Arquivo da categoria: Vacina

EUA enviarão 3 milhões de doses da Janssen pro Brasil nesta quinta-feira

Os Estados Unidos anunciaram o envio de 3 milhões de doses da vacina da Janssen para o Brasil nesta quinta-feira (24), de acordo com informações da GloboNews.

O envio não será feito por meio do consórcio Covax Facility, mas diretamente do governo estadunidense.

As vacinas serão enviadas do Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale-Hollywood, na Flórida. A chegada no Brasil está prevista para o Aeroporto Internacional de Viracopos, em São Paulo, ainda nesta quinta.

O imunizante da Janssen é aplicado em dose única e tem eficácia de 85% na prevenção de casos graves, de acordo com a Fiocruz.

Novo lote com 529 mil doses de vacina da Pfizer chega ao Brasil

O primeiro lote desta semana com vacinas da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19 chegou ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), na noite desta terça-feira (22), com 528.840 mil doses.

Mais duas remessas de vacinas serão feitas ao Ministério da Saúde ainda esta semana, segundo previsão da Pfizer, totalizando 2,4 milhões de doses no período.

A chegada dos novos lotes ocorrerá nos dias 24 e 27 de junho, com 936 mil doses em cada lote, e desembarcará também em Viracopos. Segundo balanço da Pfizer, somadas aos lotes anteriores, mais de 13 milhões de doses terão sido entregues até o final dessa semana.

De acordo com a farmacêutica, as entregas dessa semana fazem parte do acordo firmado em março, que contempla a disponibilização de 100 milhões de vacinas ao Brasil até o final do terceiro trimestre deste ano.

Em maio, o Ministério da Saúde e o laboratório assinaram um segundo contrato que garantiu mais 100 milhões de doses para o país, com previsão de chegada até dezembro de 2021, totalizando a entrega de 200 milhões de doses ao Brasil.

Governo negociou em três meses e pagou 1.000% mais caro pela vacina da Covaxin, diz Estadão

Documentos do Ministério das Relações Exteriores divulgados em matéria do Estadão desta terça-feira (22), demonstram que o governo adquiriu a vacina indiana Covaxin por um preço 1.000% maior do que era anunciado pela fabricante apenas seis meses depois. O Estadão teve acesso a um telegrama sigiloso da embaixada brasileira em Nova Délhi datado de agosto do ano passado. Nele, a embaixada informava que o imunizante produzido pela Bharat Biotech tinha o preço estimado em 100 rúpias (US$ 1,34 a dose).

Em dezembro de 2020, outro comunicado da embaixada dava conta de  que o produto fabricado na Índia teriuo o custo menor “do que uma garrafa de água”. Apenas dois meses depois, em fevereiro de 2021, o Ministério da Saúde pagou US$ 15 por unidade (R$ 80,70, na cotação da época) – o preço mais alto pago pelas seis vacinas compradas até o momento.

Segundo o jornal, quem ordenou a compra pessoalmente foi o presidente Jair Bolsonaro, após uma negociação que durou cerca de três meses, prazo bem mais curto que o de outros acordos. Com a Pfizer, por exemplo,  foram quase onze meses, com o mesmo preço oferecido (US$ 10 por dose).  

Apesar de custar bem mais barato do que a vacina indiana, o preço foi usado como argumento pelo governo Bolsonaro para atrasar a contratação, só fechada em março deste ano. 

Contratação suspeita ao contrário dos outros imunizantes, que tiveram negociação feita diretamente com seus fabricantes no País ou no exterior, a contratação da Covaxin pelo Brasil foi intermediada pela Precisa Medicamentos. A farmacêutica virou alvo da CPI da Covid, que na semana passada autorizou a quebra dos sigilos, Francisco Maximiano, um dos sócios da empresa, que deve depor à Comissão nesta quarta (23).

A CPI deverá investigar o motivo pelo qual o contrato para a compra da Covaxin ter sido intermediado pela Precisa, que em agosto foi alvo do Ministério Público do Distrito Federal sob acusação de fraude na venda de testes rápidos para Covid-19. 

Cinco capitais suspendem vacinação contra Covid por falta de imunizante

Pelo menos cinco capitais brasileiras estão com a aplicação da primeira dose de vacinas contra o novo coronavírus paradas nesta terça-feira (22) –a maioria devido à falta de imunizantes para seguir o cronograma.

Além de São Paulo, que anunciou nesta segunda a suspensão, João Pessoa, Aracaju, Florianópolis e Campo Grande estão aplicando apenas a segunda dose .

Na capital paulista, a suspensão foi anunciada depois que 300 postos registraram falta de doses na segunda-feira. A previsão é que na terça seria realizada a repescagem para pessoas de 50 e 59 anos.

Segundo a coluna Mônica Bergamo na Folha de São Paulo, a previsão é que 186 mil doses da Coronavac sejam entregues pelo governo do estado para a capital ainda nesta terça para a aplicação de primeira dose, e a vacinação seja retomada na quarta.

Em João Pessoa, o calendário desta terça prevê a aplicação de segundas doses de Coronavac, para quem completou 28 dias da primeira dose, e AstraZeneca, para quem tem 90 dias desde a primeira vacinação. A previsão é que mais vacinas cheguem nesta quarta, segundo a prefeitura.

Aracaju teve vacinação durante o fim de semana acima do previsto e, por isso, precisou suspender a primeira dose — foram 20.127 pessoas vacinadas. A capital de Sergipe parou na faixa etária de 40 anos ou mais para pessoas sem comorbidades e espera novos lotes para avançar para o público de 39 e 38 anos.

Em Florianópolis, a prefeitura diz que esgotou as 8.500 vacinas recebidas para a primeira dose em dois dias e que reserva 150 que ainda tem em estoque para lactantes, gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias depois do parto).

A vacinação na capital catarinense está focada na segunda dose para pessoas de 67 anos ou mais e daquelas para as quais já passou o prazo para o reforço. A primeira dose parou na faixa etária de 50 anos ou mais.

Campo Grande também segue a vacinação apenas com a segunda dose, dos imunizantes Coronavac e AstraZeneca. A capital de Mato Grosso do Sul diz que a suspensão nesta terça foi uma medida excepcional para vacinar as pessoas que estão aguardando a segunda dose ou com a aplicação dela atrasada.

A prefeitura diz que a aplicação da primeira dose por faixa etária e seguindo grupos prioritários será retomada na quarta. Entre a última sexta e domingo, Campo Grande recebeu o total de 56 mil doses de imunizantes da Pfizer, Coronavac e AstraZeneca que estão sendo direcionados à primeira e à segunda doses.

Primeiro lote com 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen chega a SP

O primeiro lote com 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen compradas pelo Ministério da Saúde chegou nesta terça-feira (22) ao Brasil pelo Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

De acordo com o Ministério da Saúde, este primeiro lote pode ser usado até agosto. A Janssen pode ser armazenada por pelo menos 3 meses, em temperaturas de 2°C a 8°C, equivalente a geladeiras normais.

Até a última semana, o Ministério da Saúde esperava receber um primeiro lote com 3 milhões de doses. Na quinta-feira (17), no entanto, o ministro Marcelo Queiroga informou que a carga não chegaria e apontou “questões regulatórias” dos Estados Unidos como motivo para o atraso.

Total de 38 milhões de doses
O contrato do governo federal com a farmacêutica prevê a entrega de um total de 38 milhões de doses. Em março, quando o contrato foi anunciado, a previsão era a entrega de 16,9 milhões de doses até setembro, e as outras 21,1 milhões de doses até dezembro de 2021.

O contrato da Janssen prevê o valor de US$ 10 por dose, e um pagamento US$ 95 milhões na primeira parcela.

A imunização com a vacina da Janssen é feita com uma dose única, diferentemente de outras vacinas, o que permite uma imunização mais rápida. Este é o único imunizante em etapa avançada de testes que funciona com apenas uma dose.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial da vacina da Janssen no Brasil em 31 de março de 2021.

Mais da metade da população adulta do Recife já se vacinou contra a Covid-19, diz prefeitura

A Prefeitura do Recife anunciou, nesta segunda-feira (21), que mais de 50% da população adulta do município, ou seja, pessoas com 18 anos ou mais, já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra a Covid-19. De acordo com a prefeitura, o número mantém a Capital pernambucana acima da média nacional de imunização, que está em cerca de 28%. 

“Até às 17h, 621.020 pessoas já haviam recebido pelo menos a primeira dose no município. Atualmente a cidade possui 1.237.614 pessoas com 18 anos ou mais, aptas a serem vacinadas pelo Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19”, disse em nota o município.

O município também assegurou que, desde o início da vacinação, no dia 19 de janeiro, foram vacinadas 847.794 pessoas, sendo que 235.624 delas já estão com esquema vacinal completo – com duas doses do imunizante. No momento, todos os grupos prioritários e moradores do município com 43 anos ou mais estão recebendo a vacina.

Vale lembrar que o cadastro e o agendamento para receber a vacina contra a Covid-19 podem ser feitos através do aplicativo ou site do Conecta Recife (http://conectarecife.recife.pe.gov.br).

Pontos de vacinação

Segundo a prefeitura, 20 pontos de vacinação estão sendo disponibilizados, entre salas e drive-thrus. Todos os locais funcionam de domingo a domingo, das 7h30 às 18h30. As salas de vacinação estão localizadas na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), na Boa Vista; Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), em Dois Irmãos; Parque de Exposição de Animais, no Cordeiro; na Unidade de Cuidados Integrais (UCIS) Guilherme Abath, no Hipódromo; Compaz Ariano Suassuna, no Cordeiro; Ginásio Geraldão, na Imbiribeira; Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), na Tamarineira; Parque da Macaxeira, na Macaxeira; UPA-E do Ibura.

Já os drive-thrus, que permitem atendimento sem sair do veículo, estão localizados no Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), na Tamarineira; Parque de Exposição de Animais, no Cordeiro; Fórum Ministro Artur Marinho – Justiça Federal de Pernambuco (Avenida Recife), no Jiquiá; Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), em Dois Irmãos; Juizados Especiais do Recife, na Imbiribeira; Parque da Macaxeira, na Macaxeira; Geraldão, na Imbiribeira; Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na Cidade Universitária; Tribunal Regional Federal da 5ª Região, no Bairro do Recife; BIG Bompreço de Boa Viagem e BIG Bompreço de Casa Forte.

Queiroga anuncia chegada de 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen ao Brasil nesta terça

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (21) que 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen devem chegar ao Brasil na manhã desta terça (22).

A declaração foi dada durante audiência pública na Comissão Temporária da Covid-19 no Senado. Segundo Queiroga, essa carga faz parte da antecipação de doses que vinha sendo negociada com a Janssen – havia uma previsão do envio de 3 milhões de doses, que não se concretizou.

Em relação à vacina da Janssen, essas vacinas estavam previstas no nosso calendário para o último trimestre do ano. Eram 38 milhões de doses. Inicialmente, negociamos com a Janssen e eles iriam nos antecipar na semana passada três milhões de doses. Lamentavelmente não foi possível a chegada dessas três milhões de doses”, disse Queiroga.

Mas eu já antecipo em primeira mão que amanhã deve chegar no aeroporto de Viracopos, de Guarulhos, 1,5 milhão de doses da vacina Janssen. São vacinas úteis, como as outras, mas essa é uma dose única que permite uma imunização mais rápida”, continuou

De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, a pasta ainda negocia a chegada de doses adicionais.

“Esse quantitativo que o ministro indicou, de 1,5 milhão de doses, estamos trabalhando ainda para tentar algumas confirmações ainda essa semana para doses adicionais desse novo imunizante, que passará a integrar então o PNI (Programa Nacional de Imunização)”, afirmou.

Covid-19: Pfizer entrega ao Brasil 842 mil doses da vacina pelo consórcio Covax Facility

Um avião com cerca de 842 mil doses da vacina produzida pela Pfizer pousou na tarde deste domingo (20) no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). Este é o primeiro carregamento enviado ao país pela farmacêutica por meio do consórcio global Covax Facility. Outros 14 lotes do imunizante contra Covid-19 já foram recebidos, todos pelo contrato direto com o Ministério da Saúde.

O voo, vindo de Miami (EUA), pousou em Viracopos por volta de 16h15, segundo a assessoria da Pfizer. O descarregamento foi acompanhado pela Polícia Federal (PF), que também fará a escolta da carga até Guarulhos (SP), onde fica o centro de distribuição do Ministério da Saúde.

Até a chegada da vacina da Pfizer neste domingo, o Ministério da Saúde havia recebido e distribuído cerca de 5 milhões de doses do consórcio global liderado pela OMS e aliança GAVI. Nos lotes anteriores, todas as doses eram da AstraZeneca/Oxford, fabricada na Coreia do Sul.

O contrato com a Covax prevê 42,5 milhões de doses de vacinas Covid-19 até o fim do ano.

A farmacêutica americana já enviou ao Brasil outros 14 lotes com vacinas, totalizando 10,7 milhões das 200 milhões de doses do imunizante desenvolvido pela Pfizer/BioNTech contratadas diretamente pelo governo federal. A farmacêutica diz que vai cumprir o cronograma de entrega total até o final de 2021.

As entregas

A Pfizer utilizou o Aeroporto de Viracopos para todas as entregas ao Brasil até agora. A primeira remessa teve 1 milhão de doses e foi recebida pelo país em 29 de abril, em cerimônia que contou com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Remessas entregues

29/04: 1 milhão de doses

05/05: 628.290 mil doses

12/05: 628.290 mil doses

19/05: 629.460 mil doses

26/05: 629.460 mil doses

01/06: 936 mil doses

02/06: 936 mil doses

03/06: 527.670 mil doses

08/06: 526.500 mil doses

09/06: 936 mil doses

10/06: 936 mil doses

15/06: 530 mil doses

16/06: 936 mil doses

17/06: 936 mil doses

Pernambuco recebe mais 310 mil doses de vacinas da Astrazeneca/Fiocruz

Pernambuco recebeu, na noite deste domingo (20), uma nova remessa de vacinas contra a Covid-19 da Astrazeneca/Fiocruz, para avanço da aplicação da segunda dose na população. Ao todo, chegaram ao Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes – Gilberto Freyre, às 18h29, 310.250 doses, totalizando 2.630.170 unidades da Astrazeneca/Fiocruz recebidas por Pernambuco desde o início da campanha de vacinação contra o novo coronavírus. 

Após aterrissar na capital pernambucana, o lote com os insumos seguiu para a sede do Programa Estadual de Imunização (PNI-PE), para checagem e divisão entre os municípios. A decisão de destinar a nova remessa para a segunda dose será pactuada em reunião com os gestores municipais na Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Ao longo da semana, as remessas seguirão para as 12 Gerências Regionais de Saúde (Geres), onde os municípios devem fazer as retiradas para reabastecer os seus estoques. 

O novo lote com mais de 310 mil doses da Astrazeneca será fundamental para que os municípios possam completar o esquema vacinal dos pernambucanos que já estão em tempo de receber a segunda dose. A vacina salva vidas, e tem reduzido as internações e óbitos em Pernambuco, mas para garantir essa proteção é essencial tomar as duas doses. Contamos com o empenho dos municípios para dar celeridade ao avanço da aplicação da segunda dose em seus territórios e contribuir para a proteção da nossa população”, reforçou o secretário estadual de Saúde, André Longo. 

Na última sexta-feira (18.06), Pernambuco recebeu mais 65 mil doses da Coronavac/Butantan e realizou, ao longo deste fim de semana, uma mobilização de vacinação nos municípios, com o objetivo de zerar o número de pessoas que aguardam a segunda dose desse imunizante. Também na sexta, o Estado recebeu 97.110 doses da Pfizer, destinadas às pessoas com comorbidades e deficiência, podendo ser expandidas aos demais grupos prioritários e à população em geral por faixa etária, de acordo com o andamento da campanha e realidade de cada município. 

Desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19, em 18 de janeiro, Pernambuco recebeu 4.992.460 doses de vacinas. Além das 2.630.170 da Astrazeneca/Oxford/Fiocruz, vieram 2.024.160 unidades da Coronavac/Butantan e 338.130 doses da Pfizer/BioNTech.

Em Paquetá, Queiroga diz que adultos serão imunizados até o fim do ano

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou neste domingo (20), em Paquetá, no Rio de Janeiro, que “se compromete a vacinar toda a população brasileira acima de 18 anos até o final do ano“, com as duas doses necessárias contra a Covid-19. “Esse é o nosso passaporte para a nossa liberdade, para uma vida nova“, disse.

Ocorre neste domingo o projeto de vacinação em massa em Paquetá, no Rio de Janeiro. O experimento científico visa avaliar os efeitos da imunização em larga escala e identificar em quanto tempo a população não terá que seguir medidas restritivas. Queiroga vacinou moradores do local.

Para Queiroga, “a principal ferramenta para lutar contra a Covid-19 é o Sistema Único de Saúde (SUS) e a eficiência do SUS é a certeza de que o Brasil vencerá seu único inimigo, que é o vírus“.

Na tarde de sábado (19), o Brasil alcançou a marca de meio milhão de mortos pela doença, atrás apenas dos Estados Unidos, que registram 601.574 mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Ignorada em 2020, Pfizer alerta para Brasil começar a negociar novas doses já

Depois de o Brasil ignorar uma série de ofertas da Pfizer no ano passado, a farmacêutica norte-americana fez um alerta ao governo brasileiro em abril para dar início “no mais curto prazo possível” a negociações para a aquisição de novas doses da vacina contra a Covid-19 para 2022 e 2023.

A sugestão foi feita pelo vice-presidente para política global da Pfizer, Jon Selib, à cônsul-geral do Brasil em Nova York, Maria Nazareth Farani Azevêdo. O alerta surtiu efeito. Dias depois do encontro, o governo fechou novo contrato com a empresa para comprar mais 100 milhões de doses do imunizante.

O relato do encontro está no montante de documentos entregues pelo Ministério das Relações Exteriores à CPI da Pandemia e que perdeu o sigilo na última quarta-feira (16). A correspondência foi enviada pela cônsul-geral ao ministro Carlos Alberto França no dia 28 de abril. Azevêdo diz que recebeu o executivo da Pfizer no dia anterior, atendendo determinação feita pelo chefe do Itamaraty para que as missões diplomáticas e consulados do Brasil no exterior estivessem “cada vez mais engajados numa verdadeira diplomacia da saúde, dada a urgência e prioridade do combate à pandemia da Covid-19”.

A cônsul-geral diz na mensagem ter salientado a Selib que “devem ser crescentes as consultas a governos e a farmacêuticas”, pelo governo brasileiro, “para mapear as vacinas disponíveis e a buscar os remédios necessários ao tratamento de pacientes em estado mais grave”.

Ao reconhecer que o Brasil é mercado e parceiro importante para sua empresa, Jon Selib assegurou que sua empresa está aberta a dialogar com o país. Disse que manteria canal aberto com o consulado para futuras conversas. Agradeceu a iniciativa do encontro e convidou o governo brasileiro a iniciar no mais curto prazo possível conversas sobre vacinas para 2022 e 2023. Mas, não deixo de dizer que ficaria atento a eventuais oportunidades ainda no ano em curso”, escreveu Azevêdo ao chefe do Itamaraty.

Ainda de acordo com o relato da cônsul-geral ao Brasil, o executivo da Pfizer disse que a farmacêutica “quer ajudar o país e os brasileiros neste momento desafiador” e que empresa deve produzir 3 bilhões de vacina contra a Covid-19 em 2021 e 4 bilhões de doses em 2022.

Butantan entrega mais 2,2 milhões de doses de vacina contra a Covid-19

O Instituto Butantan fez hoje (18) a entrega de mais 2,2 milhões de doses da vacina contra o coronavírus CoronaVac. O imunizante vai ser distribuído pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para ser usado em todo o país. 

Com o lote de hoje, o Butantan alcança a marca de 52,2 milhões de doses entregues desde janeiro. A previsão é que até o final de setembro o instituto tenha disponibilizado 100 milhões de doses da vacina ao PNI.

A entrega de hoje é referente ao processamento de 3 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) recebidos da China no último dia 25 de maio. A matéria-prima permitiu a produção de 5 milhões de doses.

O Butantan espera receber até o fim deste mês mais uma remessa com 6 mil litros de IFA para poder envazar mais 10 milhões de doses. 

Segundo os últimos dados disponibilizados pelo governo estadual, já foram aplicadas em São Paulo 20,2 milhões de doses, sendo 5,8 milhões da segunda dose da imunização.

Vacinação no Brasil: mais de 28% tomaram a primeira dose de vacinas contra a Covid

Desde o começo da vacinação no Brasil, mais de 28% já tomou a primeira dose de vacinas contra a Covid. São 60.381.020 de doses aplicadas, segundo dados do consórcio de veículos de imprensa, divulgado às 20h desta quinta-feira (17), o que corresponde a 28,51% da população.

A segunda dose foi aplicada em 24.085.577 de pessoas, o que corresponde a 11,37% da população.

Somando a primeira e a segunda doses, 84.466.597 vacinas foram aplicadas.

De ontem para hoje, a primeira dose foi aplicada em 2.088.159 pessoas e em132.686 na segunda dose, com um total de 2.220.845 doses aplicadas neste intervalo. É o dia com maior número de aplicações da primeira dose e o dia com maior número de doses aplicadas no total desde o começo da vacinação, em janeiro.

O número total de segunda dose nesta quinta-feira é menor do que o registrado ontem por conta de uma reformulação do sistema de contabilização de doses do painel Vacinômetro de Minas Gerais. A Secretaria de Saúde do estado informou que “alguns municípios informaram em campos errados o total de doses aplicadas. Ontem (16/6), o mesmo foi verificado e retificado pelas equipes da secretaria, com a republicação de uma nova versão do Boletim atualizada.”

Total de vacinados, segundo os governos, e o percentual em relação à população do estado:

AC: 1ª dose – 172.372 (19,27%); 2ª dose – 65.406 (7,31%)

AL: 1ª dose – 857.429 (25,58%); 2ª dose – 311.224 (9,29%)

AM: 1ª dose – 1.116.113 (26,53%); 2ª dose – 516.813 (12,28%)

AP: 1ª dose – 158.778 (18,42%); 2ª dose – 62.397 (7,24%)

BA: 1ª dose – 4.292.207 (28,75%); 2ª dose – 1.657.451 (11,1%)

CE: 1ª dose – 2.424.238 (26,39%); 2ª dose – 1.088.560 (11,85%)

DF: 1ª dose – 849.476 (27,8%); 2ª dose – 328.391 (10,75%)

ES: 1ª dose – 1.314.441 (32,34%); 2ª dose – 472.475 (11,63%)

GO: 1ª dose – 1.918.836 (26,97%); 2ª dose – 682.875 (9,6%)

MA: 1ª dose – 1.877.616 (26,39%); 2ª dose – 572.667 (8,05%)

MG: 1ª dose – 6.018.587 (28,27%); 2ª dose – 2.613.670 (12,27%)

MS: 1ª dose – 1.027.009 (36,59%); 2ª dose – 393.543 (14,01%)

MT: 1ª dose – 781.033 (22,15%); 2ª dose – 300.653 (8,53%)

PA: 1ª dose – 1.903.503 (21,9%); 2ª dose – 805.318 (9,27%)

PB: 1ª dose – 1.065.302 (26,37%); 2ª dose – 472.901 (11,71%)

PE: 1ª dose – 2.676.182 (27,83%); 2ª dose – 1.018.522 (10,59%)

PI: 1ª dose – 816.954 (24,9%); 2ª dose – 309.469 (9,43%)

PR: 1ª dose – 3.487.926 (30,29%); 2ª dose – 1.291.786 (11,22%)

RJ: 1ª dose – 4.041.027 (23,27%); 2ª dose – 1.743.280 (10,04%)

RN: 1ª dose – 959.458 (27,15%); 2ª dose – 393.609 (11,14%)

RO: 1ª dose – 371.333 (20,67%); 2ª dose – 143.464 (7,99%)

RR: 1ª dose – 117.971 (18,69%); 2ª dose – 63.418 (10,05%)

RS: 1ª dose – 4.047.548 (35,43%); 2ª dose – 1.650.778 (14,45%)

SC: 1ª dose – 2.256.040 (31,11%); 2ª dose – 769.627 (10,61%)

SE: 1ª dose – 646.261 (27,87%); 2ª dose – 218.403 (9,42%)

SP: 1ª dose – 14.815.077 (32,01%); 2ª dose – 5.998.026 (12,96%)

TO: 1ª dose – 342.687 (21,55%); 2ª dose – 139.081 (8,75%)

Ministério da Saúde diz que vai receber 15 milhões de doses da vacina da Pfizer em julho

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (16) que vai receber, em julho, 15 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19. De acordo com a pasta, a previsão inicial era a de que 8 milhões de doses chegassem no próximo mês, mas, após conversas com a farmacêutica, o Brasil vai receber uma quantidade maior.

O anúncio ocorre dois dias após uma reunião entre executivos da farmacêutica e representantes do governo, entre eles o presidente Jair Bolsonaro. Acompanhado de ministros, Bolsonaro conversou por videoconferência com o presidente da farmacêutica para a América Latina, Carlos Murillo.

A Pfizer é a empresa que teve ofertas de venda de vacinas contra Covid-19 rejeitadas pelo governo desde o segundo semestre de 2020. O governo afirma que o laboratório estabelecia condições “draconianas” nos contratos. A principal queixa de Bolsonaro e do então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, era a de que a Pfizer não se responsabiliza por eventuais efeitos colaterais da vacina.

Cronograma atual
O governo federal assinou dois contratos com a Pfizer, cada um para a compra de 100 milhões de doses. A projeção de entregas de vacinas Covid-19 do Ministério da Saúde, atualizada semanalmente, da última quarta-feira (9) previa o seguinte cronograma de entrega de doses da Pfizer até o final de 2021:

Primeiro contrato:

12 milhões de doses em junho de 2021;
8 milhões de doses em julho de 2021;
76 milhões de doses em agosto e setembro de 2021.

Segundo contrato:

100 milhões de doses no quarto trimestre de 2021.

As remessas entregues até esta segunda-feira foram distribuídas em lotes:

29 de abril: 1 milhão de doses
5 de maio: 628.290 mil doses
12 de maio: 628.290 mil doses
19 de maio: 629.460 mil doses
26 de maio: 629.460 mil doses

1º de junho: 936 mil doses
2 de junho: 936 mil doses
3 de junho: 527.670 mil doses
8 de junho: 526.500 mil doses
9 de junho: 936 mil doses
10 de junho: 936 mil doses

Afogados da Ingazeira receberá 3.425 doses da Janssen

O Governo de Pernambuco definiu que irá distribuir as 118,6 mil doses das vacinas contra a Covid-19 da Janssen para os municípios do interior do Estado, apesar da recomendação do Ministério da Saúde de concentrar a aplicação na capital. As doses têm previsão de chegada a Pernambuco até o fim desta semana. Estas doses serão utilizadas para continuar a vacinação da população de 18 a 59 anos.

Do total de doses, 50% será enviado para as cinco cidades no interior pernambucano: Caruaru e Garanhuns, no Agreste; e Arcoverde, Serra Talhada e Afogados da Ingazeira, no Sertão. Estes municípios receberão um quantitativo de vacinas suficiente para imunizar 18,6% das suas populações na faixa etária determinada. O quantitativo destinado ao Recife será suficiente para imunizar 6,5% do público entre 18 e 59 anos. As faixas etárias são ampliadas de acordo com o cronograma estabelecido por cada município.

Confira quantas doses cada município vai receber

Cada um dos município receberá, já levando em conta os 5% de perda calculado pelo Programa Estadual de Imunização (PEI-PE), os seguintes quantitativos:

• Recife – 59.295 doses;
• Caruaru – 30.935 doses;
• Garanhuns – 11.765 doses;
• Arcoverde – 6.770 doses;
• Afogados da Ingazeira – 3.425 doses;
• Serra Talhada – 6.410 doses.

Queiroga não dá previsão para chegada de doses da Janssen ao Brasil: ‘Só quando embarcarem dos EUA’

As 3 milhões de vacinas da Janssen contra a Covid-19, adquiridas pelo governo federal, estão sem data prevista para chegar ao Brasil. Ao ser questionado sobre o recebimento dos lotes, que deveriam aterrissar nesta quarta-feira (16) no país, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não confirmou uma nova data.

“A confirmação eu só darei a vocês quando as doses embarcarem dos Estados Unidos“, afirmou.

O ministro falou sobre o tema no início desta tarde, no Hospital Regional do Guará, no Distrito Federal, onde aplicou doses contra o coronavírus no ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes; e no presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

A declaração ocorre após expectativas frustradas da chegada do imunizante da Janssen nesta semana. Inicialmente, o governo federal informou que os lotes chegariam entre domingo (13) e terça-feira (15), o que não ocorreu.

Ainda na terça, Queiroga também foi questionado sobre o recebimento dos lotes. “Ainda não sei detalhes. Mas quarta deve chegar“, disse, na ocasião.

No mesmo dia, o Ministério da Saúde divulgou uma nota afirmando que “aguarda confirmação da data por parte do laboratório, mas a expectativa é de que as doses cheguem ainda esta semana ao país em três remessas“.

No início da tarde desta quarta, o ministro também não confirmou se o recebimento ocorrerá até o fim de semana.

Butantan entrega 1 milhão de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta quarta

O Instituto Butantan liberou mais 1 milhão de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta quarta-feira (16).

As entregas voltaram a ser feitas na semana passada. Com o novo lote, o Instituto totaliza 50 milhões de doses enviadas ao Programa Nacional de Imunização (PNI) desde o início do ano, o que corresponde a metade do total estabelecido nos dois contratos com o governo federal.

Segundo o governador João Doria (PSDB), uma nova remessa será liberada ainda nesta sexta-feira (18).

Durante coletiva de imprensa na sede do Instituto no início da semana, o governador manteve a previsão de concluir a entrega das 100 milhões de doses até o final de setembro.

Retomada da produção

Esta é segunda remessa a ser enviada ao governo federal após retomada da produção da vacina, que chegou a ser paralisada em maio por conta da falta de matéria-prima.

No final do mês passado, o Butantan voltou a receber o insumo e conseguiu retomar o envase do imunizante.

Na semana passada, em coletiva de imprensa, Doria disse que o instituto vai receber 6 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo), suficiente para produção de 10 milhões de doses da vacina do Butantan, no dia 28 de junho.

A matéria-prima, enviada pela biofarmacêutica Sinovac, parceira do Butantan, passa pelos processos de envase, rotulagem, embalagem e controle de qualidade para que a vacina seja entregue ao PNI.

Anvisa autoriza importação excepcional da Sputnik V por mais 7 estados, também com restrições

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, na noite de terça-feira (15), a importação excepcional da Sputnik V por mais 7 estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

Ao todo, mais 592 mil doses poderão ser importadas, distribuídas da seguinte forma:

Rio Grande do Norte: 71 mil
Mato Grosso: 71 mil
Rondônia: 36 mil
Pará: 174 mil
Amapá: 17 mil
Paraíba: 81 mil
Goiás: 142 mi
l
A autorização foi concedida com as mesmas restrições que se aplicaram a outros 6 estados que também receberam, no início do mês, permissão de importação excepcional – Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí. Ao todo, esses estados tiveram autorização para importar 928 mil doses.

Veja algumas das condições:
A vacina deverá ser utilizada apenas em adultos saudáveis
Todos os lotes importados só poderão ser usados após liberação pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde da Fiocruz.
A Anvisa receberá relatórios periódicos de avaliação de risco-benefício da vacina.
A vacina deverá ser utilizada em condições controladas, com condução de estudo de efetividade, com delineamento acordado com a Anvisa e executado conforme boas práticas clínicas.
A Anvisa poderá, a qualquer momento, suspender a importação, distribuição e uso das vacinas importadas.
As pessoas deverão ser informadas de que a vacina “não tem avaliação” da agência quanto a qualidade, eficácia e segurança.
A vacina NÃO poderá ser aplicada nos seguintes casos:
Pessoas com hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula
Gravidez
Lactantes
Menores de 18 anos ou maiores de 60 anos
Mulheres em idade fértil que desejem engravidar nos próximos 12 meses
Enfermidades graves ou não controladas e antecedentes de anafilaxia
Pessoas que tenham recebido outra vacina contra a Covid-19
Pessoas com febre
Pessoas vivendo com HIV, hepatite B ou C
Pessoas que tenham se vacinado nas 4 semanas anteriores
Pessoas que tenham recebido imunoglobulinas ou hemoderivados 3 meses antes
Pessoas que tenham recebido tratamentos com imunossupressores, citotóxicos, quimioterapia ou radiação 36 meses, tenham recebido terapias com biológicos incluindo anticorpos anticitocinas e outros anticorpos.

Vacinas Sputnik V serão enviadas ao Nordeste em julho

As vacinas Sputnik V contra a Covid-19 deverão chegar ao Nordeste do Brasil no mês de julho, de acordo com o governador do Ceará, Camilo Santana. Nesta terça-feira (15), os governadores do Nordeste participaram de uma reunião on-line com o Fundo Soberano Russo, responsável pela negociação das vacinas.

“O Fundo confirmou que enviará no início de julho as primeiras doses da vacina, e que entregará até o fim deste mês o cronograma de distribuição das doses”, disse Camilo através das redes sociais.

Reunião esta manhã com representantes do Fundo Soberano Russo, responsável pela vacina Sputnik V, e governadores do Nordeste. O Fundo confirmou que enviará no início de julho as primeiras doses da vacina, e que entregará até o fim deste mês o cronograma de distribuição das doses. pic.twitter.com/zErnPN8v59

— Camilo Santana (@CamiloSantanaCE) June 15, 2021

Os governadores firmaram acordo para compra de 30 milhões de doses da vacina russa, mas os estados não poderão importar essa quantidade de vacinas, pois o imunizante foi aprovado no país com restrições. Com isso, cada estado vai receber o suficiente para a imunização em duas doses de 1% da população. Pernambuco irá receber cerca de 192 mil doses, seguido da Bahia com 300 mil doses; Maranhão com 141 mil; Sergipe com 46 mil; Ceará com 183 mil e Piauí com 66 mil doses.

O imunizante não poderá ser aplicado em gestantes, lactantes, menores de 18 anos, mulheres em idade fértil que desejem engravidar nos próximos 12 meses, além de pessoas com enfermidades graves ou não controladas e antecedentes a anafilaxia.

Pfizer vai entregar 2,4 milhões de doses nesta semana

A Pfizer e sua parceira, BioNTech, anunciaram, nesta terça-feira (15), que enviarão ao Brasil 2,4 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 nesta semana, entre terça e quinta-feira (17). 

Conforme comunicado divulgado pelas empresas, a remessa será enviada em três lotes. Hoje chegam 530 mil doses. Outras 936 mil deverão chegar amanhã (16) e igual quantitativo na quinta-feira (17). Com as entregas dessa semana, o número de vacinas disponibilizadas pela farmacêutica chegará a 10,6 milhões.

O consórcio Pfizer BioNTech fechou acordo com o governo brasileiro em março deste ano que envolve a aquisição de 100 milhões de doses. Em maio, um novo negócio previu mais 100 milhões de doses, que serão entregues entre outubro e dezembro.

Covax facility


O Ministério da Saúde anunciou também hoje que na próxima semana receberá mais um lote de vacinas contra a Covid-19 do consórcio Covax Facility, coordenado pela Organização Mundial de Saúde e que reúne governos e fabricantes.

Serão enviadas ao país 842,4 mil doses pelo consórcio. Até o momento, o Brasil recebeu cinco milhões de doses pela Covax Facility. Pelo investimento feito, o país tem direito a 42,5 milhões até o fim do ano. O Ministério da Saúde não divulgou quando deverá ter a próxima remessa.