontra-se em recuperação de uma lesão na coluna e por recomendações médicas ficará em repouso.

Ainda no comunicado, a equipe de Safadão afirmou que o artista retomará a agenda de shows normalmente após receber alta médica.

Na cidade de Cruz das Almas, o cantor Bell Marques vai substituir Wesley Safadão, segundo nota da prefeitura. “A Prefeitura se solidariza com o momento delicado que está passando o artista Wesley Safadão e torce pela sua rápida recuperação, e também informa que já está em negociação para garantir Safadão no São João de Cruz de 2023”, disse a gestão municipal.

Datafolha: 49% dizem governo fez menos do que poderia para investigar mortes de Bruno e Dom; 27% dizem que fez tudo o que poderia

Pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” neste sábado (25) aponta que, para 49% dos brasileiros, o governo brasileiro fez menos do que poderia para investigar os assassinatos do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips. Para 27%, o governo fez tudo o que poderia.

O Datafolha ouviu 2.556 pessoas com mais de 16 anos em 181 cidades do país. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Para 6%, o governo fez o que poderia (nem a mais nem a menos). Já 18% disseram não saber opinar sobre a questão.

Bruno e Dom desapareceram na região do Vale do Javari, no Amazonas, no dia 5 de junho. Seus corpos foram encontrados 10 dias depois. Ele, que foram mortos a tiros e tiveram os corpos queimados e enterrados, iriam visitar uma equipe de Vigilância Indígena, próximo ao Lago do Jaburu.

A motivação do crime ainda é incerta, mas a polícia apura se há relação com a atividade de pesca ilegal na região. Segunda maior terra indígena do país, o Vale do Javari é palco de conflitos típicos da Amazônia: tráfico de drogas, roubo de madeira e avanço do garimpo.

Três pessoas foram presas pelo assassinato de Bruno e Dom: os irmãos Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, e Oseney da Costa de Oliveira; e Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha”.

O governo brasileiro foi criticado pela resposta dada ao desaparecimento de Dom e Bruno, inclusive por órgãos internacionais, que chegaram a pedir um maior envolvimento do governo e rapidez nas buscas.

A porta-voz da agência da ONU, Ravina Shamdasani, criticou a demora do governo brasileiro para iniciar as buscas e, em resposta aos comentários do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, de que Bruno e Dom faziam uma “aventura”, afirmou que eraa obrigação do Estado proteger jornalistas e profissionais que trabalham na defesa dos Direitos Humanos.

Durantes as investigações e buscas pelos dois, Bolsonaro também afirmou que Dom Phillips era “malvisto” na região amazônica devido à cobertura que ele fazia de questões ambientais e a denúncias de irregularidades envolvendo garimpo ilegal e, por isso, deveria ter “redobrado a atenção” ao entrar naquela área.

Entidade diz que dois indígenas foram mortos em conflito entre policiais em Amambai

Ao menos dois indígenas foram mortos durante conflito entre os povos originários da etnia Guarani Kaiowá e policiais em Amambai (MS), segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB). A informação dos óbitos foi publicada nas redes sociais da entidade. Hospital que vem atendendo os feridos dos confrontos confirma uma morte.

Ainda na postagem, a APIB acredita que o número de indígenas mortos pode ser maior, já que a comunidade local fala em ao menos quatro óbitos e 10 feridos.

“Nos solidarizamos ao mesmo tempo com o ataque realizado no mesmo dia do massacre contra a comunidade de Kuripi\Santiago Kue”, finalizou a APIB na postagem.

Quando a APIB fala em “massacre contra a comunidade de Kuripi\Santiago Kue”, é em relação a uma ação da polícia que impediu uma “invasão” de indígenas em uma fazenda em Naviraí (MS). Para os indígenas, a ação fazia parte de uma retomada de terra também.

As mortes informadas pela APIB não foram confirmadas pelo hospital, polícia ou prefeitura de Amambai. O g1 buscou a confirmação junto ao hospital, mas não obteve retorno.

Três pessoas morrem em acidente com avião em Salto de Pirapora

Três pessoas morreram na queda de um avião na área rural de Salto de Pirapora (SP) no fim da manhã deste sábado (25).

Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave perdeu força e bateu na fiação de uma rede de energia elétrica, caindo em uma plantação de eucaliptos. A causa do acidente é desconhecida e as vítimas não foram identificadas até a última atualização desta reportagem.

“A aeronave incendiou-se e foi totalmente consumida pelas chamas. As equipes do Corpo de Bombeiros extinguiram o incêndio na aeronave e na vegetação. Foram encontrados três corpos carbonizados”, informou a corporação.

A queda da aeronave mobilizou equipes dos bombeiros de Sorocaba e Votorantim (SP). O acidente foi por volta de meio-dia.

De acordo com as equipes de resgate, a aeronave decolou de um aeródromo particular de uma fazenda na cidade. O espaço está devidamente homologado, conforme a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Cantora é assassinada pelo marido em restaurante na Cidade do México

A cantora mexicana Yrma Lydya, de 21 anos, foi morta a tiros pelo marido em um restaurante na Cidade do México, na quinta-feira (23).

Yrma Lydia foi assassinada no restaurante Suntory Del Valle, na zona sul da cidade, pelo seu marido, identificado como Jesús Hernández Alcocer, de 79 anos. O homem foi detido por policiais junto com outra mulher.

As informações são do portal de notícias mexicano El Universal e do Ministério Público do país.

“Um homem atirou três vezes em sua esposa, ele já está detido junto com outra mulher que o acompanhava”, disse Omar García Harfuch, secretário de Segurança da Cidade do México.

Segundo testemunhas, após uma discussão, o homem atirou na cantora.

Alcocer tentou subornar a polícia para deixá-lo escapar na companhia de um de seus seguranças, que também foi preso.

Funcionário recebe R$ 1,6 milhão por engano, pede demissão e foge com dinheiro da empresa

Um funcionário de uma empresa chilena produtora de frios recebeu uma transferência de 281 milhões de pesos chilenos (cerca de 1,6 milhão), pediu demissão e fugiu com o dinheiro, segundo reportagem do jornal argentino Clarin. A empresa tenta agora reaver o dinheiro na Justiça alegando “apropriação indevida”.

Segundo o jornal, o dinheiro caiu na conta do profissional devido a um erro da área de recursos humanos da empresa, e o homem só descobriu a quantia milionária quando recebeu seu salário de maio.

Sua primeira reação foi esconder que tinha recebido o dinheiro, mas quando a empresa percebeu o erro, informou que ele tinha que devolver o recurso. No entanto, no dia combinado, ele não foi à agência bancária entregar o dinheiro que já tinha sacado.

“Ligaram para ele centenas de vezes, até que ele atendeu e comentou que tinha adormecido. Eles continuaram esperando, mas o dia passou sem nenhuma resposta”, informa a reportagem.

O funcionário ficou vários dias sem dar notícias, até que um advogado apareceu na empresa para relatar que seu cliente não estava convencido a devolver o dinheiro porque o erro era da própria empresa.

A empresa então entrou com uma ação judicial, e ele foi denunciado por “apropriação indevida”. Diante do tribunal, alegou que mesmo tendo sido um erro, isso não dava o direito de o homem ficar com o dinheiro e insistiu que ele é obrigado a devolvê-lo ao “legítimo proprietário”.

Igreja Presbiteriana adota silêncio e decide não afastar Milton Ribeiro

Às 20h13 de quarta-feira (22), o presbítero Antônio César de Araújo Freitas enviou uma mensagem num grupo de WhatsApp a colegas da IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil). ​

“Meus irmãos, estive com o Reverendo Milton [Ribeiro], na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, agora no início da noite, conversamos um pouco, orei com ele e deixei um abraço dizendo que seus irmãos estão em oração.”

“Maravilha, César. Oremos por ele”, respondeu o chanceler do Mackenzie, Robinson Grangeiro.

A conversa de Antônio com Milton durou cerca de 10 minutos na sala em que o ex-ministro ficou detido por um dia, segundo relatos feitos à Folha por interlocutores do presbítero.

A visita servia para mostrar apoio ao amigo, ex-ministro e pastor presbiteriano, que foi preso preventivamente por suspeita de ter cometido os crimes de corrupção passiva, tráfico de influência, prevaricação e advocacia administrativa.

No dia seguinte, Ribeiro foi solto por ordem do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região).

Comerciante carnaibano morre em grave acidente na PE 320

O comerciante carnaibano José Reginaldo Cândido de Souza, conhecido como Naldo Cândido, proprietário de um bar na esquina das ruas 4 de Outubro com Saturnino Bezerra, no centro, morreu em acidente esta madrugada.

Segundo o blogueiro Cauê Rodrigues, que era primo da vítima, Naldo trafegava em uma moto pela Rodovia Estadual PE 320, entre as cidades de Afogados da Ingazeira e Carnaíba, quando nas proximidades da curva do sitio Leitão, acabou sendo vitima de uma colisão com um veiculo não identificado, já que o motorista envolvido não parou para prestar socorro.

A gravidade do acidente foi tão intensa que Naldo chegou a perder uma perna, sendo socorrido para o Hospital Regional Emília Câmara, em Afogados da Ingazeira. Morreu minutos depois.

Naldo era filho de Antônio Cândido de Souza e Izaura Belarmino da Silva, moradora da Rua 4 de Outubro, era sobrinho do ex-conselheiro tutelar Faniquita. O sepultamento acontece neste sábado 25, no cemitério público de Carnaíba.

Esposa de Milton Ribeiro disse que ele ‘estava sabendo da operação’ e que ‘para ter rumores do alto é porque o negócio já estava certo’

No dia da prisão de Milton Ribeiro, sua esposa, Myrian Ribeiro, disse que ele já “estava sabendo” que seria alvo da Polícia Federal. O ex-ministro da Educação foi preso na quarta-feira (22) e, por ordem judicial, foi solto no dia seguinte.

“Ele não queria acreditar, mas ele… ele estava sabendo. Para ter rumores do alto (…) é porque o negócio já estava certo”, , disse em interceptação telefônica feita pela PF autorizada pela Justiça.

O interlocutor da conversa foi identificado como “Edu” e não teve a identidade revelada.

Em conversa com uma de suas filhas que também foi gravada, Ribeiro diz que o presidente Jair Bolsonaro (PL) ligou para ele, dizendo que estava com um “pressentimento” de que pudessem atingi-lo por meio do ex-ministro. “Ele acha que vão fazer uma busca e apreensão em casa, sabe? Bom, isso pode acontecer, se houver indícios, mas não há porquê”.

A Justiça Federal de Brasília atendeu a um pedido do Ministério Público Federal e encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a investigação sobre o ex-ministro da Educação por suspeita de envolvimento dele e de pastores em um esquema para liberação de verbas da pasta.

O pedido do MPF foi baseado em conversas do ex-ministro com terceiros, gravadas com autorização da Justiça, e que, na visão dos procuradores, são indícios de que o presidente Jair Bolsonaro interferiu na investigação.

O MPF justifica o pedido com base em interceptações telefônicas de Milton Ribeiro que indicam a possibilidade de vazamento das apurações do caso. Segundo o MPF, há indícios de que houve vazamento da operação policial e possível interferência ilícita por parte do Bolsonaro.

No dia da prisão, mulher de Milton Ribeiro disse que ex-ministro “estava sabendo” da operação

Em um telefonema realizado no dia da prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e interceptado pela Polícia Federal, sua mulher Myrian Ribeiro afirmou a um interlocutor que o ex-ministro “tava sabendo” com antecedência da realização de uma operação contra ele, mas não queria acreditar.

— No fundo ele não queria acreditar, mas ele tava sabendo. Pra ter rumores do alto, a coisa… é porque o negócio já tava certo — disse.

Para investigadores, esse diálogo reforça as suspeitas de vazamento da investigação. Isso porque, em um outro diálogo mantido no dia 9 de junho, o próprio Milton Ribeiro contou que conversou com o presidente Jair Bolsonaro e que ele teria dito que achava que o aliado seria alvo de buscas.

O telefonema de Myrian ocorreu às 9h19 da última quarta-feira, com uma pessoa da sua família. No diálogo, o familiar lhe tranquiliza sobre a operação deflagrada contra seu marido. Ela, porém, relata ter ficado abalada e diz que o advogado iria tentar um habeas corpus.

A PF diz, em relatório, que a conversa indica que “Milton Ribeiro teria conhecimento de uma possível operação policial – fato este já demonstrado no Auto Circunstanciado Parcial 01, quando MILTON demonstra em diversas ligações sua preocupação em sofrer um mandado de busca apreensão, bem como cita uma conversa que teria tido com o Presidente da República com este mesmo teor”.

Ataque a bar em Oslo é investigado como ato terrorista; Parada gay é cancelada.

O ataque a um bar gay em Oslo, na Noruega, na noite de sexta-feira (24), está sendo investigado como um ato terrorista, segundo afirmou um porta-voz da polícia da cidade neste sábado (25).

Duas pessoas que estavam no local morreram baleadas no ataque, que aconteceu no London Pub, um famoso bar e boate gay da capital norueguesa. Outros 20 dez frequentadores foram hospitalizados, três deles em estado grave.

Por conta do ataque, a Parada Gay anual da cidade, que aconteceria este sábado (25), foi cancelada. A polícia recomendou ainda o cancelamento de todas as celebrações que aconteceriam este fim de semana em decorrência do mês do Orgulho LGTBQIA+. Os investigadores também suspeitam de crime de ódio.

“Em breve estaremos orgulhosos e visíveis novamente, mas hoje marcaremos as celebrações do Orgulho Gay em casa”, declararam os organizadores da Parada.

O suspeito de ter disparado os tiros, um cidadão norueguês com origem iraniana de 42 anos, foi detido logo após o ataque.

“Várias pessoas estavam chorando e gritando, os feridos gritando, as pessoas com muito medo. Meu primeiro pensamento foi o de que o Orgulho era o alvo, e isso é aterrorizante”, relatou à agência de notícias Reuters o norueguês Marcus Nybakken, 46, que havia acabado de deixar o pub quando ouviu os tiros e voltou para ajudar.

Milton Ribeiro diz ter recebido ligação de Bolsonaro: ‘O presidente me ligou (…) Ele acha que vão fazer uma busca e apreensão’ 

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro disse em 9 de junho, em conversa com uma filha, que recebeu uma ligação de Jair Bolsonaro(PL) em que o presidente dizia temer ser atingido pela investigação da Polícia Federal contra Ribeiro.

“A única coisa meio… hoje o presidente me ligou… ele tá com um pressentimento, novamente, que eles podem querer atingi-lo através de mim, sabe? É que eu tenho mandado versículos pra ele, né?”, disse Ribeiro para a filha. O trecho está em investigação da Polícia Federal.

“Ele quer que você pare de mandar mensagens?”, pergunta a filha.

“Não! Não é isso… ele acha que vão fazer uma busca e apreensão… em casa… sabe… é… é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? Se houver indícios, né?”, afirmou o ministro.

O Ministério Público Federal (MPF) pediu para a Justiça que a investigação sobre o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro seja enviada para o Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o MPF, a medida é necessária porque há indício de que o presidente Jair Bolsonaro pode ter interferido na investigação.

O MPF justifica o pedido com base em interceptações telefônicas de Milton Ribeiro que indicam a possibilidade de vazamento das apurações do caso. Segundo o MPF, há indícios de que houve vazamento da operação policial e possível interferência ilícita por parte do Bolsonaro.

Bolsonaro qualifica como “inadmissível” o aborto de menina de 11 anos estuprada

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, qualificou como “inadmissível” o aborto de uma menina de onze anos que se submeteu ao procedimento após ser vítima de estupro.-

“Um bebê de SETE MESES de gestação, não se discute a forma que ele foi gerado, se está amparada ou não pela lei. É inadmissível falar em tirar a vida desse ser indefeso”, escreveu no Twitter na noite de quinta-feira.

Bolsonaro compartilhou também a imagem de um bebê de 25 semanas em uma incubadora, quatro menos que o gerado pela menina.

A menina de 11 anos realizou o aborto na quarta-feira, após uma juíza de Santa Catarina, Joana Ribeiro Zimmons, tentar impedir o procedimento, apesar de ser considerada vítima de estupro, devido a sua idade.

O caso gerou indignação no Brasil, onde muitos internautas viralizaram a legenda “Criança não é mãe” nas redes sociais.

O aborto é crime no Brasil com pena prevista entre 1 a 3 anos de prisão. Mas é legal em três circunstâncias: em gravidez em caso de estupro, quando existe risco de vida para a mulher ou em caso de anencefalia do feto.

Bolsonaro foi eleito em 2018 com o apoio fundamental dos setores evangélicos, disse que, por ele, o aborto jamais será aprovado no Brasil.

O presidente acrescentou que “tanto a criança de 11 anos quanto o bebê de 7 meses são vidas que precisam ser preservadas”.

Também afirmou que solicitou ao Ministério da Justiça e da Mulher, Família e Direitos Humanos que investiguem os “abusos” cometidos pelos que participaram do aborto.

‘Vida de Bruno foi de coragem, dedicação e fidelidade à causa dos indígenas’, diz família em nota durante velório de indigenista morto no AM

“A família está se despedindo de Bruno com coração cheio de gratidão por ter tido ele em nossas vidas. A vida de Bruno foi de coragem, dedicação e fidelidade à causa dos indígenas”.

A declaração faz parte de uma nota divulgada pela família do indigenista Bruno Pereira, assassinado durante uma expedição na região do Vale do Javari, no Amazonas, junto com o jornalista inglês Dom Phillips.

O corpo do pernambucano é velado nesta sexta-feira (24), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife. A cremação deve ocorrer às 15h. O velório de Bruno Pereira tem sido marcado por homenagens e uma cerimônia indígena realizada por um grupo da etnia Xucuru.

A família, abalada, não quis falar com a imprensa e nomeou a cunhada do indigenista, Thany Rufino, para ler uma nota em nome dos parentes.

“Bruno tinha uma missão e iluminou sua causa, e levou ela para o mundo. Neste momento e durante toda a última semana, indígenas de todo o país fizeram rituais de passagem e homenagearam Bruno Pereira. Agradecemos a todos”, diz a nota lida por Thany Rufino.

Ele era apaixonado pela causa indígena e, nos anos 2000, deixou Pernambuco para trabalhar na Amazônia. É considerado um dos maiores especialistas em povos isolados do Brasil.

Durante o velório, um grupo de indígenas Xucuru, da Serra do Ororubá, em Pesqueira, no Agreste, fez uma homenagem e entoou cantos do ritual do “Toré”.

Na capela, se reuniram ao redor do caixão de Bruno, que estava coberto por uma bandeira de Pernambuco, uma do Sport Clube do Recife e por uma camisa da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja).

Eles seguravam um cartaz com as fotos das vítimas e a frase “Justiça por Dom e Bruno”. Na nota, a família de Bruno Pereira agradeceu pelo apoio.

“Aos familiares, amigos, aos indígenas e a todas as pessoas que oraram, buscaram, trabalharam, representaram Bruno. Somos eternamente gratos. Que Deus, em sua imensidão, possa retribuir a todos e às suas famílias. Agora, estamos dedicados ao amor, ao perdão e à oração”, conclui a nota.

Ministério Público pede que caso Ribeiro seja enviado ao STF por possível interferência de Bolsonaro

O Ministério Público Federal (MPF) pediu para a Justiça que a investigação sobre o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro seja enviada para o Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o MPF, a medida é necessária porque há indício de que o presidente Jair Bolsonaro pode ter interferido na investigação.

O MPF justifica o pedido com base em interceptações telefônicas de Milton Ribeiro que indicam a possibilidade de vazamento das apurações do caso. Segundo o MPF, há indícios de que houve vazamento da operação policial e possível interferência ilícita por parte do Bolsonaro.

“Outrossim, nesta oportunidade, o MPF vem requerer que o auto circunstanciado nº 2/2022, bem como o arquivo de áudio do investigado Milton Ribeiro, que aponta indício de vazamento da operação policial e possível interferência ilícita por parte do residente da República Jair Messias Bolsonaro nas investigações, sejam desentranhados dos autos e remetidos, de maneira apartada e sigilosa, ao Supremo Tribunal Federal”, escreveu o Ministério Público.

O juiz Renato Borelli, da 15ª Vara de Justiça Federal de Brasília atendeu ao pedido do MPF. No STF, a relatora será a ministra Cármen Lúcia.

Operação deflagrada pela Polícia Federal na quarta-feira (22) prendeu o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores com influência dentro do MEC. A suspeita é que eles façam parte de esquema que liberava verbas da pasta para projetos em municípios em troca de propina.

Ribeiro, os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura e demais presos na operação foram soltos na quinta (23), por determinação judicial.

Corpo do indigenista pernambucano Bruno Pereira chega ao Recife; velório é nesta sexta-feira (24)

O corpo do indigenista pernambucano Bruno Pereira chegou ao Aeroporto Internacional dos Guararapes em um jato da Polícia Federal, por volta das 18h40 desta quinta-feira (23). Logo após o pouso, os restos mortais do indigenista foram colocados em um carro funerário que seguiu para o Cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR), onde ele será velado e cremado nesta sexta (24).

Segundo a delegada da Polícia Federal, Luciana Martorelli, estavam no avião sete policiais federais e uma perita do Instituto Nacional de Criminalística, de Brasília.

De acordo com a administração do cemitério, o velório será aberto ao público e ocorrerá a partir das 9h, na sala de velório central. Já a cremação, que está marcada para às 15h, será reservada à família.